Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O Caso do Colar

14.11.18



Ainda sobre conspirações que ajudaram a derrubar monarquias...
Dada a quantidade de anos que já passaram desde a criação deste filme, já muitos o deverão ter visto. Mas, porque há pormenores aos quais, por vezes, as pessoas não dão a devida importância, venho só chamar a atenção para dois seguintes, desta obra (de Hollywood, que retrata com clara simpatia e de modo romântico - quase que, em jeito de ridícula homenagem - tais conspiradores, que recorriam aos mais baixos tipos de comportamento humano).
Reparem em como este caso serviu para espalhar o equivalente antigo a "notícias falsas" sobre a coroa francesa, para denegrir a última, já depois de ter esta apoiado a Revolução Americana contra o Império Britânico. E, talvez importante, reparem em como depois de ter feito a conspiradora-mor o que fez, escolheu como destino de exílio... Londres.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quando em Lisboa, podem sempre espreitar uma certa Biblioteca

12.11.18

[No seguimento da minha anterior colocação, venho chamar a atenção para a simbologia Illuminati presente numa Biblioteca-Museu pertencente à mesma Câmara Municipal de onde foi feita a tão conhecida Proclamação da República.]

 

museu_republica.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

Parte da História de Portugal que ainda deverá estar por contar

12.11.18

[Não tendo eu um grande interesse por este assunto específico, em particular - e, por isso, não sendo minha intenção alguma vez estar a pesquisar sobre o mesmo - venho, em alternativa, tornar aqui pública uma mensagem que enviei a alguém que me é algo próximo e que sei que investiga este tipo de episódios nacionais, para o caso de haver mais alguém que, possivelmente, um dia queira pegar neste assunto...]

 

Assunto: O regicídio de 1908 deverá ter tido mão maçónica por trás

Já há uns anos que eu suspeito disto...

E, na muito boa entrevista a Webster Tarpley, para a qual aponta a hiperligação da minha mensagem anterior [equivalente, neste blogue, à minha anterior colocação] (ficheiro mp3: http://tarpley.net/audio/20140926-WGT_on_GB.mp3) este investigador explica que o assassinato do rei português se inseriu numa (clara) série de assassinatos políticos, naquela época, de líderes que não alinhavam com (os interesses de) o Império Britânico.

Ora, é sabido que:

(1) o regicídio teve mão da Carbonária por trás; e que

(2) a Carbonária tinha ligações à Maçonaria.

E, o que me leva a suspeitar da mão de interesses nefastos por trás do movimento republicano em Portugal, é porque a actuação dos líderes da I República não teve nada de "progressista" - muito pelo contrário. Passando pela participação na estúpida Primeira Guerra Mundial, pela dura repressão dos movimentos operários contra as péssimas condições de vida e pela perseguição à Igreja Católica.

E, o anticlericalismo é, para além de um dos princípios da Carbonária original, que tinha sido fundada em 1822, também uma das características da sociedade dos Illuminati, fundada em 1776, que é sabido controlar agora a Maçonaria.

Ora, juntando os pontos, tudo me leva a suspeitar de mão maçónica por trás deste assassinato político - e também do movimento republicano da época (que terão então sido instigados por a Casa de Bragança não estar sob o controlo do Império Britânico, ao contrário da Maçonaria e seus presumíveis fantoches republicanos - que nomeadamente trataram de enviar "carne para canhão" portuguesa para lutar por interesses britânicos na Primeira Guerra Mundial).

 

[Acrescentado, poucas horas depois: E como, tal como pode ser inferido do que eu disse, a pessoa a quem eu enviei esta mensagem está bem informada sobre este tipo de assuntos... Recebi, logo após tal pessoa ter lido a minha mensagem, a hiperligação para um artigo que fala sobre um livro, que eu desconhecia, intitulado Com permissão de Sua Majestade: Família real inglesa e Maçonaria na instauração da República em Portugal, da autoria de Jorge Morais, que fala exactamente sobre a mão maçónico-britânica por trás do movimento republicano da época, contribuindo ainda mais para a minha (agora muito mais forte) suspeita...]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Que "sorte" ter calhado este novo juiz para a Operação Marquês

10.11.18

novo_juiz.png

[Ahahah. Vivam as novas tecnologias, ao serviço do sistema! :) A imagem foi tirada da capa da edição de ontem do jornal Correio da Manhã. E, a notícia em causa - que talvez possa no futuro passar a ser acessível a todos - encontra-se aqui.]

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 06:20

Tribunal Europeu dos Direitos Humanos proíbe críticas à religião muçulmana (mantendo condenação na Áustria por crítica a Maomé)

10.11.18

maome.jpg

[Em mais uma aparente demonstração da excelência da imprensa portuguesa, não consigo sequer encontrar esta (importante e grave) notícia em sítios portugueses na Internet - mas, até em sítios do continente americano...]

 

Mulher é condenada por chamar Maomé de pedófilo

 

E, o que esta sentença para mim também demonstra, é que...
Torna-se claro que esta condenação faz parte de um processo de gradual eliminação do Direito à Liberdade de Expressão, na União Europeia em que vivemos.
O "piropo" já foi ilegalizado. O "discurso de ódio" também deverá ser. E, mais tarde, num futuro talvez não distante, quase certamente que virão as leis que proíbem a expressão de sentimentos e valores nacionalistas (dos quais os nossos antepassados - pertencentes às gerações que deixavam os seus países em melhor estado do que quando neles nasceram - eram adeptos) com a falácia de que são tais ideias uma manifestação de racismo ou dita xenofobia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 00:43

Conheçam a maior anedota de organização de suposta luta pelos direitos civis (na Internet) que recentemente surgiu em Portugal

08.11.18

d3.png

Eu acho que nem vale a pena elaborar muito sobre isto... Pois, a seguinte cadeia de comentários é, por si só, bastante elucidativa.

 

A EDRi e a EFF são financiadas pelo próprio poder estabelecido

 

Mas, sobre o último comentário que lá foi deixado, antes de (muito convenientemente) ter sido o tópico encerrado - não me sendo, deste modo, permitido o exercício do direito de resposta - fica então aqui a resposta que não pude lá deixar, à direcção desta organização.

 

1) "narrativas em que não nos revemos e com ligações para sites pouco recomendáveis"

Tudo avaliações subjectivas e não argumentadas, que não justificam a perda do direito à Liberdade de Expressão. E, se fosse eu um membro da vossa organização? Corriam comigo por causa disso?

2) "boa dose de auto-promoção", "está aqui (...) porque este fórum lhe dá pódio e holofote para os seus ensaios e para os (muitos) links para o seu blog"

A razão pela qual incluía eu hiperligações para o meu blogue é a mesma pela qual incluía hiperligações para outros sítios - para providenciar provas e argumentos que sustentem o que eu digo. Que interesse tenho eu numa suposta "autopromoção"? Não ganho dinheiro nenhum com isto, só perco tempo a escrever estas coisas e quase ninguém conhece a minha identidade.

3) "tom arrogante e condescendente para com quem se atrevia a encetar diálogo [comigo]"

Mentira. Podem ler as mensagens que foram trocadas entre mim e quem respondia ao que eu colocava (as que não tiveram já sido escondidas, isto é). Sempre tratei os outros da mesma maneira que gostava de ser tratado. Então, eu é que iniciava o debate e depois ia estar a responder mal a quem me respondesse? Sendo eu uma pessoa que tem por hábito fazer muitas perguntas e contestar o que lhe é dito, ia eu estar a reagir mal para com quem fizesse o mesmo relativamente ao que eu escrevo?


4) "apesar disso, optámos por não actuar"

Eh, lá! Obrigado pela vossa imensa benevolência. Têm vocês todo o direito de censurar quem escreve coisas de que vocês não gostam. (Cuidado, membros da organização que façam o mesmo que eu fiz!)

5) "acresce que o utilizador em causa tem uma posição declarada de que não irá fazer qualquer contributo para a associação ou os seus objetivos"

Mentira. Em várias das colocações que fiz, fazia avisos e alertas sobre este tema dos direitos no ciberespaço e chamadas de atenção para o que eu considero serem erros estratégicos na suposta luta desta organização. E, a razão pela qual o fazia, é porque também eu estou interessado no sucesso desta luta genérica - ainda que não faça eu parte desta organização específica.

6) "liberdade para espalhar as suas opiniões e auto-promoção nos fóruns que entender, mas não neste"

Ora aí está. Admitem que no vosso fórum não existe Liberdade de Expressão. E, se deixo eu alguma hiperligação para uma colocação no meu próprio blogue (para encurtar os textos, deixando que cada um decida o quão se quer aprofundar no assunto - e para não ter de estar a repetir-me) sou logo acusado de estar a fazer "autopromoção".

7) "este fórum é um espaço para se discutir livremente as questões dos direitos digitais com total liberdade de opiniões"

Hilariante e enorme Mentira! Vocês próprios admitem (e nesse mesmo texto) que censuram opiniões e denúncias das quais simplesmente não gostam.

8) "um espaço que queremos (...) que sirva para real discussão construtiva"

E, onde é que enveredei eu pela crítica destrutiva? Se apontava eu coisas que considerava estarem vocês a fazer mal, fazia-o acompanhado de dicas do que considerava eu ser uma alternativa melhor.

9) "com elementos que não querem saber da D3"

Uma vez mais, se fazia eu colocações neste fórum, era para tentar ajudar na luta pelos "direitos digitais" (ou civis, na Internet).

10) "comentários tóxicos"

Não publiquei nada de indecente ou ilegal neste fórum. Apenas coisas de que a direcção não gostou - e às quais outros membros da organização até acharam por bem responder.

 

Em suma, façam como faz a D3.
Mandem cartas aos políticos do sistema (que são boas pessoas e são bem-intencionados).
E, se não responderem tais políticos de forma satisfatória, virem-se para as supostas alternativas mais mediáticas, como o Bloco de Esquerda - pois, o Trotsky era muito boa pessoa e também os seus modernos seguidores o são.
(Sendo de grandes adeptos das novas tecnologias que se tratam os dirigentes desta organização, ficamos então à espera das "selfies" tiradas nos gabinetes dos políticos que forem tais membros mais visitar, enquanto a Internet pela qual supostamente lutam se transforma em "Censornet", com os dirigentes desta organização a darem o exemplo de como se faz tal coisa.)
E, já agora, tópicos sobre como possivelmente desactivar, de modo legal, o novo sistema de vigilância "eCall", não só não têm nada a ver com "direitos digitais", como indubitavelmente não são do interesse dos participantes do fórum desta organização e, por isso, têm de ser censurados.
Também, cadeias de comentários onde apareça alguém a alertar para o perigo de mexer nas nossas contas bancárias através dos novos "spyphones" são também tópicos que podem ser escondidos do ocasional visitante deste fórum.
Adiram já à D3!

[Acrescentado a 09/11/2018: Tendo eu recebido, entretanto (horas depois de ter feito esta colocação) uma reposta da parte da direcção desta falsa organização de luta pelos direitos civis, a confirmar a minha dúvida sobre se o facto do moderador em causa ter censurado este tópico no fórum reflectia as políticas de orientação gerais da própria direcção (resposta a uma carta que tinha eu escrito horas antes de ter sido feita a última colocação, por parte da direcção, no tópico para o qual chamo a atenção) e tendo tal resposta (em nome da direcção) sido feita pelo mesmo "Rui Cruz" que posso ver, pelas fotografias neste fórum, ser um conhecido elemento associado à versão portuguesa da WikiLeaks... Que cada um (que esteja bem informado) tire então a sua própria conclusão sobre a natureza, pelo menos parcial, desta organização "D3"... Já agora, o autor Daniel Estulin concordou comigo, em mensagem privada no Twitter, que a dita "TugaLeaks" é certamente, tal como a original WikiLeaks, uma versão portuguesa do mesmo tipo de operação.]

[Acrescentado a 10/11/2018: E, para cúmulo do que era já uma grande anedota, numa clara demonstração de que isto se trata de Censura pura e dura - e também demonstrando o medo que esta gente tem da informação que eu lá deixei... O seguinte é o aviso que mais vejo agora que foi adicionado às colocações da minha autoria que não foram (ainda?) escondidas. E, quem quiser ver como eram as colocações originais, com as hiperligações para as fontes do que eu afirmava, pode descarregá-las <aqui>.]

censura_d3.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

Primeira péssima decisão de Bolsonaro: Sérgio Moro, o fantoche estadunidense, para Ministro da Justiça e Segurança Pública

02.11.18

moro.jpg

Tal como chamei eu aqui a atenção para, em dois comentários que deixei a uma das minhas últimas colocações, não sou (de modo algum) um apoiante de Bolsonaro. E, tendo este futuro Presidente a personalidade que todos conhecem, já esperava eu da parte dele decisões que - mais do que serem meramente más - fossem literalmente péssimas. E, pelos vistos não demorou muito até tal ocorrer.
Segue-se um texto elaborado pela conceituada equipa da revista Executive Intelligence Review, sobre a natureza de Sérgio Moro e da restante equipa da operação "Lava Jato".
(Para mais denúncias sobre a verdadeira natureza desta operação, podem pesquisar sobre o assunto no sítio LaRouchePub.com - nomeadamente, na sua secção de colocações em português.)

 

Lula Defense Exposes DOJ/FBI Control over Brazil’s ‘Lava Jato,’ Could Annul Conviction

April 2, 2018 — Former Brazilian President Lula da Silva’s legal defense team filed an explosive motion before the 4th Region Federal Regional Court on March 16, which could blow open the entire British Empire/Wall Street “Lava Jato” (“Carwash”) operation, which is being used to tear apart Brazil as a nation. Depending on how this unfolds, this counterattack by the Lula legal team could have blowback inside the U.S. as well, adding to the unmasking of the corrupt apparatus in the Department of Justice (DOJ) around Robert Mueller’s attempted coup d’état against President Trump.

The motion presents new evidence as grounds for throwing out the conviction and 12-year prison sentence handed down against Lula on patently flimsy “corruption” charges. Included in the evidence are on-the-record statements by high-level U.S. Department of Justice officials that Brazil’s Judge Sergio Moro and his “Lava Jato” hit squad which prosecuted Lula, cooperated intimately with the DOJ, bypassing “official procedures,” to “construct” their cases generally, and specifically against Lula da Silva, “in a manifest affront to due legal process and national sovereignty.”

The evidence submitted includes the July 19, 2017 speech by then head of the Justice Department Criminal Division, Kenneth Blanco, in which he cited the guilty verdict handed down against Lula da Silva as a leading example of the “extraordinary results” achieved from DOJ collaboration with the “Lava Jato” strike force, which he openly bragged operated outside “formal processes such as mutual legal assistance treaties.”

No one in Brazil had taken note of that publicly available speech until EIR published a press release on Dec. 16, 2017 with the relevant quotes, and identifying the overlap of this operation with the British coup plotters against U.S. President Donald Trump. The release hit Brazil like a bombshell.

Added to the evidence by the Lula legal team is the May 24, 2017 speech at an Anti-Corruption Summit in São Paulo by then-Deputy Assistant Attorney General Trevor McFadden, second in command in the Criminal Division. The exposé added to Blanco’s assertion of DOJ control over “Lava Jato” and the case against Lula, among other gems, that Brazil and the DOJ “not only helped one another in the collection of evidence and the construction of the case,” but they agreed on what fines and punishments would be imposed in both countries.

In light of the above, and stating that the judge in Lula’s case had refused to allow any questions raised by the defense about foreign involvement in the case brought against him, his legal team therefore also demanded that the defense be provided documentation on all contacts and meetings between Judge Moro’s “Lava Jato” team and the DOJ/FBI.

If this motion prospers, every tree in the forest could fall.

Those who carried out the coup against former President Dilma Rousseff, and who are now trying to throw Lula in jail lest he win the upcoming presidential elections, in which he is the leading candidate, will try to sweep these new developments under the rug and proceed anyway, but Lula’s defense team has documented before the Brazilian courts and people that Lava Jato is an illegal, international attack on the nation, run through networks controlling the Criminal Division of the Department of Justice and the FBI in the United States.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 16:09

O "Admirável Mundo Novo", caracterizado pelo surgimento de um Estado Policial de natureza informática, também passa por Lisboa

31.10.18

(Pois, que sítio melhor para o ir montando, do que no país da Europa Ocidental - a seguir aos várias da fria e consequentemente pouco acolhedora Escandinávia - onde as pessoas menos ciosas são dos seus direitos...)

 

A Internet (tal como tenho eu ultimamente denunciado) é uma ferramenta de vigilância e de controlo, montada pelo próprio poder estabelecido.
Por enquanto, tem funcionado de modo contraproducente, ao permitir a circulação de informação contrária aos interesses desse mesmo poder estabelecido. Mas, não faltará muito, certamente, para que se torne numa rede controlada, onde não irá haver verdadeira liberdade de circulação de ideias e de notícias.
As leis que controlam a informação nesta rede já começaram a ser passadas. E, daqui para a frente, será uma mera questão de se irem (gradualmente) fazendo acrescentos e "melhoramentos" a estas mesmas leis.
Bem-vindos ao Estado Policial do futuro, onde quase tudo irá ser controlado via Internet.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 05:27