Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Está na hora de começar a descarregar, comprar e arquivar

14.10.20

Um excerto de uma carta electrónica, que enviei a quem me é próximo, menos de 3 semanas após ter sido declarado, em Março último, o Estado de Emergência no nosso país - e que serve como um bom resumo do que eu tenho vindo a dizer em colocações anteriores.

 

...todos os anos morrem milhares de pessoas por gripe, e não é por isso que os governos mandam toda a gente ficar em casa.

O que verdadeiramente se passa, é que a Economia Capitalista que temos está montada na expectativa de eterno "crescimento económico". E, num mundo de recursos finitos, é impossível manter tal sistema económico eternamente. Ora, tudo o que são ecologistas e cientistas sociais honestos tinham vindo a avisar, nas últimas décadas, que os recursos naturais do Planeta iriam entrar em declínio algures na primeira metade do século XXI. E, estando a Economia Mundial a mostrar sinais de Colapso há já mais de uma década, é óbvio que essa altura chegou.

A Economia, aliás, já era suposto ter colapsado em 2008. Razão pela qual houve a onda de desemprego que houve, nessa altura - da qual nunca recuperaram verdadeiramente os vários países. (Os salários em Portugal baixaram muito, desde então. E, só não há elevado desemprego no país, porque *imensa* gente emigrou para países com alguma falta de mão-de-obra. Sendo também que, em Portugal tal não se tem notado tanto porque, em consequência das revoltas e convulsões sociais resultantes do ligeiro Colapso que tem ocorrido, os turistas têm fugido dos tradicionais destinos turísticos europeus e mediterrânicos de excelência, e escolhido antes Portugal para passar férias, o que tem beneficiado temporariamente a nossa Economia.)

Como digo, a Economia que temos foi montada na expectativa de eterno crescimento económico. E, para sustentar tal crescimento económico, é preciso usar uma cada vez maior quantidade de recursos naturais. Ora, a partir do momento em que tais recursos naturais começam a escassear, não só deixa a Economia de crescer, como (por já se ter esgotado uma boa parte destes recursos, ou terem estes entrado em declínio) começa tal Economia a "decrescer" - ou, por outras palavras, a entrar em Colapso.

 

Seguido do que seria um outro aviso que poderia também ter enviado - mas que, como estou cansado de fazer tal coisa, é um dos que, a partir de agora, só irei publicar aqui.

 

Para quem valorize Cultura (https://blackfernando.blogs.sapo.pt/o-acesso-a-cultura-e-ao-conhecimento-147909),

Escrevo o seguinte Aviso, ou chamada de atenção.

Com o Colapso Económico que já teve início (sob um falso pretexto - que visa, em parte, criar um colapso controlado da Economia, seguindo o mesmo princípio das avalanches controladas),

A Internet, tal como a conhecemos (como um grande repositório de Informação, ou o equivalente moderno a uma Biblioteca de Alexandria) irá em breve, obviamente, deixar de existir (https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1284498273538121728). E, passará a ser esta rede pouco mais do que um meio de controlo e vigilância das pessoas (propósito esse, aliás, com o qual foi inicialmente criada: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/uma-muito-importante-e-interessante-127429) para além de um meio, imensamente censurado (https://twitter.com/TheJASPO/status/1306625578854907905) de divulgação da moderna e decadente "cultura" de lixo que temos (Netflix, YouTube e afins).

E, se pensam que o tipo de obras distópicas (de "ficção científica") como a seguinte mais recente versão de Fahrenheit 451, que visam mentalizar (https://www.bertrand.pt/livro/o-instituto-tavistock-daniel-estulin/14530212) as pessoas para um Futuro que está planeado, são demasiado abusivas no tipo de futuro que descrevem...

 

 

Pensem, outra vez.

Da mesma maneira que a circulação de dinheiro físico está a ser cada vez mais restrita (https://www.jornaldenegocios.pt/economia/justica/detalhe/o-que-nao-pode-mesmo-pagar-em-dinheiro-vivo) obrigando as pessoas a usar antes dinheiro electrónico - e, como tal, tem o dinheiro físico obviamente os seus dias contados,

É muito possível que, com o pretexto das tretas ambientalistas, seja uma questão de tempo até que se comece a restringir (e eventualmente proibir) a produção de livros físicos, com a desculpa de que estar a cortar árvores constitui um crime ambiental etc.

E, assim que começarem as pessoas todas a usar antes leitores de livros electrónicos (eu, de qualquer modo, também tenho um - pois, dá muito jeito para se poupar dinheiro) com a quantidade de "portas dos fundos" que vão cada vez mais tendo os pequenos computadores que as pessoas usam (https://www.gnu.org/proprietary/proprietary-back-doors.en.html) será esta mais uma maneira do poder instituído controlar (i.e. vigiar e censurar) o que as pessoas lêem (https://www.defectivebydesign.org/amazon-kindle-swindle).

Por isso,

Se sabem de informação de muito interesse que queiram salvaguardar para o Futuro,

Sugiro que comecem a descarregar a mesma para fora da Internet (exemplo de um software que podem usar: https://www.httrack.com/) e a comprar cópias físicas dos vários livros com informação mais valiosa e importante que conheçam.

Pois, com o Colapso Económico que já teve início, não vai ser preciso esperar pelo possível Futuro que descrevo. Mas antes, basta que comecem as várias companhias que alojam informação na Internet e também as várias editoras a falir (https://expresso.pt/economia/2019-12-27-Europa-America-entra-em-insolvencia) para que a informação valiosa e os livros que vocês pensam que irão estar sempre disponíveis possam deixar de existir.

Boas leituras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A verdade está a frente de todos os que param para pensar (e as explicações ao alcance daqueles que se esforçam por se informar)

19.09.20

Uma carta que enviei, há pouco, a quem me é próximo.

 

Assunto: Mortalidade do novo coronavírus não é pior do que a da gripe

Um breve resumo, do que tenho tentado dizer em correspondência anterior.

1) A maior parte das pessoas que apanham este vírus é assintomática - https://www.irishtimes.com/news/health/coronavirus-cases-may-be-tens-of-times-higher-than-previously-thought-study-says-1.4232557 - e, ajustando a taxa de mortalidade reportada pelos governos, tendo em conta estes assintomáticos:

"Stanford researchers said their findings show a death rate of just 0.12 per cent to 0.2 per cent".

2) Tem sido revelado que a grande maioria das pessoas que são incluídas nas estatísticas oficiais de mortalidade para este novo vírus morreram também com outras doenças graves - https://expresso.pt/opiniao/2020-09-01-So-6-morreram-por-acao-exclusiva-da-covid-19 - levantando-se, por isso, a legítima suspeita de que grande parte destas mortes reportadas não terá sido realmente devido ao novo vírus. Pois, tal como foi reportado - https://ionline.sapo.pt/artigo/693471/vao-ser-retomadas-as-atividades-suspensas-no-sns - pela própria imprensa de massas:

"Graça Freitas começou por esclarecer a taxa de letalidade em Portugal e dá o exemplo que uma pessoa com uma doença em estado avançado, mesmo que venha a falecer dessa doença, se estiver infetada com covid-19 entra nos números de óbitos registados no país."

Ora, tendo em conta estes dois factos e sabendo-se - https://www .nytimes.com/article/coronavirus-vs-flu.html - que:

"On average, seasonal flu strains kill about 0.1 percent of people who become infected."

Que cada um faça as suas contas e tire as suas próprias conclusões... E, já agora, se interrogue sobre se se justificam todas as medidas de restrição impostas pelos governos.

(Mas, atenção. Estou apenas a falar da taxa de mortalidade, que é o que normalmente interessa relativamente a qualquer doença. Não estou a falar da maior ou menor facilidade de transmissão desta doença - que parece, no caso deste novo vírus, ser maior do que a da gripe. E, por isso, quem esteja rodeado de pessoas idosas deve ter cuidado.)

 

Seguida de uma hiperligação para um comentário onde, há poucos dias, explicava eu as reais razões de ser para as medidas impostas pelos governos.

 

https://raquelcardeiravarela.wordpress.com/2020/09/10/caso-de-estudo/#comment-14995

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 00:39

Eu também avisei disto...

15.03.20

Assunto: Como deverá ocorrer o Colapso

Olá, outra vez.

Então, pelo que percebo, este Colapso (do mundo tal como o conhecemos: https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1238185952981508103) não deverá acontecer repentinamente, no momento presente (https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1236814196039389184) e o fim disto tudo está previsto para o próximo Outono-Inverno (https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1238187615813279744) - o que, coincidência ou não, é quando se prevê (tal como no caso da gripe) que ocorra o próximo surto real deste novo vírus.

Pelo que escreve a minha fonte, parece que as coisas irão ser mais repentinas lá para o final disto tudo (https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1237086999196176391). Mas, dada a óbvia incerteza - e consequente imprevisibilidade - de tudo isto, é também sempre possível que este inevitável Colapso que irá ocorrer (https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1238195491160174592) se desenrole de modo algo gradual(?)...

De qualquer modo, se querem ir estando a par das últimas previsões e informações que os média de massas não reportam, sugiro que passem a estar atentos à conta no Twitter que me serve de fonte - e melhor avisou toda a gente do que já está a acontecer:

https://twitter.com/EstulinDaniel

Sobre o que os média não relatam, quem tiver conhecimentos de Ciência (ou for capaz de se informar por si próprio/a) pode espreitar as denúncias - para as quais esta minha fonte também chamou a atenção - de que, analisando a variabilidade genética (haplótipos) das diferentes variantes (várias estirpes) deste novo vírus, as indicações são de que este terá originado nos EUA e não na China: https://twitter.com/zlj517/status/1238292025817968640 + https://twitter.com/zlj517/status/1238269193427906560

Também, a repetir a acusação (que mencionei em carta anterior) de que o surto deste vírus na China terá sido obra dos anglo-americanos, já vieram um alto representante da China e também o governo iraniano acusar os EUA de estarem na origem dos surtos nos seus países respectivos: https://twitter.com/Partisangirl/status/1238949967177191424 + https://www.zerohedge.com/geopolitical/us-army-behind-covid-19-wuhan-chinas-foreign-ministry-levels-bombastic-charge

E, sobre o que eu dizia deste surto ser muito conveniente,

Reparem como o mesmo está a ser usado para decretar "quarentenas" que equivalem à Lei Marcial que obriga as pessoas a ficarem em casa (com o conveniente extra de que, deste modo, são as próprias pessoas que não querem sair de suas casas) - o que minimiza os tumultos sociais que, de qualquer modo, irão ocorrer por causa do Colapso Económico.

E, reparem em como o argumento do surto não bate certo com o estarem agora a encerrar lojas mais cedo. Pois, quanto mais alargado for um horário de atendimento ao público, mais dispersa é a frequência temporal do sítio em causa - e, consequentemente, menos contacto têm as pessoas umas com as outras. Logo, o único efeito real que esta medida vai ter, é provocar despedimentos laborais.

Se querem saber qual é a principal razão de fundo para este surto, podem informar-se sobre as dívidas impagáveis que a Economia capitalista actual, montada numa expectativa de eterno crescimento, possui: https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1238838779005280257 + https://twitter.com/search?q=desgrabar%20from%3AEstulinDaniel&f=live

E, tudo isto, para dizer que,

O Colapso do qual eu tanto vos avisei já chegou. E, se é também esperado que nesta Primavera se ultrapasse o pico deste surto biológico (os média de massas deverão começar a ser mais contidos nos seus alarmes daqui a uma semana: https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1238839870963027969) talvez tenham ainda o final desta Primavera e este Verão para algumas medidas de última hora, que queiram tomar como precaução para este Colapso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 12:35

"Invista numa Economia em Colapso. Compre papel comercial."

18.10.19

Um anúncio dirigido a otários mal-informados, que nem ideia fazem do que aí vem - e que, para além disso, tenham a conhecida "memória de peixe" típica de quem repetidamente vota em partidos do sistema (e não se lembrem, por isso, de que esta é a mesma Mota-Engil cujas acções colapsaram, na Bolsa de Lisboa, em 2016).
Um segundo "caso BES" a ocorrer perante todos, que irá permitir aos actuais detentores do capital passarem a mais-que-prevista grande perda de valor - ou mesmo falência - para os novos, armados em capitalistas espertalhões, que queiram (supostamente) fazer dinheiro fácil à custa do trabalho dos outros.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 17:26

Apenas um extra: Não existe tal coisa como uma "camada do ozono"

28.09.19

ozono.jpg

[Junção de dois comentários que fiz a uma notícia de que o "Buraco na camada de ozono está a ficar mais pequeno"...]

 

Não existe, nem nunca existiu, tal coisa como uma “camada de ozono” – i.e. a presença de ozono na atmosfera nunca foi uniforme: https://edisciplinas.usp .br/mod/resource/view.php?id=1616921

É mais uma falácia ambientalista. Esta, uma que surgiu porque as patentes para os gases de refrigeração que são outorgadas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) duram 20 anos. E, tendo as patentes dos CFC expirado nos anos 1980, foi preciso criar um pretexto para que as pessoas fossem obrigadas a usar novos gases de refrigeração (os HFC) e continuassem a pagar pela propriedade intelectual de tais gases.

(Oiçam e leiam o que têm a dizer, por exemplo, o climatologista Prof. Ricardo Felício ou o meteorologista Prof. Luiz Molion.)

As moléculas de CFC são mais pesadas do que o ar. E, por isso, tendem a descer aos níveis inferiores da troposfera. Ou seja, por serem demasiado pesadas, as moléculas de CFC não sobem até à estratosfera, onde está localizada a suposta “camada de ozono”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sindicalismo de curtos horizontes nunca irá resolver as coisas

22.08.19

greve-motoristas.jpg

(Óbvia justeza de, e óbvia solidariedade que se deve ter para com, as recente e futura greves deste sindicato de camionistas à parte... Venho só chamar a atenção de que,)

O sindicalismo reformista (em oposição ao revolucionário, praticado por comunistas e anarquistas, que pretende também implementar uma alternativa política) não resolve, nem nunca irá resolver, realmente os problemas...
Pois, todas as "conquistas" feitas são sempre meramente temporárias, podendo ser retiradas quando o Povo está desatento - sendo uma boa prova disso mesmo, o enorme retrocesso que houve após a privatização da Galp, com estes camionistas hoje, em pleno século XXI, a trabalhar em condições que mais fazem lembrar o século XIX.
Para além de que, por ser este tipo de sindicalismo praticado por pessoas que não têm verdadeira consciência política, há sempre toda uma outra série de maneiras através das quais os trabalhadores poderão ser atirados de volta para a miséria, das quais estes não têm conhecimento.
Segue-se um comentário que hoje deixei a mais uma colocação da historiadora Raquel Varela sobre a anunciada nova greve dos camionistas.

 

«E aqui reside toda a questão da justiça – para que serve um Estado se não é para garantir uma sociedade de bem-estar?»

O que ainda temos, serve claramente – tal como no caso dos regimes assumidamente fascistas – para que o Grande Capital possa, através desse mesmo Estado, melhor controlar as pessoas.

Mas, no regime neofeudalista que está planeado (pelo Clube Bilderberg e afins: https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1096448713419964416) com as multinacionais a serem os novos senhores feudais, irá o Estado ser praticamente extinto, para que fiquem as pessoas quase totalmente à mercê dos seus novos senhores feudais – o que está a ser já conseguido através da falência propositada dos Estados, causada pela contracção de dívidas que toda a gente bem informada sabe serem impagáveis.

E, quando tal acontecer efectivamente, não irá haver leis do Estado às quais os trabalhadores explorados possam mais recorrer para se defender.

Disto (e doutras coisas) anda a avisar um conhecido investigador, cujo documentário até já passou na RTP: https://www.rtp.pt/programa/tv/p34917

Mas, como este tipo de sindicalistas ocupam os seus tempos livres a ver futebol, em vez de a informarem-se sobre o que é importante – ou a pensar em alternativas políticas...

(E, que tal nacionalizar a indústria petrolífera, para acabar de vez com estes problemas?)

...Boa sorte, a estes, para tentar impedir tal de acontecer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 11:57

OTAN com (muita) dificuldade no recrutamento em Portugal

20.07.19

Chefe das Forças Armadas diz que a situação “é insustentável”

 

Como filho e neto de quem serviu nas Forças Armadas portuguesas (tendo inclusivamente ambos os meus antepassados mais recentes, na ascendência do meu cromossoma Y, sido condecorados em tal serviço) aproveito para (partilhar também, até porque sei que não sou, nem de perto, o único filho de um oficial militar que não quis ser também militar e que tem até uma impressão negativa das actuais Forças Armadas portuguesas, em particular) perguntar e dizer o seguinte:

1) De que maneira é que as Forças Armadas deste país nos protegem de invasores, quando temos uma base militar estrangeira em território nacional e já chegámos ao cúmulo de ter até uniformes de tropas portuguesas com descrições das unidades em língua estrangeira?

2) Proteger ou defender a Pátria, era o que se fazia antigamente, antes de nos termos tornado fantoches dos anglo-americanos - pois, por exemplo na Guerra do Ultramar (ou o que lhe quiserem chamar) ainda se podia justificar a mesma como sendo para defender o que era considerado território português de guerrilhas-fantoche de potências estrangeiras, que visavam o acesso aos recursos naturais de tal território. Servindo agora as presentes Forças Armadas, irónica e também traiçoeiramente, elas próprias como fantoches de uma dessas potências (os EUA, pela qual fomos parcialmente conquistados) no seguimento da mesma política de controlo de recursos naturais. (E, já o disse noutro sítio e repito aqui: "Patriota é quem defende o seu país de exércitos estrangeiros. Quem invade outros países não é patriota, é imperialista.")

3) Para além de algumas reservas de lítio significativas, Portugal não tem recursos naturais de interesse (o pouco petróleo que temos fica a dezenas de quilómetros da costa). E, como tal, ninguém quer invadir um (atraso de) país destes - e, com isso, estar a contrair uma dívida externa que é impagável. E, a melhor prova de que este é um país que não interessa a ninguém, está na quantidade de nativos que o têm abandonado nos últimos anos (um exemplo, dos enfermeiros).

4) Se fosse alguma vez instituído novamente o serviço militar obrigatório neste país, enquanto fizer o último parte da (agora ofensiva) OTAN e perseguir políticas (imperialistas) de ataques a países que não representam qualquer perigo para o nosso, prefiro ser FUZILADO a servir nas Forças Armadas da OTAN (que é do que estamos realmente a falar - pois, é praticamente apenas como dependência desta organização, essencialmente estadunidense, que as actuais Forças Armadas têm utilidade).

5) (Baixos salários e más condições de trabalho, que levam muitas pessoas a sair, à parte...) Enquanto não começarem a controlar o acesso à informação na Internet, esta tendência, de não querer ninguém servir nas Forças Armadas da OTAN, só irá aumentar. Visto que, com o muito maior acesso à informação alternativa, proporcionado pela Internet, já sabe muita gente das verdadeiras razões para as várias guerras da OTAN. Tendo sido até depois de ter visto, com os meus próprios olhos, (em 1999?) o famoso "Anexo B" do pretendido Acordo de Rambouillet, disponível na sua totalidade na Internet, que me dei conta da verdadeira natureza (assassina e ofensiva) da OTAN, que mata sem necessidade, para satisfazer propósitos ocultos.

E, depois de dito tudo isto...

Aproveito para desejar QUE SE AFUNDE A OTAN, na sua falta de efectivos - sentida, aliás, também já noutros países da Europa. (Aproveitando também para repetir que, nem na melhor das minhas condições físicas, contassem alguma vez comigo.) Pois, se é para ser:

(a) "carne para canhão" de políticos corruptos, ao serviço do Grande Capital (ver o muito explícito exemplo das multinacionais que retomaram a exploração dos campos petrolíferos da Líbia);
(b) protector de campos de cultivo do ópio (no Afeganistão) e criador de rotas do tráfico de droga;
(c) ou, ainda pior, responsável pelo cerco militar do quase único país decente da Europa (a Rússia, que nunca se rendeu à Nova Ordem Mundial) tendo como consequência, cada vez mais provável, uma Guerra Nuclear que irá resultar na destruição física do Ocidente (causando a morte de quase todos aqueles que supostamente estariam a defender tais Forças Armadas).

...Não, obrigado.

No dia em que quiserem expulsar os EUA da ilha Terceira e deixaram de ser vassalos da (imperialista) OTAN, contudo, podem contar com a minha ajuda.

E, já agora...

VIVA O BRAVO E PATRIOTA POVO RUSSO QUE CONTINUA A RESISTIR EM DONBASS!

(No que toda a gente bem informada sabe ser uma guerra encoberta da OTAN.)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Treta da TVI

13.04.19

pinhal.jpg

Faz hoje um ano que a reportagem da TVI intitulada "A Máfia do Pinhal" (na qual é dito que o grande incêndio ocorrido no Pinhal de Leiria, em 2017, terá sido obra da indústria madeireira) foi exibida.
E, passado um ano inteiro, nenhum caso de Justiça surgiu em consequência do que é supostamente denunciado nesta reportagem...
Sou eu o único a achar que a jornalista Ana Leal, da TVI (que, ao aceitar trabalhar para uma estação de televisão destas, revela logo possuir uma inteligência limitada) foi enganada com o que serão falsos testemunhos, de pessoas que (muito convenientemente) não dão a cara e que contam uma história com várias inconsistências?
(Afinal de contas, os supostos testemunhos são material suficiente para um caso que acabe em Tribunal. Logo, por que razão não temos tal caso a surgir na Justiça? Por acaso, foram tais supostas testemunhas entretanto mortas, por terem sido estúpidas ao ponto de anunciar previamente o que podiam também denunciar às entidades judiciais? Por que razão denunciam elas isto à estação de televisão TVI - mas, aparentemente, não à Justiça?)
Sou também eu o único a achar que tudo isto terá sido uma maneira de desviar a atenção do conteúdo da anterior boa reportagem que a mesma jornalista da TVI fez - essa sim, que aponta o dedo aos que deverão ser os verdadeiros culpados de grande parte desta série de incêndios?
(E, sobre o outro maior incêndio que ocorreu no mesmo ano... Que conveniente foi que tenham as autoridades decidido esperar 2 horas(!) antes de accionar os meios aéreos em Pedrógrão Grande - dando tempo ao fogo para muito se alastrar e consequentemente necessitar de um muito maior trabalho de combate ao mesmo... Também, que conveniente foi que a Polícia Judiciária se tenha logo apressado a apontar uma causa falsa para tal grande fogo - e tenha, deste modo, evitado o que teria sido uma enorme revolta popular, face a um incêndio que se insere numa já cansativa série de fogos florestais que toda a gente sabe serem na sua maioria de origem criminosa...)

 

[Nota importante: Eu não enuncio, propositadamente, as restantes inconsistências na reportagem de que falo (para além das principais e muito óbvias, relativas aos supostos testemunhos, que menciono) para com isto tentar estimular alguns neurónios e desenvolver algum sentido crítico, entre quem isto leia. Mas, como é num país de gente muito [explícito] que sei que vivo, já sei que quase ninguém irá ser capaz de topar as mesmas - e também que iremos eternamente assistir a este estranho fenómeno de quem, por sua livre vontade, vota em quem é claramente cúmplice em atentados contra o património nacional e, muito mais importantemente, contra a vida de todos.]

 

tweets_fogos.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 14:06

O meu parecer relativo à polémica sobre equipamentos da Huawei

31.03.19

huawei_reuters.jpg

[Dois comentários que deixei a esta notícia. Aos quais acrescento já que, sobre a questão da possível espionagem, é minha crença que as "portas dos fundos" existentes neste tipo de equipamentos (sejam elas a nível de hardware ou de software) serão partilhadas entre os vários governos em causa...]

 

«Estarão estes estudos a tentar descredibilizar propositadamente a Huawei?»

Muito provavelmente...

Já repararam até na coincidência de que tudo isto surge logo depois de que a Huawei destronou a estadunidense e ocidental Apple do lugar de segunda maior vendedora mundial de telemóveis?

Querem-nos fazer crer que a concorrência também não terá tantos ou mais problemas quanto os que foram identificados?

A Huawei, pela sua superior qualidade dos equipamentos (e também melhor relação qualidade-preço) sempre esteve destinada a chegar ao topo. E, disto me apercebi eu logo quando, por meros acaso e coincidência, o meu primeiro smartphone foi exactamente um Huawei, que muito me impressionou pela sua qualidade.

(Reparem em como quase metade dos telemóveis, e outros equipamentos, que são lançados pela estadunidense Apple, têm sempre problemas. Ou, comparem um ecrã IPS do último modelo “iPad mini” da Apple com um ecrã IPS dos primeiros modelos de smartphones da Huawei – e vejam quais é que, depois de todos estes anos, ainda continuam a ter uma qualidade superior.)

Os governos ocidentais têm acordos secretos com as companhias de telecomunicações, que obrigam estas companhias a cumprir certos requisitos para poderem vender nos países de tais governos. Por exemplo, nos telefones analógicos antigos, era obrigatório deixar dentro dos mesmos espaço suficiente para a colocação de aparelhos de escuta, caso fosse necessário. Ora, acham que se representassem estes equipamentos de telecomunicações de multinacionais estrangeiras algum perigo para a segurança dos países em causa, os governos de tais países alguma vez teriam deixado tais marcas venderem equipamentos no seu território? E que, a detectarem realmente tais governos qualquer problema sério, não poderiam obrigar as marcas em causa a resolvê-lo – e que tais marcas não o fariam prontamente, para não perderem o tão grande mercado em causa?

Ora, na falta de uma real razão para poderem correr com as *concorrentes* chinesas Huawei e ZTE, que lhes têm vindo a conquistar uma grande fatia do mercado, têm então os grandes interesses económicos ocidentais, que controlam os nossos governos e média de massas: (1) ou de se ficar pelo mero lançamento de suspeitas; (2) ou, no caso dos EUA, ir até mais longe, sem nunca poderem então apresentar provas das suas alegações...

 

*

 

Ainda, sobre o que dizia eu de que “os governos ocidentais têm acordos secretos com as companhias de telecomunicações, que obrigam estas companhias a cumprir certos requisitos para poderem vender nos países de tais governos”,

Se alguém duvida do que eu digo, tem no seguinte pequeno trecho de vídeo uma prova disto mesmo: https://cld.pt/dl/download/a0c3f4c1-09d1-4308-ad08-d2702c7304ec/la_huida.mp4

(Obviamente que, as “portas dos fundos” e afins, que venham nos equipamentos de telecomunicações, serão partilhadas com os governos dos países onde tais equipamentos são vendidos...)

 

[Acrescentado, algumas horas depois: E, tendo alguém feito um comentário a tal notícia, ao qual eu entretanto também respondi, aqui fica mais algo que gostaria de acrescentar...]

 

«...existência de backdoors nos produtos da Huawei. A confirmar-se, é grave.»

*Todos* os smartphones vêm com “portas dos fundos” incluídas.

(Não faria sentido algum aos governos dos vários países, que é sabido quererem espiar os seus cidadãos, permitir a venda de equipamentos que garantissem uma real privacidade dos seus utilizadores.)

Apple, Samsung, Xiaomi, Google... Todas vendem (também) equipamentos, ou sistemas operativos, com “portas dos fundos” incluídas: https://www.gnu.org/proprietary/proprietary-back-doors.en.html

(“Divirtam-se” a consultar a extensa e elucidativa lista, para a qual aponta a última hiperligação...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Confirmação de que a radiação dos telemóveis é cancerígena

30.03.19

Se estão à espera de que seja o próprio poder económico-político estabelecido (que tanto gosta desta tecnologia, usada para vigiar as pessoas) a admitir tal coisa, podem esperar sentados.
Restando a nós inferir esta relação: ou a partir de observações próprias; ou então ouvindo o que têm a dizer alguns cientistas independentes, a partir dos muito limitados meios ao seu dispor.

 

Cancer Cluster At California Elementary School Results In Removal Of Sprint Cell Phone Tower

 

radiation_tower.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 18:47