Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Esta É a Vossa Televisão

22.09.14
Dois episódios de que me recordo, de quando eu era um adolescente, nos anos 90, no tempo em que ainda (por não ter Internet) via televisão, incluindo a SIC.

Primeiro episódio

Estou com um familiar, na sala, a ver este lixo de canal televisivo à noite, quando chega a altura de uma edição da noite do telejornal desta estação (ou interrompem a normal emissão de mesma) e começam a noticiar que ocorreu mais um episódio de deslizamento de terras, numa obra de construção, em Lisboa, que deixou vários trabalhadores soterrados.
A SIC (sempre em busca de ter as maiores audiências) soube cedo do ocorrido e já tem uma equipa no local, a filmar os esforços de resgate, em directo.
O repórter vai contando a história do que ocorreu e, como é habitual, o operador de câmara vai, ao mesmo tempo, desviando o alvo da filmagem do repórter, para filmar antes o local do sucedido.
O acidente ocorreu, claramente, há pouco tempo. Pois, a equipa de resgate ainda está no meio do local exacto do acidente, a tentar desenterrar quem ficou debaixo do monte de terra.
E, vai o operador de câmara filmando os esforços de resgate, quando a equipa responsável pelo mesmo localiza um dos trabalhadores que ficou soterrado.
Começa então a equipa de resgate a tentar logo desenterrar o trabalhador, apesar de este estar já, quase certamente, morto. Mas, por ter este trabalhador ainda uma boa porção de terra em cima, vai tentando a equipa (e não conseguindo, logo) puxar o corpo do homem, pelo braço que está de fora do monte de terra.
Repetem-se os esforços e o operador de câmara da SIC não está com meias medidas...
Começa a fazer zoom sobre a macabra cena dos homens da equipa de resgate que, repetidamente, dão vários "puxões" no braço que está de fora, do trabalhador soterrado que foi encontrado.
Zoom esse, de bem perto, em que muito pouco mais se vê, para além dos repetidos puxares do braço, do trabalhador já morto, por parte da equipa de resgate.
A cena que descrevo, creio que só vendo é que se poderia ter noção do quão revoltante era, que estivesse a ser filmada - e daquele modo (com um zoom macabro, claramente para tentar mostrar ao máximo o que se estava a passar e a fazer lembrar um qualquer filme pornográfico).
Ainda eu um adolescente e ainda numa idade um bocado parva, ainda assim, foi esta uma cena que, na altura, me chocou e revoltou - e também à pessoa que comigo assistia a tal cena, em casa.
Resultado... Levanta-se a pessoa que me acompanhava, para se dirigir ao telefone, e acaba esta por ligar para tal estação de televisão, a protestar pelo que estavam a transmitir - enquanto foi tal telefonema antecedido e sucedido por repetidas expressões de nojo e de revolta, por parte de mim e da pessoa que fez tal telefonema.
No dia seguinte, menciona tal canal de televisão que tinha recebido uma série de telefonemas de protesto por causa deste directo e faz também um (sincero ou não) pedido de desculpas pelo sucedido.
Uns anos depois, reencontro-me e volto-me a dar com um amigo, com o qual tinha perdido o contacto durante uns anos. E, numa das várias conversas que temos, calhou ficar eu a saber que também ele, naquela noite, tinha assistido a tal cena.
Mais do que isso, fico a saber que também ele, na altura ainda mais parvo do que eu, na idade típica de o ser, tinha ficado revoltado com o que tinha visto, ao ponto de também ele telefonar para a estação de televisão.
Conta-me ele que, quando para lá telefonou, o que disse foi: "Esta m**da que vocês estão a fazer é sádica!..."
Reacção por parte de quem atendeu o telefonema... Tapa a parte do telefone dele de onde se emite a voz, com algo que não foi claramente suficiente para abafar todos os sons em redor, e pode o meu amigo ouvir a pessoa que o atendeu a gritar, entusiasmada, para quem o rodeia:
"Epá! 'Tá aqui um gajo a dizer que esta m**da é sádica!..."
Ao ouvir tal coisa, desliga o meu amigo simplesmente o telefone, sem vontade de continuar o seu telefonema.

Segundo episódio

Não sei se antes ou depois deste ocorrido, enquanto vejo na sala várias edições de um ou vários programas quaisquer, que na altura passavam nesta estação, deparo-me nos intervalos dos mesmos com o repetido anúncio de um documentário sobre a Guerra Colonial, que a SIC iria exibir daí a cerca de 3 semanas.
Na apresentação de tal documentário, falam sobre um estranho episódio ocorrido entre uma chefia e suas tropas subordinadas portuguesas, envolvidas na guerra, por causa de uma retirada que não reunia o consenso de todos os envolvidos, nomeando uma conhecida figura militar do PREC como o responsável pela chefia das tropas em tal episódio. Até aqui tudo bem.
Repete-se o mesmo anúncio nos dias seguintes e, cerca de uma semana e meia depois, volta a aparecer a mesma promoção, a falar sobre o mesmo episódio, mas com uma história diferente.
Afinal, não tinha sido a figura militar muito conhecida quem quis impedir tais tropas de retirar. Quem estava por trás das ordens que contradiziam a vontade e as acções dos subordinados era, nem mais nem menos, do que o meu padrinho - oficial militar de alta patente, que também tinha participado na Guerra Colonial.
Aviso o meu pai (também oficial militar) disto e, por sua vez, avisa o meu pai o meu padrinho - que, certamente, terá sido também avisado por outros.
Passa então a promoção de tal documentário a contar uma história diferente. E, não sei se para tentar suplantar, ou não, o que tinha sido anteriormente dito, passa tal promoção a aparecer mais vezes, nos intervalos dos vários programas, com o nome do meu padrinho a ser constantemente mencionado.
O episódio era o mesmo que tinha sido descrito nas promoções anteriores. Mas agora, o mais importante nome mencionado, que era apresentado como o culpado de tudo, já não era a figura militar muito conhecida. Era o meu padrinho, que (tal como a anterior figura militar conhecida) era também ele um oficial militar de alta patente, que comandava tropas na altura.
(Curioso, como a história que iria ser contada se tinha alterado, a meio da promoção da mesma...)
O que se passou exactamente, ou nunca cheguei a saber, ou já não me lembro de. Mas, a história contada tinha contornos ridículos, no modo como a chefia das tropas supostamente tinha dado ordens contrárias a tal retirada. E, não sei se o facto de alguns subordinados estarem a contar uma história mirabolante daquelas seria mentira consciente, ou o resultado de um "diz que disse", em que, por ter sido tal história retransmitida várias vezes, chegou às pessoas finais já muito mal contada. O que sei, é que o relatar da mesma foi obviamente o resultado de mais um péssimo trabalho de jornalismo, por parte de um ou mais repórteres desta estação de televisão. E que o documentário acabou mesmo por ir para o ar. E, tal como indicado na segunda versão da promoção do mesmo, lá se dizia, em tal documentário, que o meu padrinho tinha dado ordens contrárias à vontade de retirar dos seus subordinados e de um modo ridículo.
Resultado... Já alertado para o mesmo, lá viu o meu padrinho tal documentário quando foi emitido. E, imensamente revoltado com o que tinha visto, deslocou-se aos estúdios da SIC, a exigir o exercício do (previsto na Lei de Imprensa) "direito de resposta" - que têm os média de conceder, a alguém que é acusado de algo por estes. E, na edição da noite do telejornal desta estação, que foi emitida após a exibição deste documentário (que tinha sido exibido em "horário nobre") lá estava o meu padrinho a responder às ridículas calúnias que lhe tinham feito.
Visivelmente transtornado e revoltado com o de que estava a ser vítima, a emoção era tal, que não foi o meu padrinho capaz de contra-argumentar muito bem. Mas, do que dizia, dava para qualquer pessoa perceber que, estava ele veementemente a negar o que afirmava este documentário que tinha ele supostamente feito e que o de que o acusavam era, para além de ridículo, uma impossibilidade prática.
Passo seguinte. Não satisfeito com o mero exercer do "direito de resposta", decide o meu padrinho pôr tal estação de televisão em tribunal. E, não surpreendentemente, ganha o processo.
Mais tarde, aquando de uma das visitas deste a minha casa, fico a saber que tal processo lhe deu direito a uma indemnização. E fico a saber também o mais engraçado, relativo a tal indemnização...
Não me lembro já se tal lhe foi dito pelo advogado que o assistiu em tal processo - e que, por se ter informado bem sobre a situação, soube entretanto disso - ou se tal lhe foi dito posteriormente por alguém que estava bem dentro do assunto - e que possivelmente pertencia aos contactos de "alto nível" que ele tinha. Mas, o que sei, é que isto lhe foi dito por alguém que sabia do que estava a falar. E, que foi o seguinte, relativo ao pagamento da indeminização a que tinha ele direito...
"Se fosse a RTP ou a TVI, pagavam logo. Agora a SIC..."
Também já não me lembro exactamente quanto tempo demorou esta estação de televisão a pagar o que era devido. Mas, do que lembro, ainda demorou uns anos - e confirmou-se, de facto, o que era já sabido.

E, depois desta longa introdução, aqui fica então a razão de ser desta colocação

Deixo-vos com o famoso documentário (do qual, segundo ouvi dizer, a SIC comprou os direitos de transmissão em Portugal, para impedir que este fosse divulgado) "Esta É a Vossa Televisão".
Exibido primeiramente, em 1997, pela estação de televisão franco-alemã ARTE - e que, após a polémica que surgiu em torno do mesmo, decidiu também a SIC transmitir, ela própria, para tentar dar a impressão de que não havia nada de mal no que nele era mostrado.
Mas, com uma interessante particularidade...
O documentário foi exibido pela SIC por volta das 3 da manhã (hora a que quase toda a gente que trabalhava, na altura, estava já a dormir).
O filme foi antecedido de uma tentativa de gestão dos danos feitos, com uma declaração precedente, feita pelo próprio Pinto Balsemão, em que não foi este capaz de dizer nada que contradissesse o que neste documentário é denunciado. Mas, tal declaração precedente não está incluída nesta gravação que foi feita, do que foi emitido na televisão portuguesa. De qualquer modo, o documentário - que é o que mais e realmente interessa - está lá todo.

Minhas senhoras e meus senhores: "Esta É a Vossa Televisão"

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quantos terão reparado?

16.10.12
(Algo que apanhei, mesmo só por acaso, por estar, na sala onde estava a fazer algo num computador, a televisão ligada e por estar eu, num momento "morto", a olhar para esta, que estava ligada neste canal. Dado o quão pouco ainda vejo do que passa na televisão nacional, faz-me interrogar sobre que mais coisas deste tipo é que me andarão então a escapar...)

A fotografia que se segue, foi tirada de um momento, em particular, que ocorre, a dada altura, numa peça teatral que fez parte da gala de celebração, que ocorreu este último fim-de-semana, dos 20 anos da estação de televisão SIC. Esse expoente máximo de cultura e excelência de informação, em Portugal, propriedade do membro permanente do Clube Bilderberg, Francisco Pinto Balsemão.


Para que possam enquadrar a mesma, espreitem aqui o vídeo correspondente à peça em causa - que é o 20º da lista, com o título "Eu durmo com quem eu quero e faço o que me apetece!".
Reparem no carácter único religioso desta peça, em particular, e no conteúdo da mesma, que consiste numa apologia clara do abandono dos princípios e valores que caracterizam a religião em causa que é retratada. Tenham em conta tudo isso, e depois lembrem-se de qual é um dos principais objectivos de uma das sociedades secretas que tem membros em comum com o Clube Bilderberg e lembrem-se também de quem é que está por trás do fenómeno da música moderna, com este e outro tipo de letras, que convida à degeneração, a todos os níveis.
Tenham também em conta o muito importante facto de que esta é uma peça que terá sido ensaiada n vezes e que foi claramente pensada, reflectida, planeada e aperfeiçoada, durante um longo período de tempo. Ou, por outras palavras, que esta é uma representação na qual nada - incluindo a gesticulação usada - terá sido deixado ao acaso.
E depois reparem também, e bem, na firmeza do gesto em causa, que nunca é desmanchado neste momento. Firmeza essa, que indicia se tratar de um gesto muito consciente.
(A mim, é que ninguém convence que tenha sido, tal como em outros casos, um mero gesto improvisado e irreflectido...)

E, já que estamos a falar neste gesto e no nosso país... Olhem aí o líder da versão portuguesa da WikiLeaks - o "TugaLeaks" - a cumprimentar-vos a todos...

Autoria e outros dados (tags, etc)

"That's aa... Francisco Pinto Balsemao."

26.11.11

Que foi o patrão do grupo Impresa fazer ao Canadá, em Junho de 2006? Que clube é esse de que ele faz parte? Que assuntos lá se discutem? E qual o propósito de tal clube?
Saibam as respostas a estas perguntas, naquele que é, definitiva e simplesmente, um dos melhores documentários de sempre sobre a NOM. E que é também, talvez, o melhor filme até agora feito por Alex Jones.
Uma obra de visionamento obrigatório, para todos aqueles que querem compreender e conhecer minimamente esta incrível conspiração.
Para quem ainda não o tenha visto, coloco aqui Endgame: Blueprint for Global Enslavement.

(Trecho de promoção e página oficial do filme. Algumas das fontes usadas no documentário, aqui.)


(E para quem quiser estar ainda melhor informado sobre esta história, faço aqui uma importante correcção ao que neste filme é dito pelo seu autor...)
A tese que Alex Jones defende, de que o regime nazi alemão foi um plano abortado do projecto da NOM, é deveras perturbadora. Pois é uma que nos deixa a pensar que, não fosse ter havido um conflito interno entre os cabecilhas deste projecto, aquela assustadora mancha que se vê, por exemplo, nas cenas iniciais do filme Inimigo às Portas, ter-se-ia espalhado por toda a Europa e boa parte do Mundo, e já hoje estaríamos a viver sob esta ditadura...
A tese tem bons argumentos que a sustentam. E, de facto, de entre todos os sistemas políticos até agora existentes, o regime nazi é aquele que mais se assemelha ao projecto da NOM. Seja na mistura que fez de Capitalismo com Comunismo, no extermínio sistematizado de cidadãos sob o seu jugo e nos vários projectos de vanguarda no domínio da experimentação científica em seres humanos. Mas, tanto quanto me pude informar, através daquelas que são as fontes mais credíveis que conheço, que têm pesquisado seriamente sobre este assunto - com o Dr. John Coleman a surgir em primeiro lugar, como aquele que melhor explica tudo isto e melhor sabe do que está a falar - não se tratou deste caso.
A correcção, fi-la uma vez num comentário, num fórum de discussão de um dos sítios do Alex Jones. E pode ser lida aqui.
E quem se interrogue sobre que sentido fazem, então, as declarações de apoio a Hitler, por parte de quem chegou a ser o detentor da coroa britânica, lembre-se de que este tipo de pessoas - tal como explica Webster Tarpley nesta conversa - não primam pela sanidade mental.
E mais provas disso, são fáceis de encontrar.
Já o grupo que constituía a Administração Bush - que era, oficialmente, encabeçada por uma das mais importantes famílias envolvidas nesta conspiração - era conhecido, no meio político norte- -americano, como "the crazies" ("os malucos").
E que as pessoas envolvidas em tudo isto são imensamente loucas, é uma conclusão a que qualquer pessoa, que se informe minimamente sobre este projecto, rapidamente chega.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O 11/9 como indicação da existência da conspiração da NOM

06.09.11

Quem me conhece, tem-me repetidamente perguntado, quando falo sobre as coisas mais incríveis que sei, cujas fontes são o Daniel Estulin e o Dr. John Coleman, porque razão acredito no que estas pessoas escrevem.
E eu costumo responder que por três razões.
Primeiro que tudo, porque o que me é dito por estes autores, pouco mais são do que confirmações de suspeitas que eu próprio já tinha por estar bem informado sobre questões políticas. Factos que eram já sugeridos quando, no decorrer das minhas pesquisas, cruzava informações que são do conhecimento público. (Do tipo, se governo A está a agir de certo modo e, ao mesmo tempo, governo B está a agir do mesmo modo, surge naturalmente a suspeita de que estes estejam a agir de modo concertado, certo?)
Segundo, porque uma boa parte do que estes investigadores expõem, são coisas que eu próprio já presumia que quem nos controla - e não quer, de modo algum, perder esse controlo - estivesse a fazer, pois são coisas que eu próprio faria se no lugar destas elites estivesse. (Estupidificação das massas, para fácil controlo das mesmas etc.)
Terceiro, porque tudo o que estes autores dizem encaixa perfeitamente, quer com o que é do conhecimento público, quer com o que tinha sido já descoberto por outros investigadores.
Para além disso, em nada do que estes escrevem encontro inconsistências ou contradições. O que facilmente ocorre quando alguém mente. E sendo o trabalho destes autores um muito extenso, se fosse de mentirosos que se tratassem, a cada nova obra editada aumentava a probabilidade de, mais cedo ou mais tarde, estes serem apanhados a mentir e consequentemente serem imediatamente desmascarados. O que, não só nunca ocorreu, como até, em pelo menos um caso em que havia algo em que eu tinha dificuldade em acreditar, o que estes investigadores diziam se revelou mais tarde ser ainda mais consistente, do que eu pensava, com outras coisas que sei.
E é aqui que entra o 11 de Setembro. Assim como é o seguinte o que quero dizer, quando afirmo que estes atentados são uma peça fundamental para compreender a conspiração da Nova Ordem Mundial.
Ao alertar toda a gente que me lia, sobre o que tinha descoberto sobre os atentados, dizia, há uns anos, após a minha pesquisa:

 

E chegando ao final do que quero dizer, como disse, ainda não consigo ver a "big picture" completa sobre os atentados... Toda esta procura por esclarecimento levou-me a mais perguntas que respostas.
Já sei quem foram os seus autores, porque razão estes ocorreram, mas falta-me, chamemos-lhe a parte de cima do "puzzle"... "Quem está por trás de tudo isto?"
Serão apenas alguns membros dentro do governo norte-americano, ou algo mais que isso?
Alguns factos entretanto descobertos sugerem que os EUA não estão sozinhos em tudo isto, e que também o governo britânico está a fazer coisas como proteger os supostos terroristas que deveria estar a perseguir.
http://www.prisonplanet.com/archive_mi5terror.html
Mas quem tem algum conhecimento de história, e já ouviu falar em coisas como a rede Echelon, sabe que existe uma espécie de aliança não declarada entre os vários governos dos países de população anglo-saxónica no que toca a política internacional...
E veja-se o atentado de Bali, que até alguns membros do parlamento indonésio acusam de ter a CIA por trás: "Atentado em Bali! Australianos mortos! Austrália declara que se irá juntar à 'Guerra contra o Terrorismo'!" Que conveniente!...
E na Europa? O que se passa na Europa?
Se qualquer pessoa com acesso à Internet que se queira informar sobre isto, sabe quem está por trás dos atentados, tudo o que são serviços secretos europeus sabem disto e muito mais!
(Existem vários indícios disso: Já reparam que a al-Qaeda não aparece sequer na lista de organizações terroristas emitida pela UE? A mesma exacta organização terrorista que, supostamente, está na origem da elaboração dessa mesma lista?)
Ou seja, se nós sabemos isto, o SIS e, consequentemente, o governo português sabem disto(!). Porque razão está o governo português a alinhar com os EUA? Será mera conveniência política?... Do tipo "se não alinharem são castigados, e se alinharem recompensados"? (Como parece estar a ser o caso, quando se sabe que já existem até companhias portuguesas que estão prestes a ir "ajudar" na reconstrução do Iraque...)
E, já agora, o que é o primeiro-ministro Durão Barroso, conjuntamente com o líder da oposição Eduardo Ferro Rodrigues e o presidente de um dos maiores/o maior? império de mass média em Portugal, Francisco Pinto Balsemão, foram há semanas fazer,
http://www.bilderberg.org/2003.htm
a mais uma reunião do, agora, desde que começou a ser exposto há alguns anos, já não muito secreto, grupo Bilderberg, fundado por um príncipe holandês que era membro das SS e por um agente do MI6 britânico, em cuja anterior reunião, no ano passado, que contava, ao que parece, pela primeira vez, com elementos árabes, foi dito que a invasão do Iraque iria ser feita em Fevereiro ou Março de 2003? (Fonte: jornalista Jim Tucker da "American Free Press" - Ouvir entrevistas nos programas de rádio de Alex Jones em prisonplanet.com.)
Pois... o mesmo Francisco Pinto Balsemão que é dono, por exemplo, do canal "SIC Notícias" que só cita o britânico "The Guardian" quando lhe apetece, omitindo convenientemente as restantes notícias que desmascaram uma boa parte de tudo isto...
Que história é esta da França e da Alemanha estarem contra os EUA, para no fim da guerra se tornarem todas amigas destes (e vice-versa) e, ao que parece, estarem até já a alinhar com este governo para a próxima invasão que irá ter como vítima o Irão?
Será tudo isto "teatro" (tal como o praticado por Colin Powell, que de início se afirmava contra a guerra do Iraque, para depois no fim, antes desta, "mudar" de opinião e passar a ser a favor da mesma) para disfarçar o consenso e não tornar as coisas tão óbvias ou para inibir a contestação popular a tudo isto e dar a ideia de que já há quem esteja a fazê-lo (a contestar tudo isto)?
E que história é esta da UE, que sabe perfeitamente quem fez os atentados, alinhar pronta e rapidamente com os EUA nesta nova "Guerra contra o Terrorismo" e estar até já a estabelecer acordos de cooperação policial com este governo?
Estão todos feitos uns com os outros, é isso???
E quem fala em Europa, fala no Canadá, que prontamente passou legislação "anti-terrorista"...
O QUE É QUE SE PASSA AQUI??!!
Qual é o objectivo (final) de tudo isto?

 

As respostas às minhas interrogações - pude mais tarde confirmar, ao ler o livro do Daniel Estulin sobre o Clube Bilderberg - eram mesmo (tal como eu depois chamava a atenção para, no mesmo texto) "as que são avançadas por quem, tal como Alex Jones, há anos que investiga, e avisa as pessoas para, as manobras de bastidores dos poderosos".
Era mesmo a tal "Nova Ordem Mundial" de que estes falavam.
E, tal como eu dizia, era realmente verdade que "para além do grupo Bilderberg, parece que, segundo os entendidos, existem outras duas organizações-chave, protagonistas em tudo isto. E são estas: o norte-americano 'Council on Foreign Relations' (...) e a mais conhecida Comissão Trilateral, que conta no seu quadro de membros com um tal de 'Braga de Macedo'".
Conclusão... A conspiração da Nova Ordem Mundial pouco mais foi do que a confirmação de suspeitas que eu próprio já tinha.
Daí, poderão compreender que não será, para mim, difícil acreditar em pessoas como o Daniel Estulin e o Dr. John Coleman.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 09:06