Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Não. Pôr um bebé num caixote de lixo, não é um acto tolerável.

19.11.19

intoleravel.jpg

Um comentário que deixei há pouco à muito boa análise que a historiadora Raquel Varela fez da polémica em curso.

 

A melhor análise que vi de toda esta polémica… Parabéns!

Eu próprio, depois de ter ouvido uma entrevista a uma muito conhecida figura defensora dos direitos das crianças, ainda recuei um pouco, por admitir a hipótese de se poder tratar de alguém com sérios problemas mentais. Mas, se não é esse o caso, obviamente que se trata este de um acto intolerável.

O facto do poder estabelecido (Presidente da República e afins) prontamente querer retratar a mãe em causa como “vítima”, faz obviamente parte do constante e contínuo processo de legitimação da irresponsabilidade por parte deste mesmo poder – obviamente, com vista a fazer dos actuais seres humanos, que constituem a sociedade, meros animais sem valores (e, por isso, fáceis de controlar e explorar).

É a mesma história de que com a legalização do Aborto (sei que a autora deste blogue quase certamente discordará deste aspecto, em particular) relativamente ao qual o poder estabelecido não desistiu enquanto não obteve um referendo favorável (mas deixou de referendar o mesmo, após tal ter sido legalizado).

Na Finlândia, por exemplo (que, tal como os restantes países nórdicos, serve de “ponta de lança” para os projectos sociais do poder estabelecido ocidental) já chegaram a um cúmulo em que, quem mata outra pessoa, vai para o que mais parece ser um campo de férias, em vez de para uma prisão (https://www.euronews.com/2019/07/19/finland-s-open-prisons-a-model-for-the-rest-of-europe) – porque, sabem, os criminosos são todos “vítimas da sociedade” etc.

Se os criminosos são todos “vítimas da sociedade”, então calem-se com as críticas aos políticos, capitalistas e restantes poderosos – que, essencialmente, são diferentes do comum criminoso apenas no grau de inteligência (por se terem apercebido de que, se cometerem os crimes dentro do próprio sistema, por norma não vão presos). Pois, estes últimos, mais do que “vítimas da sociedade”, são então também usualmente “vítimas” da educação familiar que tiveram.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sempre a mesma história (x2)

16.12.18

strasbourg.jpg

[Uma série de mensagens que enviei a quem me é próximo e está, ou tem estado, emigrado na Europa francófona, que tiveram início na noite de 11 para 12 deste mês. As referências aos números 11 e 7, explico-as <aqui>. E, reparem que o suspeito em causa tinha granadas em casa - que são algo que não se compra no supermercado e que indicia que não estava a agir de modo isolado.]

 

 

Assunto: Dia 11

https://www.rt.com/news/446209-strasbourg-shots-injured-christmas-market/

Se o suspeito não for capturado vivo (para não contar quem lhe deu as ordens) deverá quase certamente ter sido mais um atentado pertencente à mesma série para a qual eu tenho avisado.

Reparem que o suspeito convenientemente "escapou" de uma detenção por parte das autoridades, para depois ir cometer este atentado - https://www.rt.com/news/446221-strasbourg-shooting-suspect-terrorism/ - tendo conseguido passar pela suposta segurança do mercado, quando era um homem supostamente procurado.

Como eu disse, daqui para a frente, evitar grandes aglomerações de pessoas - especialmente nestes dias.

 

*

 

Assunto: Dia 11 - adendo

E, reparem na altura em que (no mesmo dia) ocorreu um típico tiroteio gratuito no Brasil...

Pouco tempo depois do novo [i.e. futuro, que ainda não tomou posse] Presidente, Jair Bolsonaro, ter dito que irá facilitar o acesso às armas de fogo, para que as pessoas se possam defender - e que os estadunidenses garantiram como direito, na 2ª Emenda à sua Constituição, para que possam as pessoas se defender do próprio governo, caso o último se torne tirânico.

Este tipo de tiroteios gratuitos, que não fazem qualquer sentido (e que costumam ocorrer no Ocidente, em especial nos EUA) muita gente suspeita que sejam também operações dos próprios governos, que visam demonizar a posse de armas pelo comum cidadão. (Ex: tiroteio ocorrido numa escola na Finlândia, no dia 7/11/07 - https://en.wikipedia.org/wiki/Jokela_school_shooting)

 

*

 

Assunto: Dia 11 - segundo adendo

Sobre o aparente facto deste atentado em Estrasburgo ter ocorrido com a conivência das autoridades, podem ver um vídeo [disponível no YouTube] relativo a outros três atentados terroristas anteriores: https://www.youtube.com/watch?v=WB-6VikW9kQ

(Nota: Eu não estou, com isto, a dizer que os meros polícias de rua e militares em causa possam estar envolvidos nisto. Apenas, o que suspeito é que não recebam estes as ordens e os avisos que seria suposto receberem - e que possam até receber ordens para não estar em certo sítio, em certo dia, ou para não agirem segundo procedimentos que seriam normais.)

 

*

 

Assunto: Dia 11 - adendo final

Não disse eu logo que o suspeito não iria ser capturado vivo?

É uma das regras deste tipo de atentados, na qual quem está atento aos mesmos já terá reparado: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/sempre-a-mesma-historia-113713

Autoria e outros dados (tags, etc)

Incrível: Propaganda "Soylent Green" à portuguesa e para crianças!

26.11.17

grilos.jpg

(Uma notícia à qual nem tento deixar um comentário, por já saber que iria qualquer crítica que fosse feita a tal colocação ser certamente censurada...)
Bem a propósito da degradação social de que falava na minha colocação anterior, para quem tiver ainda dúvidas de que a enorme quantidade de filmes de ficção científica distópicos que sempre foram exibidos não são meras obras de entretenimento (mas antes, filmes que visam mentalizar as pessoas que os vêem para algo que está planeado para o futuro) aqui fica uma das provas mais inequívocas do que já dizia eu numa colocação anterior, em que mencionava este filme, de que algumas das "possibilidades" que são nele mostradas se estão já a tornar realidade.

http://kids.pplware.sapo.pt/curiosidades/por-favor-um-galao-e-um-pao-de-farinha-de-grilo/

Autoria e outros dados (tags, etc)

A História Soviética

30.03.13

Muito bom documentário, sobre os aspectos menos conhecidos do Comunismo e os factos menos conhecidos da História da União Soviética, tais como:

  • as semelhanças que existem entre o Comunismo e o Nazismo
  • as raízes marxistas do Nazismo e da Eugenia
  • a colaboração inicial que houve entre a União Soviética e a Alemanha, durante os primeiros anos da Segunda Guerra Mundial
  • o massacre de milhões de cidadãos sob o jugo soviético
  • o propositado genocídio ucraniano
  • os campos de concentração existentes na União Soviética, semelhantes aos nazis, onde também eram realizadas experiências médicas

Um documentário a não perder - e excelente para se mostrar aos adeptos da ideologia comunista.

[Editado a 18/05/2014: (Corrigindo uma das descrições, por mim feitas, na introdução a este documentário...) Ao que parece, não terá havido um genocídio na Ucrânia, por parte das autoridades soviéticas. E, a explicação para esta provável correcção, pode ser ouvida a partir da marca dos 37m desta entrevista à conhecida historiadora Annie Lacroix-Riz. Mas, ainda assim, creio que o documentário se mantém como um mesmo muito interessante de se ver, por todas as outras coisas que denuncia.]

[Editado a 10/05/2019: Como quem seja um seguidor da conta no Twitter de Daniel Estulin já terá lido ou constatado... Parece que muito do que é dito neste documentário é mentira (e aparenta esta obra ter sido feita para demonizar o Comunismo)... Mas, como provas definitivas do contrário também não tenho (apesar de considerar Daniel Estulin uma pessoa honesta) - e também, já agora, pelo interesse que mantém o visionamento deste documentário, nem que seja para ver o tipo de mentiras que são ditas - irei manter esta colocação, em vez de apagá-la.]

(O DVD, que pode ser comprado na Internet, tem legendas em português. E, quem quiser procurar na rede por uma cópia deste polémico documentário, tem também disponíveis legendas em inglês mais completas.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 13:42