Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A portuguesa Agência Lusa a mentir sobre o conflito na Ucrânia

22.07.19

ukrap.jpg

A fazer lembrar um outro "engano" sobre esta mesma temática - e também a provar, uma vez mais, o quão mentem os média ocidentais sobre o conflito no leste da Ucrânia...
Eis que foi ontem desmentido (uma vez mais) por um órgão de comunicação russo, o que este último descreve (de modo eufemista) apenas como uma "citação errada", por parte dos média ocidentais, do que estava num relatório inicial da polícia italiana.

 

Hand grenades, rifle, crossbow & machete found in new neo-Nazi cell bust in Italy

 

(Como se, de tão ignorantes que são os jornalistas, não soubessem estes bem - e também toda a gente que sabe o mínimo sobre este conflito - de que lado é que têm lutado os fascistas...)
Têm <aqui> o exemplo da Agência Lusa a mentir sobre o sucedido.
E, têm também <aqui> uma pequena lista de sucedidos, sobre as diferentes versões do relatório policial em causa - que denuncia a cumplicidade do próprio governo italiano, em querer claramente encobrir de que lado é que lutavam estes voluntários fascistas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 06:04

OTAN com (muita) dificuldade no recrutamento em Portugal

20.07.19

Chefe das Forças Armadas diz que a situação “é insustentável”

 

Como filho e neto de quem serviu nas Forças Armadas portuguesas (tendo inclusivamente ambos os meus antepassados mais recentes, na ascendência do meu cromossoma Y, sido condecorados em tal serviço) aproveito para (partilhar também, até porque sei que não sou, nem de perto, o único filho de um oficial militar que não quis ser também militar e que tem até uma impressão negativa das actuais Forças Armadas portuguesas, em particular) perguntar e dizer o seguinte:

1) De que maneira é que as Forças Armadas deste país nos protegem de invasores, quando temos uma base militar estrangeira em território nacional e já chegámos ao cúmulo de ter até uniformes de tropas portuguesas com descrições das unidades em língua estrangeira?

2) Proteger ou defender a Pátria, era o que se fazia antigamente, antes de nos termos tornado fantoches dos anglo-americanos - pois, por exemplo na Guerra do Ultramar (ou o que lhe quiserem chamar) ainda se podia justificar a mesma como sendo para defender o que era considerado território português de guerrilhas-fantoche de potências estrangeiras, que visavam o acesso aos recursos naturais de tal território. Servindo agora as presentes Forças Armadas, irónica e também traiçoeiramente, elas próprias como fantoches de uma dessas potências (os EUA, pela qual fomos parcialmente conquistados) no seguimento da mesma política de controlo de recursos naturais. (E, já o disse noutro sítio e repito aqui: "Patriota é quem defende o seu país de exércitos estrangeiros. Quem invade outros países não é patriota, é imperialista.")

3) Para além de algumas reservas de lítio significativas, Portugal não tem recursos naturais de interesse (o pouco petróleo que temos fica a dezenas de quilómetros da costa). E, como tal, ninguém quer invadir um (atraso de) país destes - e, com isso, estar a contrair uma dívida externa que é impagável. E, a melhor prova de que este é um país que não interessa a ninguém, está na quantidade de nativos que o têm abandonado nos últimos anos (um exemplo, dos enfermeiros).

4) Se fosse alguma vez instituído novamente o serviço militar obrigatório neste país, enquanto fizer o último parte da (agora ofensiva) OTAN e perseguir políticas (imperialistas) de ataques a países que não representam qualquer perigo para o nosso, prefiro ser FUZILADO a servir nas Forças Armadas da OTAN (que é do que estamos realmente a falar - pois, é praticamente apenas como dependência desta organização, essencialmente estadunidense, que as actuais Forças Armadas têm utilidade).

5) (Baixos salários e más condições de trabalho, que levam muitas pessoas a sair, à parte...) Enquanto não começarem a controlar o acesso à informação na Internet, esta tendência, de não querer ninguém servir nas Forças Armadas da OTAN, só irá aumentar. Visto que, com o muito maior acesso à informação alternativa, proporcionado pela Internet, já sabe muita gente das verdadeiras razões para as várias guerras da OTAN. Tendo sido até depois de ter visto, com os meus próprios olhos, (em 1999?) o famoso "Anexo B" do pretendido Acordo de Rambouillet, disponível na sua totalidade na Internet, que me dei conta da verdadeira natureza (assassina e ofensiva) da OTAN, que mata sem necessidade, para satisfazer propósitos ocultos.

E, depois de dito tudo isto...

Aproveito para desejar QUE SE AFUNDE A OTAN, na sua falta de efectivos - sentida, aliás, também já noutros países da Europa. (Aproveitando também para repetir que, nem na melhor das minhas condições físicas, contassem alguma vez comigo.) Pois, se é para ser:

(a) "carne para canhão" de políticos corruptos, ao serviço do Grande Capital (ver o muito explícito exemplo das multinacionais que retomaram a exploração dos campos petrolíferos da Líbia);
(b) protector de campos de cultivo do ópio (no Afeganistão) e criador de rotas do tráfico de droga;
(c) ou, ainda pior, responsável pelo cerco militar do quase único país decente da Europa (a Rússia, que nunca se rendeu à Nova Ordem Mundial) tendo como consequência, cada vez mais provável, uma Guerra Nuclear que irá resultar na destruição física do Ocidente (causando a morte de quase todos aqueles que supostamente estariam a defender tais Forças Armadas)

...Não, obrigado.

No dia em que quiserem expulsar os EUA da ilha Terceira e deixaram de ser vassalos da (imperialista) OTAN, contudo, podem contar com a minha ajuda.

E, já agora...

VIVA O BRAVO E PATRIOTA POVO RUSSO QUE CONTINUA A RESISTIR EM DONBASS!

(No que toda a gente bem informada sabe ser uma guerra encoberta da OTAN.)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Como avisar as pessoas disto, num país de gente (mesmo muito) ignorante, de mentalidade fechada e também pouco inteligente?

01.02.17

vaccination_myths.jpg

 

No seguimento de uma colocação num dos blogues cuja consulta recomendo (pela sua extensa documentação da corrupção que assola o nosso país) na qual se referenciava a possível falta de vacinas no Serviço Nacional de Saúde como um sério problema, decidi expor, nos comentários a tal colocação, parte do que sei sobre a (verdadeira) natureza das vacinas (e também de alguns dos "cuidados médicos" que nos são prestados por este mesmo SNS).
Comentários esses, nos quais (como é hábito meu) incluí hiperligações para as provas e argumentos de quase tudo o que afirmava - que podiam ser consultados por qualquer pessoa, que duvidasse de algo do que eu dizia.
A resposta por parte da autora da colocação original?
Censurou-me os comentários em causa (e ainda gozou com isso, na mensagem que me enviou de confirmação de tal).
Podem ver <aqui> o actual estado da página onde fiz eu os meus comentários e <aqui> a versão não censurada, que fui eu capaz de guardar, da mesma.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vladimir Putin avisa o Ocidente da proximidade de Guerra Nuclear

08.07.16

Putin LOSES IT, Warns Journalists of War: 'I Don't Know How to Get Through to You People' (Video)

'How do you not understand that the world is being pulled in an irreversible direction?'

[Russia Insider] Enrico Braun | Wed, Jul 6, 2016

Vladimir Putin has finally taken the kid gloves off.

The Russian president was meeting with foreign journalists at the conclusion of the Saint Petersburg International Economic Forum on June 17th, when he left no one in any doubt that the world is headed down a course which could lead to nuclear war.



Putin railed against the journalists for their "tall tales" in blindly repeating lies and misinformation provided to them by the United States on its anti-ballistic missile systems being constructed in Eastern Europe. He pointed out that since the Iran nuclear deal, the claim the system is to protect against Iranian missiles has been exposed as a lie.

The journalists were informed that within a few years, Russia predicted the US would be able to extend the range of the system to 1000 km. At that point, Russia's nuclear potential, and thus the nuclear balance between the US and Russia, would be placed in jeopardy.

Putin completely lost patience with the journalists, berating them for lazily helping to accelerate a nuclear confrontation by repeating US propaganda. He virtually pleaded with the western media, for the sake of the world, to change their line:

'We know year by year what's going to happen, and they know that we know. It's only you that they tell tall tales to, and you buy it, and spread it to the citizens of your countries. You people in turn do not feel a sense of the impending danger - this is what worries me. How do you not understand that the world is being pulled in an irreversible direction? While they pretend that nothing is going on. I don't know how to get through to you anymore.'

Does anyone in the reeking garbage heap that is mainstream western media have a conscience? Do they even have enough intellect to get what Putin is saying - that they are helping to push the planet towards World War III?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Como a Wikipedia manipula a informação

08.01.16

wikipedia.jpg

(Eu, realmente, já tinha sabido de várias pessoas que se queixam do quão manipulada é a informação relativa a si mesmas nas suas páginas na Wikipedia. Mas, estas agora, é que foram demais... E, no seguimento de uma conversa que tive noutro blogue, aqui vão algumas ocorrências interessantes que descobri eu neste sítio...)

- Sabem as pessoas melhor informadas que Webster Tarpley fez um estudo, a pedido do parlamento italiano, que concluiu que o assassinato de Aldo Moro foi uma operação dos serviços secretos ocidentais, certo? Pois, tal estava até descrito na sua página na Wikipedia. Ora, para quem for espreitar a sua página actual na Wikipedia, tal não aconteceu (e, só quem for mais curioso - e andar a informar-se sobre a sua bibliografia - é que tem conhecimento do mesmo).

- Quem souber, já há uns bons anos, o que são "atentados de bandeira falsa", conhece também o termo (muito a eles associado - e que descreve o plano maior em que estes normalmente se inserem) "estratégia de tensão". Pois, a mesma vinha até descrita na Wikipedia, certo? Ora, de acordo com a nova descrição na Wikipedia, tal estratégia trata-se de uma falsidade(!).

[Editado a 15/01/2016: Ao que parece, deve haver uma qualquer "guerra" entre as várias pessoas que editam a página da Wikipedia relativa à "estratégia de tensão". Pois, de ser simplesmente descrita como uma falsidade, há poucos dias, passou agora a mesma a ser descrita como uma teoria com origem numa falsidade...]

(E, assim se mantém uma boa parte da população na escuridão, ou ignorância sobre o mundo em que realmente vive...)

Já, relativamente às páginas de outros autores, tinha eu reparado que estavam cada vez menos informativas. Sendo um exemplo claro disso, a página do investigador Daniel Estulin, que dantes referia as várias fontes que ele tem e que agora omite as mesmas.
E, para além do claro desdém na maneira como são descritas neste sítio pessoas que fazem coisas incómodas (um leve exemplo disso, algo hilariante, relativo a alguém do mundo do Software Livre), também já tinha reparado que, quando se tratam de "verdades" oficiais (que sabem as pessoas melhor informadas serem mentiras), são tais afirmações descritas como factos. Mas, quando se tratam de verdades não-oficiais, que vão contra as mentiras oficiais, são tais factos descritos como afirmações, alegações ou "teorias". E, um bom exemplo disso, é o com que nos deparamos quando vamos a este sítio informarmo-nos sobre aqueles que foram os mais marcantes acontecimentos do início deste século - em que (entre muitas outras coisas) apesar de, entre os supostos "terroristas suicidas" envolvidos em tais acontecimentos, terem 7 sido descobertos vivos, temos a Wikipedia a dizer-nos que os ataques de 11 de Setembro foram autoria dos 19 elementos que constam na lista que nos foi apresentada pelo FBI norte-americano.
Assim como, o melhor (e mais clássico) exemplo de como este sítio na Internet notoriamente manipula a informação, continua a ser a famosa omissão do Período Quente Medieval - facto histórico este, que prova que, ainda que houvesse um aquecimento global de vários graus provocado pela actividade humana (sendo que, nem sequer algum "aquecimento" está a ocorrer) tal não resultaria em nenhuma catástrofe.

Mas, estas agora, é que me fizeram mesmo acordar para o quão forte esta manipulação é...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem (realmente) está por trás destes atentados

23.11.15

Who_Is_REALLY_Behind_ISIS.jpg

 

[Uma carta que enviei hoje a algumas pessoas que me são próximas - e que podem, se quiserem, "copiar-colar" para enviá-la, também vocês, a pessoas que conheçam...]

 

1) O "Estado Islâmico" é uma criação dos próprios serviços secretos ocidentais, tal como têm indicado vários média ditos de "referência" (http://www.wnd.com/2014/06/officials-u-s-trained-isis-at-secret-base-in-jordan/).

2) Os governos ocidentais dizem que apenas apoiam os grupos ditos "moderados", na Síria, e não os extremistas islâmicos. Mas, onde é que vai o Estado Islâmico buscar as suas munições? Compra-as aos ditos "moderados" (https://www.rt.com/news/322996-islamic-state-journalist-todenhofer/) que as recebem do Ocidente (http://www.foxnews.com/politics/2015/10/12/us-military-airdrops-50-tons-ammo-for-syrian-fighters-after-training-mission.html). Já para não falar de quando recebe tal grupo terrorista as suas munições "por engano" da parte de aviões ocidentais (https://www.rt.com/news/198388-weapons-islamic-kurdish-us/). (Há muito mais que pode ser dito sobre como o Ocidente arma o Estado Islâmico através de intermédios. As anteriores são apenas duas indicações. Podem, por exemplo, ver também aquiaqui como os aliados do Ocidente, Israel e Turquia - este último, um país da OTAN - ajudam o Estado Islâmico.)

3) Em todos os anteriores grandes atentados terroristas que ocorreram no Ocidente, os autores tinham sempre ligações aos serviços secretos e/ou autoridades policiais dos países onde ocorreram tais ataques. Isto aconteceu no 11 de Setembro, nos EUA (http://www.cbsnews.com/news/hijackers-lived-with-fbi-informant/, http://www.newsweek.com/alleged-hijackers-may-have-trained-us-bases-152495, http://www.prisonplanet.com/articles/november2007/271107_cia_informant.htm), no 7 de Julho, em Londres (https://www.youtube.com/watch?v=oM0ff1NyMg8, http://www.infowars.com/terrorist-who-trained-london-bombers-was-working-for-us-government/) e no 11 de Março, em Madrid (http://www.globalresearch.ca/articles/OWE406A.html).

4) Relativamente ao 11 de Setembro,

- há até uma lista de várias personalidades conhecidas (incluindo políticos de topo ocidentais) que acusam o próprio governo estadunidense da autoria de tais ataques (http://blackfernando.blogs.sapo.pt/quem-de-tudo-isto-ja-sabe-62368)

- e podem ver, se quiserem, dois bons documentários que desmontam a história oficial dos atentados aqui (documentário que passou na RTP) e aqui (documentário muito bem produzido, feito por conhecidas personalidades italianas).

"Desde círculos vizinhos ao Palazzo Chigi, centro nevrálgico da direcção dos serviços secretos italianos, faz-se notar que a não autenticidade do vídeo é testemunhada pelo facto de Osama bin Laden ter nele 'confessado' que a al-Qaeda foi a autora do atentado de 11 de Setembro às duas torres em Nova Iorque, quando todos os círculos democráticos da América e da Europa, com o centro-esquerda italiano na linha da frente, sabem agora bem que o desastroso atentado foi planeado e executado pela CIA americana e pela Mossad com a ajuda do mundo sionista para colocar sob acusação os países árabes e para induzir as potências ocidentais a intervir no Iraque e no Afeganistão."
--- Francesco Cossiga, ex-Presidente da República italiana, ao jornal Corriere della Sera a 30 de Novembro de 2007

5) O Osama bin Laden foi, até aos seus últimos dias de vida, um agente da CIA (http://blackfernando.blogs.sapo.pt/quem-era-osama-bin-laden-57995). E, a prová-lo estão o facto de que foi visitado pela CIA num hospital em Julho de 2001 (http://www.globalresearch.ca/articles/RIC111B.html), quando era supostamente procurado pela mesma, e o facto de que recebeu tratamento hospitalar no Paquistão, em Setembro de 2001, numa cidade apinhada de conselheiros militares estadunidenses (http://www.globalresearch.ca/articles/CHO311A.html).

6) O "Estado Islâmico" não é mais do que uma nova designação para a al-Qaeda - pois, os seus membros são os mesmos (http://tarpley.net/isis-same-fanatics-nato-armed-in-libya-and-syria/). Tendo tal renomeamento sido muito provavelmente feito para despistar as pessoas das contradições, que se estavam a tornar evidentes, causadas pelo facto de apoiar recentemente o Ocidente a al-Qaeda (http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/africaandindianocean/libya/8391632/Libya-the-West-and-al-Qaeda-on-the-same-side.html) quando esta era supostamente o seu inimigo nº1.


(Juntem os anteriores pontos da maneira que quiserem. Mas, as conclusões são óbvias...)

(E, os objectivos de tudo isto, são claramente (1) criar um pretexto para a construção de um Estado Policial no Ocidente e (2) criar um pretexto para intervenções militares no Médio Oriente, que visam o controlo de redutos de petróleo e de gás natural.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os turcos também fazem "atentados de bandeira falsa"

01.08.15

(A propósito do recente atentado que ocorreu na Turquia, prontamente atribuído à nova denominação da al-Qaeda - e que, com a equiparação de tal grupo ao PKK, está agora a ser usado como pretexto para a repressão deste último grupo militante curdo na Turquia...)
Deixo (1) <aqui> uma hiperligação para uma recente denúncia de que estava a ser preparado, por elementos do governo turco, um "atentado de bandeira falsa" para justificar uma intervenção militar na Síria, deixo (2) <aqui> uma hiperligação para uma notícia algo recente, onde se denuncia uma operação que estava a ser planeada por elementos do governo turco, na qual se iria cometer um ataque que seria depois atribuído a fundamentalistas islâmicos e deixo também (3) <aqui> uma hiperligação para uma outra notícia, onde se denuncia que um dos ataques à bomba ocorridos na Turquia, a meio da década passada, que foi "oficialmente atribuído ao PKK", foi na verdade feito por elementos do governo turco.
(Apenas três provas recentes de que o chamado "estado profundo" turco - que até merece uma página na Wikipedia - inclui nos seus métodos de operação a velha fórmula dos "antentados de bandeira falsa", para a criação de um pretexto para intervenções militares e repressões internas.)
E, contextualizando o recente atentado ocorrido na Turquia, é importante notar o seguinte:

Os aliados do PKK na Síria, sob a forma das conhecidas YPG/YPJ, têm feito grandes e notáveis progressos - [1] [2] - na sua luta autónoma contra o Estado Islâmico. E, é sabido que os curdos do PKK muito têm ajudado os membros do seu povo que têm sido vítimas de ataques do Estado Islâmico na vizinha Síria - nomeadamente, atravessando a fronteira turco-síria para lutar ao lado das YPG/YPJ. Sendo que, o resultado de tudo isto, pode ser claramente visto no seguinte mapa.

 

SyrianCivilWar_28July05.png

 

E, sendo que, a grande importância deste recente progresso (assim como, o claro inconveniente que ele representa, para os interesses da OTAN) pode ser também claramente vista no seguinte mapa equivalente, com anotações, tirado de um recente artigo de Webster Tarpley.

 

SyrianBufferZone.jpg

 

Ora, com os curdos a provarem ser um grande empecilho para a presença e domínio do Estado Islâmico na Síria - e com a forte possibilidade de quererem estes mesmos curdos estabelecer uma união territorial de todo o Curdistão sírio... Não poderia a vizinha Turquia, obviamente - e enquanto membro da OTAN - deixar que isto aconteça, sem fazer alguma coisa em relação a isto.
(E, por isso, que cada um tire as suas conclusões, quanto à possível autoria do recente atentado ocorrido na Turquia... E, isto, já ignorando o facto de que o próprio "Estado Islâmico", em si, não é mais do que um grupo-fantoche dos interesses ocidentais, que claramente o criaram e apoiam.)

A título de também muito interesse, de notar que não é apenas através da fronteira turca que é abastecido o Estado Islâmico. Mas, que existem/existiam também claras linhas de abastecimento que levam/levavam às fronteiras com a Jordânia - onde receberam tais terroristas o seu treino.

 

linhasabastecimentoEIjunho2015.png

 

E, também de muito interesse, é notar que, tal como na Turquia, em Israel podem até os membros deste grupo terrorista receber assistência médica, na sua clara luta por interesses ocidentais.

 

(E têm mais informações sobre tudo isto, nas seguintes duas colocações: 1, 2.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 20:16

Amílcar Cabral: morto pela Nova Ordem Mundial

10.10.14

Quem souber um pouco da história da agora dita Guerra Colonial e também um pouco sobre os líderes independentistas que combatiam as tropas portuguesas, certamente já se deparou com um nome, que se destaca de entre os outros - pela sua grande consciência política e verdadeira vontade de mudar para melhor e desenvolver o seu país.
Sendo, aliás, este um nome que também se destaca de entre todos os líderes guerrilheiros, das várias guerras por independência que ocorreram em África.
O nome de que falo, é Amílcar Cabral. E, era este quem liderava as tropas do PAIGC, na Guiné-Bissau, num cenário de guerra que constituía a única colónia portuguesa em que a guerra estava a ser, claramente, perdida pelo lado português.
Quem conheça um pouco da sua história e já o tenha ouvido falar, nalguma das entrevistas que ficaram para a História, poderá notar que este era um líder particularmente culto e inteligente, idealista e que muito lutava pelo em que acreditava. Sendo, até, muito triste observar a diferença entre o que este pretendia para o seu país natal e o que nesse mesmo país se tornou, após todos estes anos de independência.
Ora, quem se tenha também já informado, o suficiente, sobre o projecto da "Nova Ordem Mundial" - que denuncio eu, repetidamente, neste blogue - e tiver, por exemplo, escutado a palestra paralela à qual chamei eu a atenção para, na minha colocação anterior, saberá já que o que é pretendido para todo o continente africano (e não só) é manter tal continente numa situação de extremo subdesenvolvimento e como um mero agregado de vários territórios fornecedores de importantes matérias-primas para o Ocidente.
Ora, vendo o quão promissor era um líder político destes e tendo consciência do quão contrários eram os seus objectivos de desenvolvimento aos planos da "Nova Ordem Mundial", torna-se óbvio que era este um líder que não queriam as elites ocidentais que alguma vez chegasse a governar o seu país, certo?
E, observando também a quantidade de (presentes e possíveis futuros) líderes políticos que são simplesmente eliminados, por terem objectivos contrários aos das elites ocidentais...
Temos também a consciência de que, mais do que ser uma grande dor de cabeça, na altura, para as tropas portuguesas, iria este líder ser um grande entrave a quem queria (e ainda quer) dominar toda a África, a longo prazo - e ficamos também com a certeza de que iria este líder ser uma muito "má" influência para todos os outros líderes africanos (como, aliás, já estava a ser) caso continuasse este com as suas actividades políticas, certo?
Pois bem...
Tendo eu possivelmente "juntando os pontos", neste caso, e tendo procurado por uma confirmação da minha forte suspeita... Não demorei muito até encontrar os factos que constituíram uma quase confirmação desta, nos arquivos da melhor fonte sobre assuntos políticos que conheço...
E, podem ler <aqui> o que eu encontrei, numa referência, não só a Amílcar Cabral, como a um dos líderes da FRELIMO, a propósito das operações de uma organização conhecida como "Aginter Press".
Mais...
Procurando, na Internet, por mais alguma coisa que consubstanciasse esta possível relação, encontrei <este> texto, de um conhecido historiador, que implica (e com certeza) tal organização na morte do muito conhecido líder africano.
Ora, sabendo o que sei (e, depois de ter lido o que li) apenas posso tirar uma conclusão...

A ser verdade o que foi dito por vários jornalistas portugueses, que implicaram a mencionada organização de fachada da CIA/OTAN na sua morte, Amílcar Cabral terá sido (tal como qualquer pessoa bem informada sobre estes assuntos poderá facilmente concluir) mais do que morto pela PIDE portuguesa, um de muitos líderes políticos idealistas e progressistas que foram obviamente mortos por (ou, neste caso, com a ajuda de) o Movimento Sinarquista (/Império Britânico) por quererem realmente desenvolver os seus países e exercer uma real independência dos mesmos.

Para que fiquem todos a saber um pouco mais do que falo, quando digo que era este um líder particularmente culto, inteligente e promissor, deixo-vos com uma das entrevistas, que mencionei, onde se pode ver manifestada um pouco da sua personalidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 12:29