Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Está na hora de começar a descarregar, comprar e arquivar

14.10.20

Um excerto de uma carta electrónica, que enviei a quem me é próximo, menos de 3 semanas após ter sido declarado, em Março último, o Estado de Emergência no nosso país - e que serve como um bom resumo do que eu tenho vindo a dizer em colocações anteriores.

 

...todos os anos morrem milhares de pessoas por gripe, e não é por isso que os governos mandam toda a gente ficar em casa.

O que verdadeiramente se passa, é que a Economia Capitalista que temos está montada na expectativa de eterno "crescimento económico". E, num mundo de recursos finitos, é impossível manter tal sistema económico eternamente. Ora, tudo o que são ecologistas e cientistas sociais honestos tinham vindo a avisar, nas últimas décadas, que os recursos naturais do Planeta iriam entrar em declínio algures na primeira metade do século XXI. E, estando a Economia Mundial a mostrar sinais de Colapso há já mais de uma década, é óbvio que essa altura chegou.

A Economia, aliás, já era suposto ter colapsado em 2008. Razão pela qual houve a onda de desemprego que houve, nessa altura - da qual nunca recuperaram verdadeiramente os vários países. (Os salários em Portugal baixaram muito, desde então. E, só não há elevado desemprego no país, porque *imensa* gente emigrou para países com alguma falta de mão-de-obra. Sendo também que, em Portugal tal não se tem notado tanto porque, em consequência das revoltas e convulsões sociais resultantes do ligeiro Colapso que tem ocorrido, os turistas têm fugido dos tradicionais destinos turísticos europeus e mediterrânicos de excelência, e escolhido antes Portugal para passar férias, o que tem beneficiado temporariamente a nossa Economia.)

Como digo, a Economia que temos foi montada na expectativa de eterno crescimento económico. E, para sustentar tal crescimento económico, é preciso usar uma cada vez maior quantidade de recursos naturais. Ora, a partir do momento em que tais recursos naturais começam a escassear, não só deixa a Economia de crescer, como (por já se ter esgotado uma boa parte destes recursos, ou terem estes entrado em declínio) começa tal Economia a "decrescer" - ou, por outras palavras, a entrar em Colapso.

 

Seguido do que seria um outro aviso que poderia também ter enviado - mas que, como estou cansado de fazer tal coisa, é um dos que, a partir de agora, só irei publicar aqui.

 

Para quem valorize Cultura (https://blackfernando.blogs.sapo.pt/o-acesso-a-cultura-e-ao-conhecimento-147909),

Escrevo o seguinte Aviso, ou chamada de atenção.

Com o Colapso Económico que já teve início (sob um falso pretexto - que visa, em parte, criar um colapso controlado da Economia, seguindo o mesmo princípio das avalanches controladas),

A Internet, tal como a conhecemos (como um grande repositório de Informação, ou o equivalente moderno a uma Biblioteca de Alexandria) irá em breve, obviamente, deixar de existir (https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1284498273538121728). E, passará a ser esta rede pouco mais do que um meio de controlo e vigilância das pessoas (propósito esse, aliás, com o qual foi inicialmente criada: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/uma-muito-importante-e-interessante-127429) para além de um meio, imensamente censurado (https://twitter.com/TheJASPO/status/1306625578854907905) de divulgação da moderna e decadente "cultura" de lixo que temos (Netflix, YouTube e afins).

E, se pensam que o tipo de obras distópicas (de "ficção científica") como a seguinte mais recente versão de Fahrenheit 451, que visam mentalizar (https://www.bertrand.pt/livro/o-instituto-tavistock-daniel-estulin/14530212) as pessoas para um Futuro que está planeado, são demasiado abusivas no tipo de futuro que descrevem...

 

 

Pensem, outra vez.

Da mesma maneira que a circulação de dinheiro físico está a ser cada vez mais restrita (https://www.jornaldenegocios.pt/economia/justica/detalhe/o-que-nao-pode-mesmo-pagar-em-dinheiro-vivo) obrigando as pessoas a usar antes dinheiro electrónico - e, como tal, tem o dinheiro físico obviamente os seus dias contados,

É muito possível que, com o pretexto das tretas ambientalistas, seja uma questão de tempo até que se comece a restringir (e eventualmente proibir) a produção de livros físicos, com a desculpa de que estar a cortar árvores constitui um crime ambiental etc.

E, assim que começarem as pessoas todas a usar antes leitores de livros electrónicos (eu, de qualquer modo, também tenho um - pois, dá muito jeito para se poupar dinheiro) com a quantidade de "portas dos fundos" que vão cada vez mais tendo os pequenos computadores que as pessoas usam (https://www.gnu.org/proprietary/proprietary-back-doors.en.html) será esta mais uma maneira do poder instituído controlar (i.e. vigiar e censurar) o que as pessoas lêem (https://www.defectivebydesign.org/amazon-kindle-swindle).

Por isso,

Se sabem de informação de muito interesse que queiram salvaguardar para o Futuro,

Sugiro que comecem a descarregar a mesma para fora da Internet (exemplo de um software que podem usar: https://www.httrack.com/) e a comprar cópias físicas dos vários livros com informação mais valiosa e importante que conheçam.

Pois, com o Colapso Económico que já teve início, não vai ser preciso esperar pelo possível Futuro que descrevo. Mas antes, basta que comecem as várias companhias que alojam informação na Internet e também as várias editoras a falir (https://expresso.pt/economia/2019-12-27-Europa-America-entra-em-insolvencia) para que a informação valiosa e os livros que vocês pensam que irão estar sempre disponíveis possam deixar de existir.

Boas leituras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 19:14


comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.