Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Conheçam a maior anedota de organização de suposta luta pelos direitos civis (na Internet) que recentemente surgiu em Portugal

08.11.18

d3.png

Eu acho que nem vale a pena elaborar muito sobre isto... Pois, a seguinte cadeia de comentários é, por si só, bastante elucidativa.

 

A EDRi e a EFF são financiadas pelo próprio poder estabelecido

 

Mas, sobre o último comentário que lá foi deixado, antes de (muito convenientemente) ter sido o tópico encerrado - não me sendo, deste modo, permitido o exercício do direito de resposta - fica então aqui a resposta que não pude lá deixar, à direcção desta organização.

 

1) "narrativas em que não nos revemos e com ligações para sites pouco recomendáveis"

Tudo avaliações subjectivas e não argumentadas, que não justificam a perda do direito à Liberdade de Expressão. E, se fosse eu um membro da vossa organização? Corriam comigo por causa disso?

2) "boa dose de auto-promoção", "está aqui (...) porque este fórum lhe dá pódio e holofote para os seus ensaios e para os (muitos) links para o seu blog"

A razão pela qual incluía eu hiperligações para o meu blogue é a mesma pela qual incluía hiperligações para outros sítios - para providenciar provas e argumentos que sustentem o que eu digo. Que interesse tenho eu numa suposta "autopromoção"? Não ganho dinheiro nenhum com isto, só perco tempo a escrever estas coisas e quase ninguém conhece a minha identidade.

3) "tom arrogante e condescendente para com quem se atrevia a encetar diálogo [comigo]"

Mentira. Podem ler as mensagens que foram trocadas entre mim e quem respondia ao que eu colocava (as que não tiveram já sido escondidas, isto é). Sempre tratei os outros da mesma maneira que gostava de ser tratado. Então, eu é que iniciava o debate e depois ia estar a responder mal a quem me respondesse? Sendo eu uma pessoa que tem por hábito fazer muitas perguntas e contestar o que lhe é dito, ia eu estar a reagir mal para com quem fizesse o mesmo relativamente ao que eu escrevo?


4) "apesar disso, optámos por não actuar"

Eh, lá! Obrigado pela vossa imensa benevolência. Têm vocês todo o direito de censurar quem escreve coisas de que vocês não gostam. (Cuidado, membros da organização que façam o mesmo que eu fiz!)

5) "acresce que o utilizador em causa tem uma posição declarada de que não irá fazer qualquer contributo para a associação ou os seus objetivos"

Mentira. Em várias das colocações que fiz, fazia avisos e alertas sobre este tema dos direitos no ciberespaço e chamadas de atenção para o que eu considero serem erros estratégicos na suposta luta desta organização. E, a razão pela qual o fazia, é porque também eu estou interessado no sucesso desta luta genérica - ainda que não faça eu parte desta organização específica.

6) "liberdade para espalhar as suas opiniões e auto-promoção nos fóruns que entender, mas não neste"

Ora aí está. Admitem que no vosso fórum não existe Liberdade de Expressão. E, se deixo eu alguma hiperligação para uma colocação no meu próprio blogue (para encurtar os textos, deixando que cada um decida o quão se quer aprofundar no assunto - e para não ter de estar a repetir-me) sou logo acusado de estar a fazer "autopromoção".

7) "este fórum é um espaço para se discutir livremente as questões dos direitos digitais com total liberdade de opiniões"

Hilariante e enorme Mentira! Vocês próprios admitem (e nesse mesmo texto) que censuram opiniões e denúncias das quais simplesmente não gostam.

8) "um espaço que queremos (...) que sirva para real discussão construtiva"

E, onde é que enveredei eu pela crítica destrutiva? Se apontava eu coisas que considerava estarem vocês a fazer mal, fazia-o acompanhado de dicas do que considerava eu ser uma alternativa melhor.

9) "com elementos que não querem saber da D3"

Uma vez mais, se fazia eu colocações neste fórum, era para tentar ajudar na luta pelos "direitos digitais" (ou civis, na Internet).

10) "comentários tóxicos"

Não publiquei nada de indecente ou ilegal neste fórum. Apenas coisas de que a direcção não gostou - e às quais outros membros da organização até acharam por bem responder.

 

Em suma, façam como faz a D3.
Mandem cartas aos políticos do sistema (que são boas pessoas e são bem-intencionados).
E, se não responderem tais políticos de forma satisfatória, virem-se para as supostas alternativas mais mediáticas, como o Bloco de Esquerda - pois, o Trotsky era muito boa pessoa e também os seus modernos seguidores o são.
(Sendo de grandes adeptos das novas tecnologias que se tratam os dirigentes desta organização, ficamos então à espera das "selfies" tiradas nos gabinetes dos políticos que forem tais membros mais visitar, enquanto a Internet pela qual supostamente lutam se transforma em "Censornet", com os dirigentes desta organização a darem o exemplo de como se faz tal coisa.)
E, já agora, tópicos sobre como possivelmente desactivar, de modo legal, o novo sistema de vigilância "eCall", não só não têm nada a ver com "direitos digitais", como indubitavelmente não são do interesse dos participantes do fórum desta organização e, por isso, têm de ser censurados.
Também, cadeias de comentários onde apareça alguém a alertar para o perigo de mexer nas nossas contas bancárias através dos novos "spyphones" são também tópicos que podem ser escondidos do ocasional visitante deste fórum.
Adiram já à D3!

[Acrescentado a 09/11/2018: Tendo eu recebido, entretanto (horas depois de ter feito esta colocação) uma reposta da parte da direcção desta falsa organização de luta pelos direitos civis, a confirmar a minha dúvida sobre se o facto do moderador em causa ter censurado este tópico no fórum reflectia as políticas de orientação gerais da própria direcção (resposta a uma carta que tinha eu escrito horas antes de ter sido feita a última colocação, por parte da direcção, no tópico para o qual chamo a atenção) e tendo tal resposta (em nome da direcção) sido feita pelo mesmo "Rui Cruz" que posso ver, pelas fotografias neste fórum, ser um conhecido elemento associado à versão portuguesa da WikiLeaks... Que cada um (que esteja bem informado) tire então a sua própria conclusão sobre a natureza, pelo menos parcial, desta organização "D3"... Já agora, o autor Daniel Estulin concordou comigo, em mensagem privada no Twitter, que a dita "TugaLeaks" é certamente, tal como a original WikiLeaks, uma versão portuguesa do mesmo tipo de operação.]

[Acrescentado a 10/11/2018: E, para cúmulo do que era já uma grande anedota, numa clara demonstração de que isto se trata de Censura pura e dura - e também demonstrando o medo que esta gente tem da informação que eu lá deixei... O seguinte é o aviso que mais vejo agora que foi adicionado às colocações da minha autoria que não foram (ainda?) escondidas. E, quem quiser ver como eram as colocações originais, com as hiperligações para as fontes do que eu afirmava, pode descarregá-las <aqui>.]

censura_d3.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

Voltamos aos atentados de bandeira falsa em Itália

18.08.18

gladio.jpg

 

Far-Left Anarchist Extremists Take Credit For Bombing Italian Populist Party Office

 

A história é sempre a mesma...

  1. O motivo/alvo do ataque é algo de imensamente estúpido (como, pôr uma bomba numa igreja na véspera de Natal, ou neste caso pôr uma bomba numa sede de um partido político que, claramente, não é pior do que os outros - muito pelo contrário).
  2. E, quanto à autoria dos ataques, estes são sempre (a) ou reinvidicados por um qualquer grupo que ninguém (no meio anarquista) conhece (b) ou não são reinvidicados por ninguém, sendo alguns verdadeiros anarquistas acusados de e presos por isto (enquanto os média muito reportam tal coisa) e sendo posteriormente tais anarquistas ilibados disto (enquanto os média, convenientemente, mal reportam tal coisa).

E, reparem em como são os verdadeiros progressistas quem constitui o alvo deste atentado (muito a fazer lembrar o assassinato de Aldo Moro)...
Que sentido é que faria, para alguém que supostamente quer melhorar a sociedade, atacar logo os que querem também claramente fazê-lo, em vez de atacar os restantes?
A quem é que verdadeiramente interessa (ou, por outras palavras, quem é que realmente beneficia de) este atentado? (Lembrem-se de que o "Liga Norte" é indubitavelmente anti-sistema!)

Tenham sempre em mente o seguinte relatório, que eu parcialmente traduzi há uns bons anos, de cada vez que oiçam falar de atentados terroristas em Itália atribuídos a anarquistas.

 

Statewatch: "Anarchists to be targeted as 'terrorists' alongside Al Qaeda"

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 04:57

Uma estranha mistura italiana

04.06.18

dimaio_salvini.jpg

 

Confirmado que está agora, então, o facto de que o "Movimento 5 Estrelas" e o partido "Liga Norte" sempre vão formar um governo de coligação em Itália, venho aqui apenas chamar a atenção para o seguinte aspecto mesmo muito curioso, relativo a esta estranha aliança.
(Para quem não sabe, o que se passa em Itália, é o seguinte...)
1) O "Movimento 5 Estrelas" é um movimento claramente controlado (dos muitos que têm surgido, na Europa) e que apenas serve para controlar e abafar as energias do descontentamento popular e continuar a oferecer falsas soluções que jogam a favor do sistema. E, as inequívocas provas disto podem ser encontradas <aqui><aqui> e <aqui>.
2) Mas, o "Liga Norte" é um partido indubitavelmente não-alinhado com o poder estabelecido - pois, foi o mesmo que até convidou o Daniel Estulin para discursar no Parlamento Europeu, onde denunciou o último os bilderbergers e afins.
O que sairá daqui?

(Se quiserem, têm aqui uma recente observação que fiz, sobre um possível evoluir desta situação.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

A União Europeia é, em boa parte, a concretização de um IV Reich

17.03.18

iv_reich.png

"But what is absolutely true, is that the biggest scandal part of this whole Bilderberg organization was that, it was heavily populated by people who came out of the old World War II Nazi apparatus and who basically cleaned up and dusted off, and basically deployed to become a hard core of the Cold War anti-Soviet structures in the West. People such as Prince Bernhard, for example, of the Netherlands, was one of the founders of the Bilderberg organization. Walter Hallstein, the first President of the European Commission, was a Nazi lawyer. And, a lot of the structure itself of the European Union was actually based on the Nazi structures which were put together by Hallstein 20 years earlier, in the 1930s, before the Second World War."
--- Daniel Estulin, numa entrevista na "SOTT Radio Network", em Fevereiro de 2015

 

A União Europeia é uma criação do Clube Bilderberg - fundado pelo conhecido príncipe Bernardo dos Países Baixos (o mesmo que fundou a WWF) o qual foi um membro da SS de Hitler (não sendo este sequer o único nazi que é publicamente sabido ter frequentado as reuniões de Bilderberg).
Príncipe este, que era o Director das linhas áereas dos Países Baixos (KLM) aquando do uso destas pelos nazis, no final da Segunda Guerra, para fugirem para a Argentina.

 

"KLM ajudou voos nazistas para a Argentina"
[NineForNews.nl - Tradução Google] 25 de março de 2014

Após a Segunda Guerra Mundial, foi proibido aos suspeitos de envolvimento no regime nazista deixar a Alemanha. No entanto, muitos criminosos de guerra foram para a Suíça, entre outros. Através desse país, eles viajaram para a América do Sul. O Koninklijke Luchtvaart Maatschappij transportou os supostos alemães para o Uruguai e a Argentina.

O transporte era muito lucrativo para a companhia aérea. Os nazistas estavam dispostos a gastar muito dinheiro e escapar do seu julgamento. O historiador da aviação, Marc Dierikx, concluiu com base em documentos de arquivos americanos e suíços que a KLM estava intensamente envolvida no transporte de nazistas.

Em 1949, a embaixada holandesa na Argentina falou em uma carta ao Ministro dos Negócios Estrangeiros de "um forte elemento alemão na representação KLM" em Buenos Aires. O KLM diz que não encontrou evidências em seus próprios arquivos para envolvimento de longo alcance no vôo dos nazistas. Segundo Dierikx, é difícil imaginar que o cume da KLM na Holanda não conhecesse na época a ajuda de nazistas fugitivos.

Uma testemunha, que na época trabalhava como funcionária de 17 anos na KLM, disse à BBC que, em 1949, testemunhou uma violenta troca de palavras entre o então CEO da KLM Albert Plesman e o famoso piloto Adriaan Viruly. O último protestou de acordo com a testemunha porque foi convidado a voar "monges negros" para a Argentina. Descobriu-se criminosos de guerra. Os registros americanos mostraram que o governo holandês não estava preparado para pressionar as listas de passageiros da KLM.

De acordo com o Centro Simon Wiesenthal de Paris, os criminosos de guerra usaram o ouro do Vaticano para fugir para a América do Sul e o Oriente Médio. O Vaticano teria usado dinheiro que os nazistas roubaram e depositaram na Igreja. Um documento do governo dos EUA de 1947 mostra que Roma manteve 200 milhões de francos suíços de ouro nazista. É o ouro que o fascista Ustašas na Croácia havia roubado de judeus e sérvios.

O centro descobriu que o Vaticano forneceu documentos de identidade aos criminosos de guerra através de um grande número de comitês que atuam como organizações informais. Isso permitiu que os nazistas fugitivos obtivessem um passaporte da Cruz Vermelha, com o qual deixaram a Europa. Desta forma, milhares de criminosos de guerra alemães e colaboradores nazistas europeus, com a ajuda do Vaticano e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), encontraram um refúgio seguro para a Argentina e outros países da América do Sul.

Entre eles, havia líderes como o infame médico do campo, Josef Mengele. Ele embarcou em 25 de maio de 1949 com um documento de viagem do CICV em Gênova com o destino da Argentina, onde mais tarde abriu um consultório médico. O chefe da Gestapo, Klaus Barbie, o "carrasco de Lyon", o comandante das SS Erich Priebke e o executor croata Dinko Šakić, teria escapado para a Argentina com passes da Cruz Vermelha. O chefe croata de Hitler, o ditador Ante Pavelić, viajou para Buenos Aires em 1947 como sacerdote com um documento do CICV. Ele é considerado responsável pelas mortes de 800.000 sérvios e ciganos.

De um relatório secreto que entrou nas mãos de The New York Times, também surgiu que depois da guerra, a América abrigou um grande número de nazistas, incluindo o cientista de roteiros Arthur Rudolph. A CIA organizou documentos de residência e um trabalho para eles.

 

Sabendo disto, deverá ficar qualquer pessoa logo "de perna atrás" sobre que raio de gente é que fundou então a UE. Mas, é esta a única ligação da UE aos nazis? Não. Há mais que se lhe diga...
Toda a gente que sabe o mínimo da história da Segunda Guerra Mundial, sabe que uma das coisas que os nazis muito fizeram, ao longo da guerra, foi pilhar todo o ouro (e outras riquezas) que encontravam - incluindo o das pessoas que eram levadas para os campos de concentração. E, não sendo a Europa um continente propriamente pobre, certamente que muito ouro deverá ter sido acumulado por tais criminosos nazis. Ora, o que é então feito de todo este ouro? (Nunca ouvimos nós falar sobre o que aconteceu a tal ouro depois da guerra!)
Segundo explicam Daniel Estulin e outros, o destino do mesmo foi muito simples...
O que aconteceu foi que, na mesma altura em que os nazis fugiram para a América Latina, foi tal ouro levado para o mesmo destino dos primeiros. E, assim que "acalmaram" as coisas na Europa, na seguinte década de 1950, foi este tesouro (convertido ou não em dinheiro) trazido de volta para o Velho Continente, em parte para ser usado no projecto de criação de uma União Europeia, através do Clube Bilderberg fundado em 1954 - tendo sido o regresso desta enorme riqueza acumulada também responsável pela muito notável recuperação da economia alemã, na década de 1950, que ficou conhecida como o "Milagre do Reno".
Quer isto então dizer que a UE é um projecto nazi?
Não propriamente. Pois, (tal como explicava eu há uns anos, aqui) os nazis são apenas pessoas que foram recrutadas para o projecto da Nova Ordem Mundial - que é muitíssimo anterior ao surgimento sequer do movimento nazi (ler, por exemplo, isto). Tendo o Clube Bilderberg servido (tal como explica Daniel Estulin aqui) para juntar vencedores e vencidos da Segunda Guerra Mundial num novo projecto conjunto europeu, de características semelhantes ao fascista.
Quer isto, então, dizer que a UE é uma ressurreição do projecto fascista?
Sim, pode-se dizer tal coisa. Pois, (apesar de haver outras descrições mais correctas para o projecto da NOM) se quisermos descrever de um modo curto e simples as características político-económicas da sociedade pretendida pela NOM, é (em boa parte) como um projecto fascista que se pode descrever (ainda que, algo grosseiramente) a mesma. Podendo nós, de certo modo, dizer que estamos a assistir a um ressurgimento do Fascismo (por enquanto, apenas na sua vertente económica - e de carácter político antes internacionalista) na Europa em que vivemos.
(E, denunciado e dito isto, que cada um reflicta então sobre se será ou não uma boa ideia que continuemos a fazer parte deste megaprojecto europeu...)

 

Boris is Completely Right: The EU Was a Nazi Brainchild
Top Nazis planned to create federal European dictatorship
Paul Joseph Watson | Infowars.com - May 17, 2016

Boris Johnson is being accused of hyperbole for comparing the EU to Adolf Hitler’s plan for Europe (because invoking the threat of a new world war if Britain leaves the EU, as David Cameron did, is completely reasonable).

The pro-Brexit Tory MP said that both Napoleon and the Nazi leader failed at unification and that the EU was “an attempt to do this by different methods”.

According to Donald Tusk, the European Council President, the former Mayor of London “crossed the boundaries” by making the comparison.

Pro-Remain campaigner Lord Heseltine labeled Johnson’s remarks “preposterous” and “obscene”.

However, Boris Johnson is completely correct.

The European Union is basically what the Nazis envisaged for the continent post World War 2.

In his 1940 book The European Community, Nazi Economics Minister and war criminal Walther Funk wrote about the need to create a “Central European Union” and “European Economic Area” arguing, “There must be a readiness to subordinate one’s own interests in certain cases to those of [the EC].”

Nazi academic Heinrich Hunke wrote, “Classic national economy ... is dead ... community of fate which is the European economy ... fate and extent of European co-operation depends on a new unity economic plan”.

Fellow Nazi Gustav Koenig observed, “We have a real European Community task before us ... I am convinced that this Community effort will last beyond the end of the war.”

Other top Nazis who called for the creation of a pan-European federal economic superstate include Ribbentrop, Quisling and Seyss-Inquart, who spoke of “The new Europe of solidarity and co-operation among all its people ... will find ... rapidly increasing prosperity once national economic boundaries are removed.”

In 1940, Minister of Propaganda Joseph Goebbels ordered the creation of the “large-scale economic unification of Europe,” believing that “in fifty years’ time [people would] no longer think in terms of countries.”

Just 53 years later, the European Union in its current form was established.

It’s no surprise that what these top Nazis proposed is almost identical to what the EU later became.

It doesn’t matter if you put a touchy-feely, lefty, liberal face on it – at its very core – authoritarianism is authoritarianism.

Boris is right – the EU is the very bureaucratic, centralized, dictatorial European federal superstate that Hitler and other top Nazis had planned to implement after World War 2.

*********************
Paul Joseph Watson is the editor at large of Infowars.com and PrisonPlanet.com.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A minha nutricionista, no programa "Grande Entrevista" da RTP

18.11.17

(Se quiserem ver a entrevista completa - que é sobre a sua vida pessoal - podem vê-la, por enquanto, aqui.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 07:54

Os meus comentários censurados ao último vídeo de José Sócrates

02.11.17

Descobri apenas hoje que este tem um canal no YouTube. E, obviamente que tenho mais que fazer do que estar a ouvir as mentiras da parte de alguém que, pelos vistos, não tem noção do imenso ridículo que está a protagonizar... Mas, tendo eu visto que o seu vídeo mais recente era sobre a questão do TGV, não resisti a deixar um apontamento meu sobre o assunto.
A hiperligação que deixo no comentário mais recente é <esta>.
E, o artigo que usei como fonte para citar e afirmar tais coisas pode ainda ser encontrado <aqui>.

(Cliquem na imagem, para a ampliar.)

pinocchio.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 18:32

Sol de pouca dura

15.10.17

joana_marques_vidal.png

É o que tenho eu a dizer, a quem esteja agradado com o que se está a passar relativamente ao megaprocesso judicial resultante da "Operação Marquês".
A investigação policial que esteve na origem deste processo apenas foi bem-sucedida porque a actual Procuradora-Geral da República, Joana Marques Vidal, foi nomeada em 2012 por Cavaco Silva, quando este era Presidente da República.
Isto porque, a Polícia Judiciária em Portugal trabalha sob a orientação do Ministério Público, cujo líder máximo é quem ocupa o cargo de Procurador-Geral da República (PGR). E, reparem em como foi o anterior PGR, Pinto Monteiro, quem deu a indicação para que se destruíssem escutas telefónicas no decorrer do processo "Face Oculta", que deveriam ter sido usadas para acusar José Sócrates anteriormente.
Tal como já dizia eu, há vários anos, no 7º comentário a <esta> colocação - e tal como poderão facilmente deduzir todos os que estejam atentos ao que Cavaco Silva publica (reparem em como José Sócrates ficou todo fulo com tal publicação) - apesar de não ser este Presidente da República propriamente um "empecilho" aos planos da Nova Ordem Mundial (pelo contrário, foi ele quem, sem efectuar sequer um referendo, meteu Portugal na União Europeia) não faz este último parte do clube dos bilderbergers e afins - e, por isso, nem sempre joga a favor dos últimos.
Ora, depois de ter cometido um erro ao nomear Pinto Monteiro para PGR anteriormente, parece que acertou Cavaco Silva na sua intenção de nomear alguém íntegro e honesto para este cargo, ao ter depois escolhido Joana Marques Vidal, em 2012. E, em clara consequência disso, temos assistido, desde então, a toda uma série de processos instaurados contra altas figuras do poder estabelecido, com já algumas condenações em resultado disso (Maria de Lurdes Rodrigues, Duarte Lima).*
Mas, infelizmente (e por culpa das mesmas pessoas indirectamente responsáveis por este avanço), todos estes desenvolvimentos positivos irão ter um fim...
Pois, tendo o povo português, entretanto, cometido o muito estúpido acto de eleger Marcelo Rebelo de Sousa para Presidente da República, assim que chegar a vez de este nomear um PGR, obviamente que não irá este membro do Clube Bilderberg fazer o mesmo que Cavaco - mas, antes nomear alguém que receba ordens do poder estabelecido e intervenha a favor do mesmo, quando tal for preciso. E, o termo do mandato da actual PGR... É já no próximo ano de 2018.

* (E, reparem em como, apesar de terem sido Lurdes Rodrigues e Duarte Lima condenados... Lurdes Rodrigues veria depois a sua pena ser anulada por uma juíza com uma forte ligação ao PS e Duarte Lima veria a sua pena ser substancialmente reduzida pelo muito conhecido juíz Rui Rangel.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 10:49

Assim se vê o afundamento (ou suicídio?) político do PC

11.10.17

pcp.jpg

Concordem ou não as pessoas com as posições que, até recentemente, eram defendidas pelo PCP, uma coisa que ninguém podia negar (e isto, oiço até da parte de pessoas que me são próximas e que são fortemente anticomunistas) era que, ao menos, era este um partido formado por pessoas coerentes e fiéis aos seus princípios. Pois, por mais ou menos votos que tivessem (no passado recente, isto é) nunca abandonavam (e bem, na minha opinião) os seus princípios, continuando sempre a bater-se pelos mesmos.
Mas, eis que chegamos às últimas eleições legislativas, de 2015, e somos surpreendidos com a inédita atitude do PCP (a nível deste tipo de eleições nacionais) de formar uma coligação com o partido que toda a gente sabe ser centrista, mas dito "socialista", o PS.
Que já tinha havido anteriores tentativas, da parte do PS, Bloco de Esquerda e seus satélites, como o "Partido Livre", de formar uma suposta "união das esquerdas", sabia eu. Mas, o que pensei foi que o PCP fosse se manter coerente, como sempre, com os seus princípios - e que, consequentemente, não se fosse deixar levar por esta ideia, que toda a gente minimamente atenta e consciente politicamente sabe ser uma farsa, por não ser o PS (que privatiza empresas, em vez de nacionalizá-las, quando está no governo) um partido que se possa considerar de "esquerda" (sendo este também o caso do dito "Bloco de Esquerda", que mais recentemente já se começava a assumir antes como "social-democrata").
Pois, pelos vistos, estava enganado. E, a "tacanhez" e rigidez política da parte dos comunistas deste país, que sempre se limitaram a seguir fórmulas, que já vão a caminho de um século de existência (pelos fundadores do seu partido criadas), foi quebrada - mas, não para melhor... E, em vez de terem os militantes desta ideologia adoptado novos métodos de luta, adequados ao século XXI, que passem por novas fórmulas que não impliquem uma cedência dos seus princípios (ex: criar sítios de notícias e análise na Internet, do tipo Infowars.com ou GlobalResearch.ca, de orientação comunista ou socialista) decidem estes fazer o que era, até agora, impensável... Começar a trair (ou ceder em) os seus próprios princípios, no que toca à sua actividade política.
E, dito isto, tenho eu apenas a dizer o seguinte - que sei que não irá ser lido pelos militantes de tal partido, mas que aqui deixo, para saberem outras pessoas qual é a opinião que tem sobre isto alguém que ainda se assume como "socialista libertário", atento à corrupção que assola este país...


Militantes do PCP,

A partir do momento em que começa uma pessoa, grupo ou partido - por questões políticas ou para ganhar alguns (muito) pequenos avanços - a ceder nos seus princípios, deixa de haver (realmente) um limite para até onde poderá ir tal incoerência. Pois, a lógica que se adopta, desde o início, é sempre a mesma. Se se faz esta pequena cedência aqui, por causa disto, também se pode então fazer mais outra pequena cedência ali, por causa daquilo. E, passo a passo, quando derem por isso, já em muito se terão vocês desviado daquele que era o vosso caminho inicial. E, quando forem finalmente pôr as mãos na cabeça por causa disto, já não irão ser capazes de se reconhecer como eram dantes. Isto é, quando derem por vós, depois de irem fazendo pequena cedência após pequena cedência, irão estar transformados em algo que não era o que queriam ser, inicialmente. E, mesmo que decidam depois voltar atrás em tudo isto, quem vos garante que os vossos herdeiros políticos não irão enveredar outra vez por esse caminho? Afinal de contas, vocês já deram o (mau) exemplo. E, quando voltarem tais herdeiros políticos a enveredar por esse caminho, que garantia têm vós de que irão eles parar na mesma altura que vocês decidiram parar?

Também, muito importante, com que cara, orgulho e coerência é que, a partir de agora, poderão vocês continuar a assumir-se como um partido dito "revolucionário" - depois de, não só serem cúmplices com, como serem até autores ou proponentes de medidas reformistas? A vossa reputação política fica, com isto, em muito manchada, perante quem é verdadeiramente socialista e revolucionário. Pois, o "PS" a quem se decidiram aliar, não só é uma farsa de partido - que de "socialista" apenas tem o nome - como (toda a gente bem informada sabe) está feito com os grandes interesses económicos que dominam a nossa sociedade.

E, ainda mais importante de notar, é o seguinte... Esta iniciativa de "unir" as supostas esquerdas, partiu de partidos que não o vosso - que foram o Bloco de Esquerda mais o seu satélite "Partido Livre" e o próprio PS. Ora, se foi a própria falsa esquerda quem teve esta ideia de vos meter no mesmo saco do que a mesma, é porque certamente, de algum modo, isto é vantajoso e benéfico para a mesma (deixo neste texto, mais abaixo, uma dica para a explicação) - e não para vocês, que (supostamente) defendem ideias opostas a ela. Ou seja, se foi a falsa esquerda quem teve e vos propôs esta ideia, é porque é ela quem irá usar-vos na implementação de e ganhar com a mesma - e não o contrário. (E, isto é da mais simples e elementar lógica que qualquer pessoa minimamente inteligente deve ser capaz de recorrer a e reparar em.) E, não será a vossa inteligência capaz de perceber que, se teve esta "união das esquerdas" como resultado expectável a desilusão da parte dos vossos militantes mais fiéis aos princípios comunistas (que obviamente se traduziu num abandono do apoio por partes destes e numa redução dos seus votos) terá sido tal resultado também um dos objectivos de quem teve a ideia desta suposta "união"?

Também, que história é esta de, em vez de defenderem ideias mais coerentes com os vossos princípios revolucionários, de tornar os salários menos desiguais, em termos do valor recebido, são vocês próprios quem sugere ideias típicas da falsa esquerda, de insentar de impostos as pessoas que menos ganham, em vez de lutar pela subida dos salários das mesmas, para que possam estas pagar confortavelmente tais impostos? Estar a fazer quem mais estuda e trabalha ter de pagar por quem menos o faz é estar a pôr trabalhadores a serem roubados por outros trabalhadores. E, não deveria o dinheiro de tais impostos, através da subida dos salários de quem menos ganha, ser antes pago (originalmente) pelas entidades empregadoras - isto é, pelos capitalistas, vossos supostos inimigos (e não pelos trabalhadores, vossos supostos protegidos)?

E, depois admiram-se de perder Câmaras Municipais, por ter uma boa parte desses trabalhadores não gostado destas vossas (inusitadas e incoerentes) tomadas de posição e (manifestamente injustas) medidas reformistas de carácter de "Estado Social", típicas da falsa esquerda (que o que quer é desincentivar o progresso na sociedade - ao roubar, cada vez mais, de quem mais se esforça por fazer avançar a mesma)?

Obviamente que, no infeliz panorama político que temos, pouca gente que seja socialista gostará que vocês percam votos. Mas... Associam-se aos corruptos e depois não querem ser vistos também como mais uma farsa de partido?


Pois mal, PCP. De progressistas sempre tiveram vocês pouco. Mas, parece que agora também de coerentes vão tendo cada vez menos...

P.S. - Essa história do vosso partido satélite "Os Verdes" continuar a falar em "aquecimento global" antropogénico - quando já toda a gente bem informada sabe que isso é uma enorme mentira - gostava eu um dia de entender...

Autoria e outros dados (tags, etc)

O princípio do fim (oficial) da privacidade electrónica em Portugal

16.08.17

electronic_eye.jpg

Um comentário que deixei, à notícia de anteontem de que o Presidente da República aprovou a lei que permite às secretas nacionais terem agora acesso oficial aos "metadados" das telecomunicações de todos os portugueses, independentemente de serem ou não estes suspeitos de qualquer crime.
(Tenham em atenção que, as pessoas que nos governam são tudo menos honestas... E, toda a gente bem informada sabe que o SIS - este sim, uma organização criminosa - efectua repetidamente escutas ilegais às telecomunicações dos cidadãos - em violação do Artigo 34.º da Constituição.)

 

Fernando Negro 15 de Agosto de 2017 às 23:04

Não é preciso esperar pelo "longo prazo" para saber como é que tudo isto vai acabar... Pois, qualquer pessoa que esteja atenta e que seja inteligente consegue ver a tendência indicativa de para onde caminhamos (de volta).


Vejam, por exemplo, a outra lei que Marcelo promulgou nesse mesmo dia, de proibir os pagamentos em dinheiro superiores a 3 mil euros (http://www.jn.pt/nacional/interior/proibidos-pagamentos-em-dinheiro-superiores-a-3-mil-euros-8705183.html) - obviamente, com o objectivo de que fiquem tais pagamentos (obrigatoriamente electrónicos) registados em bases de dados bancárias, que já começaram a deixar de ser privadas (https://pplware.sapo.pt/informacao/ultima-hora-governo-aprova-acesso-as-contas-bancarias/). E, reparem em como já lá vão anos em que, para qualquer pagamento significativo, somos agora obrigados a dar o nosso número de contribuinte, para que fique tudo registado em bases de dados estatais.

O "Estado Policial" já chegou. E, o próximo passo será, obviamente, a abolição da Democracia (lembram-se da declaração de Manuela Ferreira Leite, há uns anos, de que talvez fosse melhor "suspendê-la" em certos casos? - https://www.youtube.com/watch?v=A5naDDnigsw). Sendo que, o mais provável, é que seja este segundo passo dado sob o pretexto de uma qualquer "emergência", causada por ataques terroristas de origem duvidosa (http://blackfernando.blogs.sapo.pt/quem-realmente-esta-por-tras-destes-85197) que servirão para instalar um dito Estado de Emergência, supostamente "temporário", do qual nunca iremos sair (vejam, por exemplo, o caso do Egipto que, antes da queda de Mubarak, estava em "estado de emergência" há 31 anos - http://www.bbc.com/news/world-middle-east-18283635).

Se quiserem saber o quão o primeiro passo facilita o segundo, não têm de ir mais longe do que as palestras de Richard Stallman em que este tem, repetidamente, avisado as pessoas disto mesmo: https://vimeo.com/28195912

E, se duvidarem de que tudo isto obedece a um plano pré-determinado, podem começar por ler um livro cuja primeira versão foi *censurada* em Portugal (https://fotos.web.sapo.io/i/o41140ea4/17596647_i1zW0.jpeg) e que foi escrito por um autor que, repetidamente, tem provado a sua credibilidade (http://web.archive.org/web/20131105185520/http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=24&t=10579).

Os Direitos e Liberdades nunca foram algo de imutável ou garantido. E, duram apenas o tempo que o povo em causa permitir que estes durem. Já um dos Pais Fundadores da primeira Democracia moderna do mundo dizia que: "The tree of liberty must be refreshed from time to time with the blood of patriots and tyrants". E, historicamente, têm sido vários os casos em que Democracias (ocidentais e não só) se transformaram em Ditaduras - incluindo no nosso país, na primeira metade do século passado.

Os passos estão a ser dados à vista de todos. Resta agora saber o que irão as pessoas fazer relativamente a isto (antes que seja tarde demais)...

Autoria e outros dados (tags, etc)