Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Primeiro sério questionamento sobre a origem do ideal anarquista

03.12.16

proudhon.jpg

Tal como eu aqui disse anteriormente, ainda que possa o ideal anarquista ter sido um criação da NOM, isso não o invalida necessariamente como forma de organização - pelo menos, para algumas das situações (como a muito boa do sindicalismo). E, ainda que venha eu a ter alguma certeza em relação a isto, no mínimo é este um ideal que, pelas suas bases ideológicas, constitui uma muito boa "escola" (pela qual todos deviam passar) no que toca ao constante questionar da autoridade - e desobediência à mesma, sempre que tal se mostre necessário ou se justifique.
Mas, como ainda não posso ter certezas em relação a isto, aqui fica esta colocação sob a forma de mera suspeita...
Os textos que a seguir publico, são dois comentários que fiz, há dois dias, a uma colocação no sítio do jornalista James Corbett, que simpatiza com o dito "anarco-capitalismo". E, o livro (interessante de se ler, por ser nele revelada parte da verdadeira natureza de Karl Marx) que menciono no meu primeiro comentário (como prova da amizade que existia entre o fundador do Marxismo e dois dos "pais fundadores" do Anarquismo) está traduzido para português, sob o título Jenny - A Mulher de Karl Marx, e foi publicado pela editora "Livros do Brasil".

 


Serious warning(s) to James Corbett, and everyone else:

1) The “anarcho-capitalist” branch (or supposed branch) of Anarchism is almost certainly a creation of the NWO. And, the so-called “anarcho- -capitalists” repeatedly censor people who denounce it on their websites – like when I made the following comment: http://blackfernando.blogs.sapo.pt/os-anarco-capitalistas-tambem-nao-sao-45837

2) Everyone that seriously researches the NWO conspiracy and the true origins of the Communist ideology (http://forum.prisonplanet.com/index.php?topic=43336.0), comes to the conclusion that Karl Marx was most likely an agent of the British Empire (a.k.a. New World Order). And, if you don’t believe me, listen to what Webster Tarpley (https://www.youtube.com/watch?v=H4MahRKtM5s) and also Daniel Estulin (https://www.youtube.com/watch?v=8VbI-t-HUuA) have to say about it.

3) Mikhail Bakunin has been denounced by Daniel Estulin as a British/NWO agent, in his series of documentaries on the Spanish version of RT (https://www.youtube.com/watch?v=8VbI-t-HUuA).

4) Pierre-Joseph Proudhon was a personal (close) friend of Karl Marx and also Mikhail Bakunin (https://www.amazon.fr/gp/product/2221068084). And, his “questioning” of private property came at about the same time as Marx’s and Bakunin’s calls to abolish it.

Connect all the previous dots, and you might start getting a picture on what the true origins of the Anarchist ideology/ideal most probably are…

 


And, as an addendum (and, still as a serious warning that I make),

Concerning only the “anarcho-capitalist” branch (that I see that you, James Corbett, seem to be a fan of – and, that several of the people that you have interviewed are also promoters of)…

I have had someone high up in the LaRouche Movement (who are, by far, the best informed people there are about this whole NWO conspiracy) tell me, in a conversation, that the Libertarian Movement (obviously, the Austrian School/von Mises type of libertarianism – and, not the USA Founding Fathers’ type) is a creation of the British Empire.

But, again, if you don’t believe me, you can all listen to the same Webster Tarpley interview that I linked to in my previous comment, where he also talks about this exact same “synthetic ideology”: https://www.youtube.com/watch?v=H4MahRKtM5s

(And, what this all comes down to, is that: when you’re promoting “anarcho- -capitalism”, in the kind of planned economy capitalist society that we nowadays have – dominated and run by the Bilderbergers and the likes – you’re actually promoting the same type of neo-feudalist society that is the end goal of the NWO…)

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Perguntem-no a Bakunin!"

03.01.14

Uma curiosa nota de tradutor, presente numa versão legendada em castelhano do documentário "The Money Masters", para o qual chamei aqui a atenção, duas colocações atrás.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 06:42

Hugo Chávez é imortal

06.03.13

A pessoa que foi, o trabalho que fez em prol do bem-estar da sua população e de toda a América Latina, o modelo político que fundou e o legado que deixou não poderão nunca ser mortos.
E serão sempre um exemplo e um modelo que todos poderão seguir.

Viva Chávez! Viva a Venezuela! Viva o Socialismo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Conheçam Andrew Gavin Marshall

22.12.12

Eu já suspeitava disto, por causa de outras coisas que tinha lido dele. Mas tive, há poucas semanas, a agradável confirmação do facto...
Coincidentemente (ou não) este é, logo a seguir ao conhecido director Michel Chossudovsky, simplesmente o melhor autor que conheço que costuma publicar coisas no Centro para a Pesquisa sobre Globalização.
Realmente, o "rapaz" (que era o que ele ainda era na altura em que comecei a ler os textos dele) já me tinha chamado muito a atenção, quer pela qualidade, quer pela profundidade - evidenciadora de um grande trabalho de pesquisa - dos seus textos, reveladoras de um intelecto bem acima da média. E, acima de tudo, também pela excelente escolha de (muito importantes) tópicos que ele decidia focar.
E foi com agradável surpresa que, há uns tempos, comecei a ver referências muito favoráveis ao Anarquismo e ao Socialismo, da parte deste autor.
Mas, se já com isto tinha ficado agradado, ainda mais fiquei, quando o vi, há algumas semanas, na seguinte entrevista (correspondendo a parte que me agradou aos dois últimos terços da mesma, após o segundo intervalo).

(O sítio na Internet do entrevistado é, tal como aparece no vídeo, www.andrewgavinmarshall.com.)


Mas só uma observação, sobre algo que é dito na entrevista para a qual chamo a atenção...
O conhecido intelectual norte-americano, Noam Chomsky, é um falso anarquista - tal como terão constatado, se já tiverem lido o livro do Daniel Estulin sobre o Clube Bilderberg. (E não é o único intelectual, no seu país, a fingir que o é...)
O Estulin fala no seu papel como agente provocador, do qual me lembro de ver um pouco, há uns anos - e tal como é o caso de um outro intelectual - em textos seus a desculpabilizar certos actos de destruição de propriedade, que são cometidos por pessoas ideologicamente comprometidas com certas vertentes ecologistas anarquistas. Mas, mais importante, na minha opinião: do pouco que conheço dele, o que já pude também claramente observar é a sua tentativa de colagem da vertente socialista do Anarquismo a alguns dos restantes ideais socialistas autoritários, dando a entender que são próximos, o suficiente, para poderem ser "colocados no mesmo saco" e para que possa haver um apoio mútuo entre estas duas diferentes posições políticas. (A fazer lembrar a "proximidade" que queriam criar, em Portugal - há uns anos, numa campanha legislativa - entre o Bloco de Esquerda e supostos anarquistas que diziam que iam votar neste bloco partidário...)
Pois, se há já muito tempo que observei que há quem queira puxar os anarquistas para o lado do niilismo, já observei também que há quem, por outro lado, os queira puxar para o lado do "socialismo" de Estado (na verdade, controlado por interesses capitalistas), tentando convencer libertários: a enveredar pelo apoio formal a - e mesmo participação em - partidos políticos; ou a que formem grupos conjuntos com autoritários, que se dizem de "esquerda", que não têm como objectivo a abolição do Estado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 01:21

Melhor que um Chávez, só mesmo um Mujica ;)

14.10.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 23:04

Sempre a manipular...

09.10.12
Se há casos bem claros em que a imprensa ocidental manipula a informação, um bom exemplo disso é a cobertura que é feita dos acontecimentos na Venezuela. Cobertura essa, que chega a ser nojenta, de tão grande que é essa mesma manipulação...
Derrotado o fantoche ocidental Capriles que se opunha a Chávez, não se conforma a nossa imprensa portuguesa e ocidental com o facto de ter sido derrotado - mais uma vez, e dentro do intervalo de maioria absoluta, de cinquentas/sessenta-e-poucos por cento, com que este tem ganho outras eleições - mais um agente dos grandes interesses oligarcas locais e capitalistas internacionais, que seguem os ditames da "Nova Ordem Mundial" que começa a destruir a Europa e a América do Norte.
Sim, Chávez ganhou, reconhecem... "Mas"... "Apesar de"... "Mas olhem que a margem não foi grande"... Enfim. Têm sempre de tentar dar a volta, apontando também apenas sempre os defeitos, e nunca as qualidades, da sua governação, de modo a deixá-lo mal visto e a que este não sirva de exemplo para ninguém.
Que a Venezuela tem sérios problemas sociais é um facto de que toda a gente sabe. E exactamente por isso é que a sua população vota em quem tem genuinamente feito um notável esforço de resolução dos mesmos, com resultados claros, inequívocos e bem visíveis. Pois tem esta mesma população a consciência de que esses problemas são claramente as consequências de uma longa série de décadas de governações que consciente e propositadamente impediram o seu país de se desenvolver social, economica e culturalmente e que mantiveram a maioria da população na pobreza e na ignorância. População essa, que agora se ergue, num processo que terá, inevitavelmente, altos e baixos e cuja resolução de problemas - muitos que vêm de longa data e alguns novos que inevitavelmente vão surgindo no processo de resolução dos antigos - não pode ser feita de um dia para o outro.
Mas manipulem, média ocidentais. Que os venezuelanos não são estúpidos, estão muito melhor informados do que a vossa audiência e têm coisas melhores que fazer do que vos ver. Querendo ser governados por quem genuinamente quer um futuro melhor para o seu país, manda os grandes interesses imperialistas ocidentais ao devido sítio e diz as verdades que poucos ou nenhuns governantes são capazes de dizer.
Manipulem à vontade, que há pelo menos um ocidental que tem cada vez menos paciência para vos ver e que ainda vai tendo a oportunidade de ultrapassar e ignorar a vossa manipulação, podendo ver directamente o que realmente se passa neste país.

Viva Chávez. Viva o Socialismo. Viva a Venezuela.






Autoria e outros dados (tags, etc)

Atenção aos pseudo-esquerdistas...

17.09.12
Eu bem que tento, por vezes, denunciar isto nalguns sítios da verdadeira esquerda - [1] [2] [3]. Mas, por enquanto, os resultados são poucos ou nenhuns... Contudo, entre quem está já consciente da conspiração da NOM, já vou tendo algum sucesso.
Deixo então aqui uma pequena introdução ao que disse recentemente noutro blogue...

A dita "esquerda" europeia - de imagem muito bem polida e da qual os média controlados gostam mais - internacionalista e que quer apenas reformar o Capitalismo (incluindo aquela que finge pertencer a um sector mais extremo desta e que afirma querer ir mais além do que isto, mas que - em termos práticos e efectivos - demonstra não lutar por mais direitos para quem trabalha ou pela abolição desta abominação de modelo económico) está, também ela, controlada pela NOM.
E, conjuntamente com a dita "direita" - que também não o é realmente (devendo ser ambas, tal como os regimes fascistas, mais correctamente descritas como "centristas") - é, também ela, responsável pelos roubos, de que somos todos alvo, e pela destruição e degradação - a todos os níveis - da sociedade em que vivemos, a que estamos claramente a assistir.

Podem ler mais sobre o que com isto quero dizer, <aqui>.

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Made in Socialism"

13.05.12








Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 14:34

Pico do Petróleo, Capitalismo e Socialismo

06.05.12
"Anyone who believes exponential growth can go on forever in a finite world is either a madman or an economist."
--- Kenneth E. Boulding, activista quaker inglês

 


Achei que tinha interesse partilhar também aqui algo que <comentei>, há poucos dias, no blogue de uma das minhas seguidoras, cuja actividade eu também sigo.

(E achei também, já agora, que devia aqui deixar uma explicação...)

Para quem ainda não o sabe, sempre fui profundamente anticapitalista e antiautoritário. Ou, por outras palavras, sempre fui fortemente Socialista, mesmo antes de saber que era um Anarquista. Podendo eu ser genericamente descrito como um socialista libertário.
(Para quem tenha dúvidas: não sou - nem nunca fui - simpatizante das vertentes mais autoritárias do Socialismo - como é o caso do "Marxismo" e derivados - ou, por outras palavras, não sou - nem nunca fui - um discípulo das ideias dos Illuminati...) ;)
Falando em termos gerais e filosóficos, não só considero o Socialismo como o único sinónimo de verdadeira civilização, justiça (se excluirmos as suas formas comunistas), dignidade e respeito, em termos de relações humanas e, mais abrangentemente, em termos sociais e políticos (se excluirmos as suas formas ditatoriais), como considero o Capitalismo uma autêntica degeneração em termos civilizacionais - para além de um sistema imensamente injusto e desrespeitador do próximo, que vejo, cada vez mais, na sua forma presente, como o sistema politico-económico e social simplesmente mais estúpido, alienante, opressor e desumano alguma vez inventado...
Sempre vi o Socialismo como uma verdadeira ideologia, em que existe uma preocupação genuína por Justiça Social. E o Capitalismo como a ausência de valores, a ganância, a sacanagem, o egoísmo, a tacanhez, a exploração, a dominação e a opressão, travestidos de justificações éticas e morais.
(Para além de que pude sempre constatar isso mesmo, ao observar o comportamento da maioria dos adeptos das duas correntes políticas - não me lembrando eu de ver nunca adeptos da chamada direita em manifestações antiguerra ou contra outras políticas e grandes injustiças que causam a morte ou permitem a exploração de outros, que à maior parte das pessoas passam ao lado.)
Acho até que, com o estado a que chegou toda esta sociedade, já nem preciso sequer de argumentar a favor de tudo isto. E que os resultados desta Economia de Mercado - em que resultam quase sempre os sistemas baseados no Capital - e da ganância - da qual resulta toda esta sede de lucro e ávida busca pelo deus-dinheiro, em que, no processo para satisfazer tal, quase tudo é mercantilizável - estão à vista de todos.
A minha curiosidade está até, por vezes, em saber o que têm os defensores do Capitalismo a dizer, agora que se observam os resultados mais que previsíveis deste.
(Os que já sabem o que está a acontecer, isto é. Pois, ainda que levemos já 4 anos de Colapso, e que eu explique detalhadamente a essas pessoas o que está realmente a acontecer, continuo a conhecer quem acha que está tudo bem, que as coisas vão recuperar e que a economia de mercado é que é...)
Mas já sei que a maior parte das pessoas: ou não quer saber dos outros e só quer saber de problemas sociais quando se dá conta de que estes assuntos também lhes afectam; ou quase nunca pensam por si próprias, limitando-se a adoptar as ideias e fórmulas de outras pessoas e a serem depois incapazes de reconhecer que essas mesmas ideias e fórmulas são injustas, menos correctas ou disfuncionais; ou nunca param é para pensar em nada do que é realmente importante, limitando-se, quase sempre, a seguir a sua "manada" particular e a viver segundo as regras que lhes são ditadas pela comunidade em que estão inseridas, sejam essas regras ditadas por uma minoria ou por uma maioria. E que, por estas razões, não têm é estas pessoas simplesmente nada, de jeito pelo menos, a dizer...
(É a sociedade que temos... E a espécie a que pertenço... E a minha paciência já é cada vez menor para discutir política com pessoas lavadas ao cérebro, de mentalidade fechada, indiferentes aos outros e muito pouco inteligentes. Já tenho é cada vez mais uma atitude do tipo "se é atirarem-se de um precipício que querem, então atirem-se...")
Mas, ainda assim, lá vou falando ainda com algumas pessoas e fazendo também aqui algumas colocações sobre estes assuntos.
Segue-se um pequeno texto de alguém mais paciente que eu para explicar o que se passa.

21 MARCH 2011 - ECONOMY

Infinite Growth Is Unsustainable

BY DAVID K. SUTTON
2:50 PM


Capitalism, at least as we know it, requires infinite growth. For-profit companies have to continue to grow in size and increase their profits year after year or risk losing investment money. Many people have gotten very wealthy with this economic model and the rest of us, at least in industrialized countries, have benefited greatly as well. We have many modern conveniences and most of us are quite disconnected from the natural world in a way that would have been unimaginable to people only a few centuries ago. This is certainly good from the standpoint of making our lives easier but it’s not good when you look at the long term picture.

The problem in the long term is that an economic model of infinite growth requires the use of natural resources at increasing rates. The most obvious of these natural resources is petroleum or oil. But many other resources like water and coal are being used at increasing rates to sustain growth in population. This growth in population is fueled by the continued increase in use of natural resources. It’s a cycle of infinite growth that is simply unsustainable on a planet of finite resources.

Hardly anybody in the government or the media is talking about this problem because it’s unimaginable to most people living in modern, industrialized countries that the only way of life they’ve ever known is simply unsustainable in the long term. It’s as if people have either (a) buried their heads in the sand or (b) hope that the shit doesn’t hit the fan until they are long gone. Unfortunately neither position will stop what is inevitable. It really is up to us to realize this now and attempt to build an economic model that is sustainable. This is not possible without major changes. What is apparent is that these changes are going to happen one way or another either by choice or by force as we begin to hit the peaks of supply with regard to some of our most valued natural resources.

One thing that will change regardless of one’s ideology is the very idea of capitalism. As I said, capitalism is an economic system of infinite growth which we can acknowledge (if we aren’t delusional) is not possible on one planet with finite resources. We will need an economic model built on the idea of sustainability, not infinite growth. Our society will have to embrace an idea of collectivism and shared commons. This is fully compatible with democracy but is clearly at odds with capitalism. Some people are going to have to throw away their ideology in favor of something that is sustainable in the long term and in the real world. Some might think that human ingenuity and technology will solve all of our problems. It’s true that these things will help us transition but they cannot erase the simple fact that we only have one planet with finite resources for which to sustain human civilization. No amount of human ingenuity or technology will change that reality.

Autoria e outros dados (tags, etc)

8 horas de trabalho

14.10.11

Se é produzir mais que querem, então contratem mais pessoas, que há muita gente a querer trabalhar.
Não nos tirem é o que há já muitos anos foi conquistado com muito esforço e pelo qual tiveram de morrer pessoas.
Teriam de baixar os salários? Então que o façam e repartilhem os sacrifícios por todos.
Torna-se incomportável o baixo valor destes? Então que se repense todo este modelo politico-económico e social, que funciona segundo a lógica de mercado global, que tem sempre como consequência a diminuição dos salários e o empobrecimento de toda a população e que se considerem então outras alternativas.
Mas será que é mesmo produzir mais que querem? Ou usar toda esta crise como desculpa para explorar ainda mais as pessoas?

Autoria e outros dados (tags, etc)