Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Como confiar na Justiça, neste país?

22.04.18

justice.jpg

Um nada surpreendente episódio de claro abuso policial, em 2013, que tem como vítimas um grupo de jovens e rapazes suburbanos, atingidos com tiros de balas de borracha pelas costas, ao fugir da Polícia sem a ter agredido, e que é levado a Tribunal. Resultado final? Polícia absolvida.
Um ano antes, um outro episódio, também num subúrbio de Lisboa, que termina com um polícia a matar um rapaz de 14 anos, com um tiro à queima-roupa, rapaz esse, relativamente ao qual não há provas convincentes de que estivesse armado. Resultado final? Polícia absolvida.
(E, isto é apenas o com que, por mero acaso, me deparei de uma ou outra vez que liguei a televisão. Pois, há já uns bons anos que desisti de ver intencionalmente telejornais, para não estar sempre a apanhar com mentiras, propaganda política e notícias sobre futebol.)
Há 16 anos, aquando de uma notícia, também nada surpreendente, da absolvição da polícia de choque espanhola, depois de uma carga policial gratuita (da qual também eu tive de andar a fugir) aquando de uma concentração em Barcelona, escrevi e mantenho:

 

O sistema de "justiça" não serve para fazer justiça. Serve para reprimir os rebeldes e desobedientes a esta ordem e para manter o actual estado da sociedade em funcionamento. É mais um dos vários orgãos de repressão do Estado.
É aliás um contrasenso. Como pode haver justiça dentro de um sistema que em si mesmo, logo à partida, é injusto?

 

E, esta semana, deparo-me com a seguinte entrevista feita a alguém que também é "anti-sistema".

 

Garcia Pereira. “A Justiça é um instrumento de abate de cidadãos incómodos”

 

Sempre foi assim, em qualquer um dos regimes anteriores que tivemos (fossem eles Monarquia, Primeira República ou Ditadura Fascista). E continua este sistema de "Justiça" a funcionar com este mesmo propósito. Só mesmo quem não vê nada de mal na sociedade em que vive, e nunca tentou mudar as coisas para melhor, é que não se apercebe de uma coisa destas.
Se reprime a Justiça criminosos que também têm como vítimas os cidadãos comuns, é porque esses criminosos representam também um perigo para as elites que beneficiam deste sistema. (E, tudo o resto são, obviamente, operações de cosmética, para convencer o comum cidadão de que a Justiça também o protege - ou, por ventura, acções justas, mas muito limitadas por circunstâncias várias, da parte de quem, honesta e ingenuamente, decide fazer parte deste sistema judicial com o intuito de tentar praticar Justiça.)
Querem uma prova disso?
Voltando ao caso das polícias (pertencentes a este mesmo sistema judicial) vejam o (também esta semana reportado) caso do SEF, que atribui apenas 3 agentes à unidade de combate ao tráfico de seres humanos em Portugal (tráfico esse, que obviamente floresce no nosso país, em consequência de tal notória falta de vontade em combatê-lo).
Desde quando é que é este um crime que afecta as elites? As pessoas que são vítimas do tráfico de seres humanos, são pessoas que estão no fundo da hierarquia social - e, como tal, por estarem em situações de pobreza extrema, arriscam a sua vida de maneira que arriscam ou, até mesmo, sujeitam-se a quase tudo.
Ora, que interesse é que tem, quem controla este sistema, em combater tal fenómeno?
E, já agora, note-se também...
Para combater um tipo de crime hediondo como este, inadmissível num suposto país desenvolvido do século XXI, há falta de meios. Mas, para vigiar tudo o que são activistas que queiram mudar o actual estado das coisas, para isso, já não faltam meios.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 18:13

A própria RTP a admitir que Lula da Silva é inocente

20.04.18

(Em suma: trata-se de uma condenação baseada em meras *alegações* da parte de um criminoso - i.e. de um verdadeiro corrupto e pessoa sem escrúpulos - que, com isto, vê a sua pena de prisão ser reduzida.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 08:54

Como confiar na Polícia, neste país?

18.04.18

Respeito e consideração é algo que, logo por volta dos meus 14 anos, perdi pelas várias polícias deste país - não só pelas histórias que ouvia eu, do que fazia a Polícia na minha freguesia, como também devido ao que eu próprio, enquanto adolescente, não só testemunhei mas também fui vítima de. (E, de modo algum deixaram este tipo de histórias negativas de chegar ao meu conhecimento, através de pessoas próximas, depois de ter eu entrado em plena idade adulta.*)
E, saber de um polícia que mente em Tribunal não é para mim novidade alguma. Mas, sendo o seguinte um caso que é do conhecimento público, torna-se então agora este um fenómeno que passa a ser do conhecimento geral - e sobre o qual posso aqui elaborar um pouco...
A sorte dos agredidos, neste caso, foi que as agressões foram gravadas em vídeo. E, assim sendo, sobre as agressões em si, não pode a Polícia mentir. Mas, se não pode a Polícia, neste caso, mentir sobre as agressões, pode sempre inventar uma desculpa ridícula para o sucedido.
E, reparem bem no posto da entidade em causa: este não é um polícia qualquer - mas, antes um subcomissário desta instituição. E, se isto é como se comporta um subcomissário... Podem todos facilmente deduzir como se comporta toda a instituição.

 

 

Subcomissário alega ter sentido “medo” para justificar agressões a adeptos em Guimarães

 

* (E isto, já para não falar do caso específico da polícia de choque e de vários conhecidos episódios de cargas policiais gratuitas - incluindo espancamentos - que é sabido terem ocorrido neste país.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

etiquetas:

Para quem queira tentar mobilizar os alienados que o/a rodeiam

14.04.18

(Eu é que há muito que desisti de tentar acordar quem não o quer fazer, ou é até incapaz de. Mas, se houver quem, ao contrário de mim, tenha esperança em tais tentativas, aproveito para deixar aqui a seguinte informação de interesse...)

A seguinte é a <localização> da Embaixada dos Estados Unidos da América, em Lisboa, que fica a cerca de 600 metros da Praça de Espanha, no sentido norte-noroeste.

 

(Cliquem na imagem para a ampliar.)

embaixada_eua.png

Também, quem tiver um smartphone com os sistemas operativos Android ou iOS, pode instalar a muito boa aplicação gratuita Maps.me e, nas opções da mesma, escolher descarregar os mapas do OpenStreetMap de Portugal - e, deste modo, não precisa depois de estar a gastar dados móveis de Internet, de cada vez que quiser usar esta aplicação para se orientar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Isto é o que acontecerá ao Mundo em caso de uma Guerra Nuclear

14.04.18

nuclear_tweet.png

O seguinte é um trecho de promoção da melhor versão (a de 2000 e não a de 1959) do melhor filme que já vi, sobre a possibilidade de uma guerra nuclear neste mundo, que possui o mesmo título do livro em que se baseia, On the Beach.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não houve qualquer ataque químico na Síria

14.04.18

[E, se tivesse ocorrido um destes horríveis incidentes - que, sabem Bashar al-Assad e toda a gente bem informada, não são mais do que a desculpa perfeita para que o Ocidente possa intervir a favor da sua al-Qaeda - teriam, obviamente, sido os próprios rebeldes os autores do mesmo... É a mesma história do que se passou há 5 anos - e não só. Reparem bem na altura em que isto acontece: uns meros dias depois de Trump ter declarado que queria retirar as tropas estadunidenses da Síria...]

 

"There Wasn't A Single Corpse": Russia Claims 'White Helmets' Staged Syria Chemical Attack

by Tyler Durden [Zero Hedge]
Thu, 04/12/2018 - 04:44

Russia claims that the reported chemical attack in Syria last Sunday was staged by the "white helmets," a US-funded NGO lauded by mainstream media for their humanitarian work, while long-suspected of performing less-than humanitarian deeds behind the curtain.

Speaking with EuroNews, Russia's ambassador to the EU, Vladimir Chizov, said "Russian military specialists have visited this region, walked on those streets, entered those houses, talked to local doctors and visited the only functioning hospital in Douma, including its basement where reportedly the mountains of corpses pile up. There was not a single corpse and even not a single person who came in for treatment after the attack."

"But we've seen them on the video!" responds EuroNews correspondent Andrei Beketov.

"There was no chemical attack in Douma, pure and simple," responds Chizov. "We've seen another staged event. There are personnel, specifically trained - and you can guess by whom - amongst the so-called White Helmets, who were already caught in the act with staged videos."



Russia said it sent experts in radiological, chemical and biological warfare - along with medics, in order to inspect the Eastern Ghouta city of Douma where the attack is said to have taken place.

Russia's Defense Ministry said in a statement that the experts "found no traces of the use of chemical agents," following a search of the sites, adding "All these facts show... that no chemical weapons were used in the town of Douma, as it was claimed by the White Helmets."

All the accusations brought by the White Helmets, as well as their photos... allegedly showing the victims of the chemical attack, are nothing more than a yet another piece of fake news and an attempt to disrupt the ceasefire,” said the Russian Reconciliation Center.

In a statement to the UN Security Council on April 9, Russia's UN Ambassador, Vassily Nebenzia outlined Russia's position on the timeline of the attack in Douma, as well as the Western response after the White Helmets reported that chemical agents were used:


On April 6, the new head of Jaysh al-Islam, following instructions of sponsors, derailed the evacuation of a party of fighters from Douma and resumed the rocket and mortar fire against residential areas in Damascus. The firing targeted [indistinct name of four areas]. According to official information, eight people died. 37 civilians were wounded. Unfortunately, we failed to see statements from Western capitals condemning the shelling of a historical district of Damascus. The following day, April 7, fighters accused the Syrian authorities of dropping barrel bombs with toxic substances. At the same time, diversions were being mixed up. It was either called sarin, chlorine, or a mix of toxic gases. Based on a well-known scheme, these rumors were immediately taken out by those who are financed by western capitalists; I am referring to NGOs and the White Helmets who are mendaciously acting under the cloak of health professionals. And these reports were also taken up and transferred to media outlets.

It behooves us once again to state that many of these dubious structures have a clear list of the email addresses of representatives of Security Council members, which shows that some of our colleagues, with a reckless approach towards their status, are leaking sensitive information to their protégés. Incidentally, all should recall the way that accidentally, the White Helmets put on the internet a video which showed preparations for staging a so-called victim of an alleged attack perpetrated by the Syrian army.

Indeed, over the last several years, reports out of Syria have been criticized as being primarily of anti-Assad origin and unverified.

In a speech at the UN, pro-Assad Canadian journalist and RT contributor Eva Bartlett gave her account of what's going on with reports out of Syria - calling western sources "compromised" and "not credible."



Meanwhile, UK Prime Minister Theresa May told President Trump on Tuesday that Britain would require more evidence in last weekend's suspected chemical attack before committing to a military strike against Syria, reports The Times.


The prime minister rejected a swift retaliation as inspectors from the Organisation for the Prohibition of Chemical Weapons (OPCW) prepared to visit the Damascus suburb where at least 40 people were reported to have been killed by chlorine gas on Saturday. -The Times

May chaired a meeting of the national security council in London this week, where she spoke with Presidents Trump and Macron for the first time since the Douma chemical attack. It is reported that Trump, who's had a remarkable change of heart on U.S. involvement in Syria since the election, did not ask the UK to join military strikes.


A No 10 read-out of her call with the US president stated that they agreed the international community “needed to respond” but stopped short of blaming the Syrian regime. “They agreed that reports of a chemical weapons attack in Syria were utterly reprehensible and if confirmed, represented further evidence of the Assad regime’s appalling cruelty against its own people and total disregard for its legal obligations not to use these weapons,” it said. -The Times

President Trump also appears to have backed off an imminent strike after promising Syria would "pay a big price," and that the U.S. response would be decided by Wednesday. Trump reportedly canceled travel plans after reports emerged that Russian and Iranian involvement in Syria would complicate matters in the region.

Meanwhile, Secretary of Defense James Mattis has said that the U.S. is still assessing intelligence on the alleged chemical attack, saying in a statement "we're still working on this." In the same breath, Mattis said the United States is "ready" to provide military options for Syria.

 

***

 


(Está disponível uma transcrição desta muito importante declaração, há poucos dias feita na ONU pelo Embaixador russo, Vassily Nebenzia, <aqui>.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tenham cuidado com as distribuições de GNU/Linux que escolhem

12.04.18

computer_surveillance.jpg

[É sempre a mesma história, em qualquer fórum que participo ou até cadeias de comentários a notícias... Se começa uma pessoa a denunciar coisas importantes, é logo atacada por trolls, que nos apelidam de maluquinhos das conspirações, e/ou é logo uma pessoa censurada, para não poder elaborar mais sobre o assunto de que fala. E, como sempre, acaba também por ser apenas na minha própria publicação na Internet que posso usufruir de Liberdade de Expressão.]

Deixo aqui as hiperligações para os arquivos de duas páginas da cadeia de comentários por mim ontem iniciada, no fórum não oficial da distribuição de GNU/Linux "Debian", tal como apareciam as mesmas na noite de ontem, antes de ter eu tido a surpresa de constatar, esta manhã, que tinham estas sido escondidas - de um modo em que quem agora use a hiperligação original para tal cadeia de comentários já não encontra a mesma - não podendo agora estes comentários, ao contrário de outras discussões (muitíssimo menos importantes) que foram "fechadas", serem sequer mais vistos no subfórum em causa.

http://blackfernando.mypressonline.com/debian1.html
http://blackfernando.mypressonline.com/debian2.html

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 15:17

Abandonei o Twitter

21.03.18

twitter-blackout.jpg

Por já deduzir, na altura, que esta era certamente uma rede social que censuraria as pessoas, tomei logo a decisão de, quando criei uma conta na mesma (fi-lo, essencialmente, só para ler as importantes mensagens de Daniel Estulin) usá-la apenas para perguntas ou comentários meus aos tweets de outras muito poucas pessoas cujo o que têm a dizer me interessa.
Mas, depois de ter eu constatado que - mesmo só fazendo comentários às mensagens de outras pessoas - também eu fui vítima do chamado "shadow banning" (já o tinha sido pelo menos umas duas vezes(?) de que me lembro, logo de início - mas, na altura pensei que nem todos os comentários apareciam) decidi então abandonar esta rede.
Quem quiser, tal como eu, ir estando a par do que dizem algumas pessoas que usam esta rede social, sem ter de estar sempre a usar uma conta própria na mesma, pode receber tais mensagens, por correio electrónico, através do seguinte serviço: https://tweetymail.com/
E, quem quiser usar um mesmo tipo de rede social, sem estar sujeito a censura, saiba que já foi criada uma, em resposta a este tipo de abusos, chamada Gab.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 08:42