Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A história do "aquecimento global" é uma enorme mentira (x2)

30.11.15

(Repetindo o título de uma colocação que fiz neste blogue, há um ano - na conclusão de uma série de colocações que fiz, a propósito do 5º aniversário do escândalo "Climategate" - venho aqui deixar um comentário por mim feito, há poucos dias, no sítio do jornalista James Corbett.)

environmentalmovement.png

Completando o que digo eu neste comentário...
Têm, por exemplo, <aqui> e <aqui> o que as mencionadas fontes têm a dizer sobre isto.
E, quem quiser saber mais sobre esta história, pode usar a etiqueta "alterações climáticas" deste blogue - de cuja uma das colocações eu extraio a seguinte (muito boa) palestra.

 


Para quem se interroge sobre porque razão estão, então, regimes não controlados pelo Ocidente a alinhar nesta farsa... A explicação para tal estará, muito provavelmente, no que já dizia eu, numa outra colocação, há 7 anos, quando falava numa "camouflage they [are] building for the Peak Oil phenomenon, in order not to scare people about the huge problems this last fact will bring"... (Se quiserem saber que grandes problemas são esses - causados pelo facto de que o petróleo e o gás natural estão a acabar - podem espreitar esta colocação. E, para mais informação sobre este último fenómeno e suas consequências, podem clicar nas etiquetas deste blogue denominadas "pico do petróleo" e "colapso".)
Quanto à mencionada "Fusão Nuclear"... O problema é que o uso da mesma, para produção contínua de energia, está (tal como poderão constatar, se virem esta palestra) ainda a algumas décadas de distância. E, até que esta alternativa energética seja (muito possivelmente) desenvolvida, ainda muitas coisas más irão acontecer...

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 16:23

O célebre Maio de 68 explicado em muito poucas linhas

16.05.15

mai68_violence.jpg

 

Um comentário que deixei ontem na rede Facebook, na página de um colectivo de estudantes anarquistas que assinalava como algo de positivo este conhecido episódio (comentário esse, que foi inesperadamente apagado, quando eliminei eu hoje a minha conta nesta rede - a qual foi criada apenas temporariamente, para enviar uma mensagem a um outro colectivo que apenas se deixava contactar através deste rede social controlada).
Os dois artigos para os quais eu deixo hiperligações, no final do comentário, são <este> e <este>.

 

maio68.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

O movimento "Podemos" é uma criação da Maçonaria

02.03.15

A confirmação de que este movimento partidário espanhol se trata de mais um movimento controlado, feita pelo credível investigador Daniel Estulin. (Tirada daqui.)



O de que estou certo (ou, se quiserem, fortemente suspeito) é que os amigos gregosportugueses deste falso movimento "Podemos", mais do que pertencerem à Maçonaria, pertencem também à parte "iluminada" da mesma...
Mas isso, a ver vamos se algum dia este conceituado investigador denuncia. (Pois, cheguei a pensar que não entrasse ele neste tipo de denúncias, por serem demasiado esotéricas, para a massa ignorante, mas, o que é certo, é que entrou mesmo...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Livrai-nos deste mal

29.01.15

partidoiluminado.jpg

 

E, deparadas com um enorme descréscimo nas intenções de voto na sua farsa de partido, o que fazem as pessoas que mexem os cordelinhos do dito "Bloco de Esquerda", para tentar resolver esta situação?...
Ora, criam uma nova farsa de partido. (Através de um suposto "independente" que - oh, que coincidência - tem as mesmas intenções de se "aproximar" ao PS e de criar uma união composta por toda a falsa esquerda, em Portugal...)
Desta vez, o nome do embuste é "Partido Livre". O qual, felizmente, não conseguiu (ainda) eleger nenhum deputado.
E, falando de aspirantes a deputados...
Que Rui Tavares é esse, cabeça de lista deste partido nas últimas eleições europeias, que é todo pró-UE e que é um historiador especializado na História do século XVIII?
Século XVIII. Hmm... Ó Rui Tavares: E que tal contares, a quem quer em ti votar, que sociedade secreta é essa, de natureza política, que foi formada e posteriormente descoberta no século cuja história tu conheces melhor do que muita gente (alienada, que queres que em ti vote) - e que muito falada foi no início do século seguinte? E, já agora, que tal explicares ao teu possível eleitorado as (que são muito importantes) relação e coincidência que existem entre os objectivos de tal sociedade secreta política e aqueles que afirmas tu, e os teus "ex-"companheiros de partido político, serem também os seus objectivos?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não posso com este movimento

27.01.15

podemos.jpg

Deixo, a seguir, a fotografia de um comentário que fiz, há 1 mês, num suposto sítio anarquista na Internet, relativo a uma decisão tomada pelo colectivo que gere tal sítio, de aderir a esta farsa de partido (decisão essa, à qual se seguiu um estranho comunicado por parte da CNT espanhola, prontamente emitido, menos de uma hora depois e a altas horas da noite) onde me faltou dizer que: O que também não é lá muito anarquista, é estar muito mal informado sobre questões políticas - e, consequentemente, tomar más decisões sobre as mesmas. (E, isto, partindo do princípio de que se trata de um sítio gerido por pessoas honestas - coisa em que não acredito...)

alasbarricadas.org.png

E, é tal e qual como lêem. Acredido tanto neste partido ou movimento - que recorre à versão espanhola da máxima "Yes We Can" - como confio no partido grego Syriza.
(Veja-se até aqui uma fotografia linda, do apoio mútuo que existe entre estas duas farsas.)
E, ainda menos, quando olho para o (muito importante) passado político recente de quem o lidera.
Movimento este, que tem agora até uma imitação barata portuguesa, do menos convincente que já alguma vez vi... Ahahah :)
E, dito isto, a quem procure soluções, tenho a dizer também o seguinte...
A haver uma (verdadeira) Revolução, esta só poderá ocorrer quando as pessoas tiverem verdadeira consciência política. Consciência e consciencialização essas, que começam com o estarem bem informadas sobre as mais importantes questões políticas. (O que, ao apoiar estas farsas de partidos e movimentos, prova muita gente, que nestas esparrelas está a cair, não estar...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 14:26

Um Colapso mais suave e sob máximas diferentes, para enganar

25.01.15

SYRIZA.png

 

É o que irá proporcionar o falso partido Syriza ao povo grego, que irá cometer o grande erro de eleger esta farsa de partido para governar o seu país - outrora desenvolvido e que, com isto, confirma estar no caminho para a sua autodestruição.
(Sendo que, o que tudo isto me faz lembrar, é aquelas pessoas que, preocupadas com os efeitos nocivos de fumar, deixavam de fumar "Marlboro", para passar antes a fumar "Marlboro Lights"...)
Já o disse aqui e repito. E, agora com veemência: O Syriza é, claramente, um partido controlado.
Vejam como a imprensa controlada não ataca tal partido (o que certamente faria, em força, se fosse mesmo um partido anti-sistema) e como a propaganda emitida por tal imprensa controlada usa para este partido o ridículo rótulo de "anti-FMI" (como se tal instituição se pudesse dissociar dos outros dois elementos do triunvirato FMI-BCE-UE que estão a destruir a Grécia e a restante Europa do Sul).
Se é "anti-FMI" que este partido é, porque razão não é também anti-UE e anti-BCE - que já vários analistas têm denunciado que, por si só, são, logo à partida, também causas de todo este Colapso?
As indicações não param aqui... E, basta ver o apoio estrangeiro que tem este partido, por parte de outros falsos partidos europeus - como é o caso do nosso "Bloco de Esquerda" (último este, que já começa a deixar cair a sua máscara, afirmando-se agora antes como um partido "social-democrata").
Às pessoas que acharem estranho o que eu aqui digo, ou denuncio, apenas posso recomendar que:

<Estudem> melhor os vossos inimigos, se não é cair nas armadilhas que estes vos montam o que querem que vos aconteça...

(E podem ler duas ou três vezes este conselho que vos dou, para que tal vos entre bem na cabeça.)

Resta agora ver que reacção futura terá o investigador Webster Tarpley - que, apesar do seu QI de 190, não foi ainda capaz de se aperceber disto - quando se der este conhecido autor conta de que "apostou no cavalo errado"...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Símbolo da campanha mediática que surgiu em torno dos atentados ocorridos em França

13.01.15

(Mais uma vez, o "punho erguido" - para o qual aqui já chamei a atenção...)

 

je-suis-charlie.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 00:24

A RT no seu pior

26.12.14

Um miniconcerto de péssima música rock, com profanidades à mistura, intercalado por uma entrevista aos membros da banda em causa, na qual se tenta defender tais estilo de música criado pelo Instituto Tavistock e linguagem de baixo nível como algo de "progressista"...



Foi a segunda parte de uma recente edição do programa "Breaking the Set", com que me deparei, por acaso. Sendo que, o que vi, na altura, foi ainda "melhor" do que isto. Pois, ao mesmo tempo que o programa era emitido, era exibido no canto inferior direito um rectângulo que transmitia uma cobertura em directo das manifestações "Black Lives Matter", nos EUA.
(Manifestações estas, para mim, claramente organizadas pelo próprio poder estabelecido, para desviar a atenção da violência e estado policiais em si e tentar ridiculamente criar divisões raciais no país - sem que tenha havido indícios, nos casos reportados, de que o racismo é sequer um problema - ao mesmo tempo que, mais uma vez, se apontam as pessoas para formas de "luta" que não levam a lado nenhum e, através da violência instigada em tais protestos, se criam pretextos para um ainda maior estado policial.)
É este o tipo de coisas de que falo, quando digo nas entrelinhas que Abby Martin é, para mim, claramente o que se chama uma "gatekeeper" - que está constantemente a desviar a atenção dos contestatários à actual situação para as menos danosas críticas que se podem fazer e para os menos danosos críticos que existem.
(Um exemplo: ó para ela, recentemente a entrevistar e a promover o autor Nafeez Ahmed - que, embora seja uma pessoa muito bem informada sobre os atentados de 11 de Setembro e de 7 de Julho, nunca diz que se trataram estes de auto-atentados. E que, no início do documentário Zero até nem consegue esconder um sorriso furtivo, quando fala sobre o 11/9.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 15:32

Breve colocação que fiz no sítio na Internet (de e para activistas) onde, no passado, praticava eu o chamado "jornalismo cidadão"

18.12.14

Há uma maneira de resolver os actuais problemas energéticos e também de eliminar a pobreza e a fome na Terra

Enviado a 17 Dez 2014, por Fernando Negro

Chama-se "Energia de Fusão", é a forma de energia nuclear que ainda falta dominar e não tem a perigosidade que tem a fissão nuclear, que é usada nas actuais centrais. E, se nunca ouviram falar da mesma, há uma muito boa razão para isso...

Para além do facto de estarem quase todos os média de massas controlados pelos grandes interesses económicos, o que se passa, é que o moderno movimento activista (global) foi vítima de um grande embuste - que foi o surgimento do suposto "movimento ambientalista", que é, na verdade, uma criação das elites governantes, que querem: reduzir a população mundial; salvaguardar os preciosos recursos naturais limitados que restam para elas próprias; e impedir o progresso e o desenvolvimento descontrolados na sociedade, por porem estes em perigo o seu domínio sobre a sociedade.

(Informem-se sobre quem criou e quem financia grupos como a WWF, a Greenpeace, ou até mesmo o português "GAIA"...)

O que as elites governantes querem, é um mundo de pobres e ignorantes, que não tenham condições materiais, ou sequer mentais, para avançar com soluções para os problemas que enfrenta a nossa sociedade. Sendo esta a razão pela qual a mesma está a ser destruída, *de propósito*, enquanto se adia o surgimento da mencionada possível alternativa energética.

E, se andam alguns activistas ainda a lutar pelo empobrecimento geral da sociedade, através de campanhas pseudo-ecológicas - como a do suposto combate à farsa do "aquecimento global", que não se verifica - é porque foram os mesmos bem-sucedidamente lavados ao cérebro pelos média de massas e pelos falsos movimentos activistas, criados pelas próprias elites.

Activistas portugueses e outros que leiam isto: quem vos escreve, é alguém que também já foi um activista no passado, mas que infelizmente já não tem grande paciência para explicações. E, se querem saber mais do que falo, podem começar por aqui: http://blackfernando.blogs.sapo.pt/a-grande-luz-ao-fundo-do-tunel-70302

É esta a minha primeira e última colocação, na nova forma deste sítio na Internet.

Vocês foram avisados.

 

poverty-wmd.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 21:32

Preparem-se para mais uma tentativa de "revolução colorida"

01.11.14

(Repararam em como, após os resultados das eleições no Brasil, os comentadores na imprensa portuguesa começaram logo com afirmações do tipo "temos agora um país dividido" e afins? Como se, numa Democracia, dependendo do tamanho da diferença de resultados, o normal ou que fosse esperado, em certos casos, fosse que as pessoas não aceitassem a vontade da maioria? Ao que parece, o que está planeado para o Brasil é o mesmo que tem vindo a ocorrer na Venezuela. Lembrem-se de que as tentativas de sabotagem da Copa do Mundo de futebol tiveram, claramente, grupos controlados por trás. E, lembrem-se também de que o Brasil irá ser ainda o anfitrião de um outro grande e muito importante evento desportivo internacional.)

 

Brasileiros Votam por um Futuro Soberano Dentro dos BRICS; Reelegem Dilma Rousseff Presidente

26 de Outubro de 2014 (SNEIR) - A reeleição de Dilma Rousseff como Presidente do Brasil hoje derrotou a tentativa do Império Britânico de tirar o Brasil dos BRICS e dos projectos de integração sul-americanos, através da eleição do seu adversário, Aécio Neves. Dilma ganhou 51,6% dos votos, contra os 48,4% de Aécio.

O estadista estadunidense Lyndon LaRouche avisou mais cedo neste dia que uma vitória de Neves iria tornar o Brasil novamente numa colónia britânica e era uma ameaça para os reais interesses dos Estados Unidos da América. Ele regozijou-se com as notícias da reeleição de Rousseff.

A votação é uma derrota de tudo o que é representado pelo sistema transatlântico. A Economist e o Financial Times de Londres fizeram vigorosamente campanha por Aécio. Neves prometeu impor novamente a ortodoxia económica no Brasil, realinhar o Brasil com o partido da guerra anglo-americano e virar-se contra os BRICS e a América do Sul e nomear o especulador de fundos de cobertura Armínio Fraga como seu futuro Ministro da Fazenda, para provar a sua seriedade. Os bancos e os fundos de cobertura de Londres e Wall Street, e os seus lacaios brasileiros, praticaram guerra financeira, de cada vez que o seu rapaz caiu nas sondagens.

Rousseff recebeu bem os ataques a ela dirigidos pelos banqueiros e insistiu que o Brasil não deve voltar ao neoliberalismo que o tinha destruído no passado e que hoje em dia está a destruir a Europa. O futuro jaz na nova ordem mundial que está a ser forjada pelos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), de nações soberanas comprometidas em elevar os padrões de vida e em desenvolver as indústrias nacionais, argumentou ela.

A maioria dos brasileiros rejeitou a insistência britânica de que deixem o barco salva-vidas dos BRICS para saltar de volta para bordo do Titanic transatlântico!

O Plano A britânico nas eleições de elejer a querida da WWF Marina Silva como Presidente, foi enviado para uma derrota esmagadora na primeira volta das eleições. Com o seu Plano B agora também derrotado, iniciou-se já a discussão do Plano C: criar uma situação de total polarização e ingovernabilidade, tal que possam lançar uma "revolução colorida" nos próximos meses, com a Economist de Londres já a criar a propaganda para lançar os "revolucionários de caxemira" de São Paulo como líderes. Tal como escreveu o New York Times no dia anterior às eleições: "Quem quer que ganhe no Domingo irá enfrentar o desafio de governar num sistema político no qual presidentes têm de forjar alianças com um conjunto de diferentes partidos, incluindo alguns com aguçadamente diferentes ideologias. Não é esperado que a crescente tensão política no país torne este processo mais fácil".

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 12:50