Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Para quem seja capaz de "unir os pontos" por si próprio

23.06.20

 

[Comentário que deixei, no YouTube, ao vídeo em causa.]

 

Reparem em como,

Os países nos quais são reportados, pelos média de massas, os maiores números de vítimas são exactamente aqueles (Brasil, Rússia, EUA) que têm Presidentes não alinhados com os interesses liberal-financeiros que controlam os média de massas.

Em Portugal,

Pouco tempo depois do governo ter proibido as autarquias de reportarem os números de mortos, numa entrevista da RTP aos responsáveis por um estudo feito por uma instituição portuguesa qualquer, foi dito que os números de mortos por região e os totais nacionais não batiam certo.

Também, quem andou a consultar as estatísticas oficiais, reparou que, não só (1) foram acrescentados números ao período de final de Março e início de Abril, criando um pico que não lá estava anteriormente - que fez com que fosse ultrapassada a barreira dos 400 mortos por dia (o que pode, no entanto, ser justificado com uma actualização das informações) - como (2) foi alterado o modo como são apresentadas as estatísticas oficiais, para um em que as actuais aparentam agora ser anormais: https://twitter.com/BlackFerdyPT/status/1253871578338729984

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 15:01

Tentativa de "revolução colorida" nos EUA

08.06.20

jornalista_tvi.jpg

 

Um comentário que hoje deixei a uma colocação de Raquel Varela - em que, a manifestação de que falo, é a de punhos erguidos que anteontem ocorreu em Lisboa.

 

Manifestação de acéfalos, que provavelmente foram manipulados pelo Facebook e afins – controlado pela facção liberal-financeira das elites (e o qual até “investe” directamente dinheiro neste tipo de manifestantes: https://www.facebook.com/zuck/posts/10111969612272851) – que serve de apoio à tentativa de “revolução colorida” nos EUA.

(Que modelo social e económico alternativo é que defendem tais manifestantes? Até uma conhecida “jornalista” da TVI lá estava, desta vez para variar da propaganda de medo sobre o COVID para, uma vez mais – mas, de modo diferente – fazer propaganda a favor dos interesses financeiros que lhe pagam.)

Racismo e condições económicas deteriorantes, nos EUA, são coisas de sempre ou desde que Kennedy foi morto, respectivamente. Isto é, não são culpa de Donald Trump.

E, goste-se ou não do mesmo, Trump quer voltar a fazer da “América Grande”. Tendo, para isso, já começado a fazer alterações políticas (que passaram por rasgar os anteriores acordos de livre-comércio internacional – contra os quais manifestantes com verdadeira consciência política, como eu, se manifestavam no início da década passada).

Mas, como o Estado Profundo dos EUA, montado pelos antecessores globalistas de Trump (o mesmo que matou Kennedy, que no entanto não se pode equiparar a Trump) quer continuar a fomentar a espiral que continua a afundar (propositadamente) a Economia do seu País e não só, toca a lançar uma tentativa de “revolução colorida” (https://www.globalresearch.ca/perfecting-the-method-of-color-revolutions/32261) desta vez nos próprios EUA, visto que Trump continua a ser o favorito para as próximas eleições presidenciais (e já avisou que os seus inimigos irão, uma vez mais, tentar aldrabar os resultados).

Aliás, tudo isto é de tal modo óbvio e expectável, que até foi previsto com meses de antecedência: https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1219648816103743489

E, o próprio símbolo do movimento “Black Lives Matter” é uma assinatura dos movimentos controlados pela CIA e afins: https://twitter.com/BlackFerdyPT/status/934827651533099009

 

Ao qual adiciono um de vários tweets que ontem deixei como comentários a um tweet original de Daniel Estulin - em que o filme de que falo, num tweet que tinha feito no início do ano, é <este>.

 

colour_revolution.png

 

E, aos quais aproveito para acrescentar a nota de que, eu não sou apoiante de Trump. Apenas, estou a contar as coisas tal como elas são...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Para quem tenha "memória de peixe"

20.05.20

[Directora-Geral da Saúde] Graça Freitas: "Não use máscara, é falsa sensação de segurança"

 

E isto, da parte do mesmo governo que:

  • recomendou um medicamento específico, dizendo que tal era bom para combater este vírus, para depois ser desmentido pela OMS;
  • admitidamente está a aldrabar as estatísticas de mortes pelo vírus, incluindo nestas pessoas que apenas também tinham o vírus, mas que morreram doutras causas.

 

Por isso: População, toca a confiar em (e obedecer a) o governo! E, Polícia, toca a importunar e assediar banhistas e outros que não cumpram as normas fascizóides (e até INCONSTITUCIONAIS) decretadas pelo governo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Família Relvas satânica?

15.05.20

relvas.jpg


O patriarca ausente do retrato acima colocado, José Relvas, foi uma muito conhecida figura da Implantação da República em Portugal. Sendo também que:

(1) por trás da Implantação da República, esteve a Maçonaria;

(2) José Relvas conspirou conjuntamente e teve uma grande proximidade com aquele que era o líder da Maçonaria portuguesa, na altura da Implantação;

(3) a Maçonaria é controlada, em grande parte, por uma sociedade secreta que existe dentro da mesma, que se distingue por ser satânica;

(4) embora o quadro acima colocado tenha sido pintado 12 anos antes da reportada adesão oficial, José Relvas foi, pelo menos brevemente, membro da Maçonaria logo após o derrube da monarquia.

Ora, cruzando estas informações com o facto de que a família em causa tinha má fama e também com o que eu interpreto ter sido uma leve confirmação de que os "chifres do Diabo" são por vezes feitos de modo discreto, aquando de maior exposição pública por parte de figuras mais notáveis da sociedade - através de um "gosto" que foi deixado, por um entendido no assunto, a um tweet da minha autoria...

(Quem me chamou a atenção para o retrato em causa, foi o autor deste vídeo - que fala também de outros aspectos que considera suspeitos.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 16:59

Quando é o próprio Povo que se auto-escraviza

29.04.20

(Enquanto que em países culturalmente desenvolvidos há quem desafie as restrições à liberdade de circulação e de actividade económica que foram impostas... No país que tem o belo recorde de mais de 40 anos de Fascismo - e que, notoriamente, continua a ter uma cultura que em quase nada valoriza direitos e liberdades - temos mais esta tristeza...)

 

 

Boa, Pedro Gomes e amigos.

Acabaram de criar mais um mecanismo de controlo, que irá ser usado para penalizar quem não tenha imenso cuidado em não “sair da linha”.

Assim se domesticam cidadãos, para que sejam muito obedientes – e nunca se atrevam a (ou pensem sequer em) revoltar contra os abusos de autoridade – tal como se faz com o gado.

Já estou a ver isto a ser usado conjuntamente com tecnologia de reconhecimento facial e bots, com os altifalantes a dizer: “Cidadão X, afaste-se! Cidadão Y, atenção à proximidade... Cidadão Z, mais uma violação da regra de proximidade e será multado/preso.”

O que dizer, quando é o próprio Povo que constrói as ferramentas através das quais é escravizado?

Tudo isto, por causa de um vírus que, na prática, não é pior do que uma gripe... (E que está claramente a ser usado como pretexto para a implementação – e ensaio – de medidas de controlo social.)

Sabiam que, no tempo do Estado Novo, também havia a infracção/crime de “concentração” de pessoas?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Este é o país em que realmente vivem

27.04.20

Tendo sido para isto é que - tal como disse eu há dias num comentário - foi realmente feito o tão celebrado golpe militar de 25 de Abril.
Não se esqueçam, alienados, de usar a vossa imensa sabedoria para votar nas próximas eleições.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 10:12

Adiram antes às várias CAuSAS (não definidas) que vão surgindo

26.04.20

casa.png

A organização em causa é <esta> - a qual se apresenta como plataforma sindical alternativa, que se recusa a ligar a partidos políticos.
Sendo o seguinte, um comentário que deixei ontem no blogue da historiadora Raquel Varela, que decidiu participar numa debate "em linha" organizado por tal associação.
E, como a maior parte das pessoas é ignorante sobre o que se passa nos bastidores políticos, pode o poder estabelecido repetidamente assinar os seus movimentos (e até insultar quem neles participa) à vista de todos, sem que a massa alienada disso se aperceba...


Esta “CASA” usa o símbolo do punho erguido, repetidamente usado para assinar movimentos criados pelo próprio poder estabelecido ocidental: https://twitter.com/BlackFerdyPT/status/934827651533099009

E, é fórmula repetidamente usada pelos vários poderes estabelecidos (e ainda mais em tempos de crise como este, em que se antecipam revoltas sociais) criar falsas organizações, que servem de armadilha para apanhar e controlar os menos inteligentes.

“A melhor maneira de controlarmos a oposição é sermos nós próprios a liderá-la.”
— Vladimir Lenine

“You have to be very aware of people (…) that lead you into traps, false solutions, or try to make you adopt counter-productive or time-wasting ineffective forms of struggle.”
— Eu próprio, há uns anos, num fórum de discussão

Vejo que não há liderança assumida nesta organização. Mas, se é o próprio modo de funcionamento, logo à partida (que é estabelecido pela liderança inicial) que visivelmente não irá levar a lado nenhum, nem é preciso fazer mais nada, para além de estabelecer objectivos e métodos inconsequentes (leia-se limites à acção) dos grupos associados.

Aliás, o facto de não propor esta organização um modelo concreto alternativo de sociedade, deveria ser imensamente denunciador para quem tem verdadeira consciência política.

(A CGTP luta por uma sociedade comunista, os anarco-sindicalistas lutavam por uma sociedade anarquista etc…)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 06:25

25 de Abril, Maçonaria e Fascismo

25.04.20

Tal como noutros casos - [1] [2] - a assinatura maçónica esteve sempre à vista de todos.

 

 

E, reparem na ironia de como se festeja agora o 25 de Abril...

Suposto "Dia da Liberdade" em que as pessoas estão encarceradas em casa, por ordens do Estado.

Toda a gente politicamente bem informada tinha já consciência de que, para além da tão badalada "Liberdade de Expressão" (que, note-se, pode e irá ser retirada quando for declarado um Estado de Sítio, em vez de apenas um de Emergência, como o presente) pouco tinha mudado no País, após este golpe militar.

Pois, o Grande Capital voltou a ser detentor das suas anteriores posses - e é quem ainda "puxa os cordelinhos" no País, com a Economia nas suas mãos (não sendo este alguma vez eleito).

Mas, agora que as restantes liberdades já começaram a ser visivelmente retiradas - e assistimos até a uma nazificação da Economia, com a nacionalização anunciada de algumas indústrias consideradas estratégicas - ninguém pode negar o que, por vezes, dizia quem tem consciência política, de que: "Isto está a caminhar de volta para o Fascismo..." (Na sua forma mais assumida, isto é.)

E, melhor do que tudo isto e também depois da constante glorificação dos oficiais e restantes militares que supostamente deram Liberdade ao povo (os mesmos que, finda a Guerra Colonial, embarcaram depois noutras guerras imperialistas, agora a favor dos interesses estrangeiros anglo-americanos que mandam na OTAN) reparem em quem é que vai impor o que já se adivinha ser um futuro Estado de Sítio (muito provavelmente, de longa duração - ou mesmo interminável) no País.

A mesma instituição militar que fez este "golpe libertador" - que muitos quiseram também sempre travestir de suposta "revolução social".

O 25 de Abril não passou de uma versão hiper-romantizada da Transição Espanhola.

Isto é, tratou-se de uma reorganização do próprio sistema fascista - em que, tal como no caso das monarquias, o controlo passou a ser exercido de modo encoberto - feita de modo a satisfazer os interesses de parte das classes dominantes.

(Vejam o que sucedeu após terem as coisas estabilizado no nosso País - em que, sem o saberem, aderiram as pessoas a uma continuação do projecto fascista europeu.)

Razão pela qual, no caso espanhol, foi o próprio sistema vigente (fascista) da altura que teve a iniciativa de fazer tal coisa.

(Sobre o que eu digo nos últimos 4 parágrafos, leiam o que escrevi há já 9 anos.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Este blogue é contra a rede de telecomunicações móveis 5G

21.04.20

5g.png

Pelas razões explicitadas aqui (e também aqui). Sendo obviamente, por extensão, também contra a chamada "Internet das Coisas".
Tal como disse num outro comentário, procurem por informação sobre este preocupante assunto na imprensa alternativa - e vejam, por exemplo, os vídeos que mostram árvores e abelhas mortas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 22:54

Porque ninguém se dá ao trabalho de se informar por si próprio...

19.04.20

mortalidade_dgs.png

 

Assunto: Mortalidade do coronavírus pouco diferente é da de uma gripe

(Tal como no caso de tantas outras mentiras que os média de massas dizem às pessoas, a verdade sobre o assunto está à vista de todos - mas, no entanto, apenas ao alcance de quem pensa - i.e. de quem é capaz de "unir os pontos" - por si próprio/a...)

A maioria das pessoas saudáveis que apanha este coronavírus nem sabe disso, por não manifestar sintomas (pelo menos, que leve a sério):

https://www.voanews.com/covid-19-pandemic/coronavirus-clue-most-cases-aboard-us-aircraft-carrier-are-symptom-free

E, entre quem o apanha e manifesta sintomas, é quem já tem problemas de saúde (derivados da idade, nomeadamente) é que, na sua grande maioria, morre do mesmo:

https://zap.aeiou.pt/covid-19-99-das-vitimas-mortais-italia-pelo-menos-doenca-314852

Se a maior parte dos infectados nem dá por disso, a taxa de infecção é obviamente muito maior do que é divulgada (pois, ninguém vai fazer testes de averiguação só porque sim).

https://www.publico.pt/2020/04/15/ciencia/noticia/estudo-portugal-detectava-apenas-15-casos-infeccao-final-marco-1912419

E, tendo sido noticiado ontem que a taxa de infecção pode ser até dezenas de vezes maior do que é reportado...

https://www.irishtimes.com/news/health/coronavirus-cases-may-be-tens-of-times-higher-than-previously-thought-study-says-1.4232557

...obviamente que, a taxa de mortalidade é também até dezenas de vezes menor do que é reportado - pois, para os números oficiais, só contam os casos confirmados (i.e. de que as autoridades têm conhecimento).

Ora, fazendo as contas, de dividir a taxa de mortalidade pelo mesmo número de vezes que a real/efectiva taxa de infecção deverá ser sub-reportada (comparativamente aos casos confirmados apenas), temos que a mortalidade deste vírus não é muito pior do que a de uma gripe.

(Tirado da última hiperligação: "Stanford researchers said their findings show a death rate of just 0.12 per cent to 0.2 per cent.")

Também, tal como admite a própria autoridade portuguesa de saúde - https://ionline.sapo.pt/artigo/693471/vao-ser-retomadas-as-atividades-suspensas-no-sns - "uma pessoa com uma doença em estado avançado, mesmo que venha a falecer dessa doença, se estiver infetada com covid-19 entra nos números de óbitos registados no país". Por isso, imensa gente haverá que nem morreu realmente deste novo vírus (tal como um miúdo de 14 anos, que foi muito falado em Portugal: https://www.jn.pt/local/noticias/aveiro/santa-maria-da-feira/menino-de-14-anos-cm-covid-19-tera-morrido-de-meningite-12008314.html) e que é erradamente incluída nas estatísticas oficiais.

Inclusivamente, com uma taxa real de mortalidade tão baixa, não é de admirar que as estatísticas sejam de que não haja um real aumento da mortalidade em Portugal e nos vários países europeus: https://evm.min-saude.pt/ + https://twitter.com/AquAhora1/status/1247600049275777025 + https://twitter.com/EstulinDaniel/status/1249445075219865610 (No caso português, do qual se podem informar na primeira hiperligação, reparem em como em Janeiro-Fevereiro deste ano, em plena época da gripe, morreram mais pessoas do que têm morrido durante o pico deste novo vírus.)

Obviamente que - tal como na época da gripe - se convivemos com pessoas idosas e/ou doentes, temos sempre de ter cuidado para não trazer nenhuma doença para casa - nomeadamente, evitando grandes aglomerados de pessoas no Outono e no Inverno. Mas, se apenas temos pessoas até à meia-idade e saudáveis em casa, não é preciso ter maiores preocupações do que já tínhamos com a gripe e afins.

Autoria e outros dados (tags, etc)