Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


E, mais uma vez, censurado pela Blogger

10.07.17

(É por estas e por outras é que abandonei eu tal serviço e me mudei para o SAPO...)
O seguinte, é um comentário que (foi feito de modo apressado e sem grande paciência, mas que, ainda assim) foi repetidamente censurado - [1] [2] [3] - que tentei deixar num recém-criado blogue do mesmo autor da (relativamente conhecida) conta no Twitter "Crimes of Britain", em que se propõe tal autor a denunciar o que chama o "conluio" que existe entre o governo britânico e alguns grupos terroristas a operar em países muçulmanos.
Para melhores esclarecimentos (mais cuidados e elaborados) sobre os assuntos de que a seguir falo, deixo também aqui as seguintes hiperligações - [1] [2] [3] - para colocações minhas anteriores.

 

Fernando Negro 30 June 2017 at 05:29

It's not "collusion" that we're talking about... It's "creation" and "command & control".

The name "al-Qaeda" means "the Base" - and, it comes from the computer/IT term "database" (http://www.globalresearch.ca/al-qaeda-the-database-2/24738). This supposed organization is actually just a list/"database" of Muslim fanatics who are, unknowingly, being used by Western (i.e. UK + USA) intelligence agencies - including on Western soil. And, as even the official History admits, "al-Qaeda" is a creation of the CIA.

Former MP Robin Cook called people's attention to the origin of such supposed organization (https://www.theguardian.com/uk/2005/jul/08/july7.development) a day after the 7/7 terrorist attacks, and appeared dead less than a month afterwards.

The recent change, in name, from "al-Qaeda" to "ISIS", most probably came as a result of the (at the time, increasingly) apparent contradiction, that was becoming too noticeable or obvious, that such supposed organization was actually being supported by the West (for example, in Lybia: http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/africaandindianocean/libya/8391632/Libya-the-West-and-al-Qaeda-on-the-same-side.html) while, at the same time, it was, supposedly, its enemy nº 1.

(And, even if you consider ISIS to be a separate organization from al-Qaeda - which is not, since that, its members are the same: http://tarpley.net/isis-same-fanatics-nato-armed-in-libya-and-syria/ - again, there are also proofs of a Western hand behind the appearance of such supposed organization: http://www.wnd.com/2014/06/officials-u-s-trained-isis-at-secret-base-in-jordan/)

Al-Qaeda/ISIS is just a tool of British and American intelligence agencies, that serves a variety of purposes. And, when it comes to terrorist attacks on Western soil, its purpose is (1) to create a pretext to invade countries in the Middle East, that are rich in natural resources, and (2) to create a pretext for a Police State in the West (in which the ruling elites, who ultimately give orders to our governments, can better control the ignorant masses).

Notice, for example, how the most important terrorist attacks on Western soil (the ones that cause more victims, and require serious planning) always happen on days or months 7, 11 and 22 (i.e. dates with Masonic numbers).

Please, take a look at the following great lecture, given in 2002, by Prof. Michel Chossudovsky, editor of the well-known "Centre for Research on Globalization" (GlobalResearch.ca), for an introduction to what I'm talking about.



And, please also take a look at the following sources, for more information about this: https://www.infowars.com/https://twitter.com/EstulinDanielhttp://www.globalresearch.ca/https://www.corbettreport.com/http://tarpley.net/http://www.voltairenet.org/enhttp://www.larouchepub.com/ + http://www.tenc.net/

With all due respect, to know what you're (really) talking about, you should first do some serious reading of the above-mentioned sources... Otherwise, you'll just write tons and tons of wrong/incorrect analysis of what's (really) going on - and you'll possibly only realize some years from now how wrong/incorrect you were about this particular subject.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 17:32

Google irá rotular a imprensa alternativa como não credível

08.06.17

google-cia.jpg

 

Não é que a manipulação (verdadeiramente dita) de resultados não seja algo já praticado por este motor de busca. Pois, quem tiver por hábito procurar informar-se sobre factos que são reportados pela imprensa alternativa, já deverá ter observado que os primeiros resultados são por norma, cada vez mais, de sítios cuja credibilidade é verdadeiramente questionável.
Ou seja, cada vez mais, o que acontece é que, se vai uma pessoa usar este motor de busca para se informar sobre factos reportados pela imprensa alternativa, a não ser que use a opção "site:x" (para, deste modo, ter como alvo sítios que já saiba serem credíveis), os resultados que são mais exibidos (isto é, os que aparecem nas primeiras páginas de resultados) são os de sítios na Internet que, até pelo nome dos mesmos, dá para ver que não são credíveis - ou que são até mesmo ridículos - ficando, consequentemente, um ignorante nestes assuntos, que vá pela primeira vez tentar averiguar algum facto não reportado pelos média de massas, com a ideia de que quem anda a escrever (mais extensivamente) sobre aquele assunto estranho de que ouviu falar são mas é uma cambada de "teóricos da conspiração".
(Sendo que, embora não admitindo esta companhia que o tem vindo já a fazer, temos <aqui> a mesma a admitir recentemente que vai começar a fazê-lo.)
Assim como, quem use frequentemente este motor de busca em localidades/computadores diferentes, já poderá ter reparado que, não só as sugestões que aparecerem são dependentes do que andou a pessoa anteriormente a pesquisar sobre, como os próprios resultados são diferentes, consoante o endereço IP que está a ser usado (e têm também <aqui> uma admissão de que é isso mesmo que acontece). Sendo esta a razão pela qual, quando queremos alertar alguém sobre algo, convém sempre providenciar hiperligações específicas - e não apenas dizer a tal pessoa que use certos termos de pesquisa neste conhecido motor de busca.
Mas, se este tipo de manipulação (por parte de um motor de busca com ligações à CIA e à NSA) não parece ser suficiente para manter as pessoas desinformadas - escondendo delas as hiperligações mais relevantes - eis que - no decorrer do pânico que se está a instalar entre o poder estabelecido, causado pela crescente quantidade de pessoas que tem vindo a prestar mais atenção à imprensa alternativa (e da subsequente campanha de difamação desta última imprensa, apelidando-a de emissora de "notícias falsas") - tivemos uma nova evolução...
A rotulação, pura e dura, de sítios de notícias na Internet, que tenta dizer que alguns dos sítios que são alvo desta rotulação não são de confiança(!) (semelhante ao que já começa a ser feito pela Amazon com certos livros mais incómodos).
E, têm <aqui> um artigo que explica o que irá, no futuro próximo, começar a observar-se neste muito conhecido motor de busca.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 22:39

Quase 60 estudos científicos "revistos por pares", publicados este ano, demonstraram que não há aquecimento global antropogénico

06.06.17

‘Global Warming’ Is a Myth, Say 58 Scientific Papers in 2017

[Breitbart] by James Delingpole - 6 Jun 2017

“Global warming” is a myth — so say 80 graphs from 58 peer-reviewed scientific papers published in 2017.

In other words, the so-called “Consensus” on global warming is a massive lie. And Donald Trump was quite right to quit the Paris agreement which pretended that the massive lie was true.

By “global warming” these papers don’t, of course, mean the mild warming of around 0.8 degrees Celsius that the planet has experienced since the middle of the 19th century as the world crawled out of the Little Ice Age. Pretty much everyone, alarmists and skeptics alike, is agreed on that.

Rather, they mean “global warming” in the sense that is most commonly used today by grant-troughing scientists, and huxter politicians, and scaremongering green activists, and brainwashed mainstream media (MSM) environmental correspondents. “Global warming” as in the scary, historically unprecedented, primarily man-made phenomenon which we must address urgently before the icecaps melt and the Pacific islands disappear beneath the waves and all the baby polar bears drown.

What all these papers argue in their different ways is that the alarmist version of global warming — aka Catastrophic Anthropogenic Global Warming (CAGW) — is a fake artefact.

That is, all these different experts from around the world — China, Russia, Canada, the U.S., Italy, etc. — have been looking closely at different aspects of the global warming puzzle in various regions and on different timescales and come to the conclusion in irreproachable, peer-reviewed scientific ways that there is no evidence to support the global warming scare story.

Late 20th century and early 21st century global warming, they show, is neither dramatic, nor unusual, nor scary.

Here, as collated by Kenneth Richard at No Tricks Zone, are just some of the charts to prove it.

Büntgen et al, below, shows that temperatures in the northern hemisphere were warmer in the early 1400s than they are today.

Holocene-Cooling-Northern-Hemisphere-Temps-Büntge


Abrantes et al (below) confirms the traditional view — which Michael Mann tried to dismiss with his discredited Hockey Stick chart — that the Medieval Warming Period was warmer than anything we have experienced in our own era.

Holocene-Cooling-Northern-Hemisphere-Abrantes-17-1


Here’s one from Li et al showing that China was much warmer 8,000 years ago:

Holocene-Cooling-China-East-Yangtze-Region-Li-2017


Here’s an unusual one from Guillet et al suggesting that there’s nothing new about wildly early or late grape harvests through the centuries:

Holocene-Cooling-France-Grape-Harvest-Date-Guillet


And on and on it goes — there are 80 graphs in all, each showing in its different way why the scare about global warming has been horribly overdone because the evidence just doesn’t support its being unusual or a problem. Several of the papers note that the primary influence on warming appears to be solar activity. Few, if any, entertain the notion that carbon dioxide levels have much to do with it.

The intellectually corrupt and mendacious alarmist science establishment — I’m thinking, for example, of my personal bete noir, the left-wing political activist and Nobel-prizewinning geneticist Sir Paul Nurse, former president of the Royal Society — would have us believe that climate skepticism is a minority activity, the preserve of a few cranks, championed only by people who don’t do the science. But this is just ugly propaganda.

Here are dozens of reputable scientists from around the world with no axe to grind collaborating on studies which all corroborate, independently and rigorously, the increasingly respectable view that “man-made global warming” just isn’t a thing.

Not that it ever was a thing, really. This debate — as I argue at some length in Watermelons — was always about left-wing ideology, quasi-religious hysteria, and “follow the money” corruption, never about “science.”

Still, it’s always a comfort to know that “the science” is on our side too.

They do so hate that fact, the Greenies.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 23:27

O tipo de estudos (sobre vacinas) que o nosso poder estabelecido simplesmente se recusa a fazer (ou divulgar, de forma honesta)

12.05.17

(Pois, se o fizesse ou publicitasse, poria a descoberto várias verdades inconvenientes...)

 

Assunto: Estudo recente provou que as crianças não vacinadas são (muito) mais saudáveis



(Não surpreendentemente, quando o sítio na Internet onde estavam alojadas ambas as componentes deste estudo - e apesar de ser um sítio que supostamente prima pela sua "abertura" - se apercebeu que a imprensa alternativa o descobriu, o estudo desapareceu do sítio em causa... Sendo as seguintes hiperligações que apresento cópias arquivadas do mesmo. Aproveitem - pois, para fazer estudos é preciso dinheiro. E, nem a indústria médico-farmacêutica nem os governos que a ela obedecem têm interesse em fazer este tipo de estudos honestos e independentes - tendo este sido financiado por duas organizações de caridade para com crianças. E, como tal, esta deverá ser uma descoberta rara. Está muito bem resumido e apenas têm de consultar as tabelas com os dados estatísticos comparativos. Por ter sido feito sobre uma amostra pequena da população, os dados variam um bocado em termos de alguma consistência que seria expectável. Mas, nele dá para ver que a população não vacinada é claramente mais saudável - o que contraria a propaganda oficial.)

http://archive.is/fZfYb
http://archive.is/leoEn

 

*

 

[E aqui fica um pequeno adendo que enviei aos mesmos destinatários da anterior carta...]

 

Assunto: Pequena clarificação sobre o estudo sobre vacinas para o qual vos chamei a atenção

Quando eu, na minha mensagem anterior sobre este assunto, referia (ao descrever tal estudo que mencionava) que "os dados variam um bocado em termos de alguma consistência que seria expectável", esta era uma (talvez muito má) maneira através da qual tentava eu, muito resumidamente, dizer que há nesse estudo alguns dados sobre os quais tenho eu muitas dúvidas de que sejam representativos da maior população em que se insere a amostra que foi usada...

Sendo estes, os que referem que, entre as crianças que foram vacinadas, existe uma menor percentagem de incidência de doenças para as quais existem vacinas.
E, isto porque, da limitada pesquisa que fiz (e tal como poderão constatar, se consultarem a minha anterior correspondência sobre este assunto), nunca vi eu provas algumas de que as vacinas funcionassem - ainda que, em pequeno grau (tal como poderá ser interpretado, por quem leia os dados de tal estudo).

Aliás, o tipo de dados com que (repetidamente) me deparo, por parte de quem estuda este assunto em profundidade, são coisas como:

"Measles, for instance, which declined by more than 95 percent before the vaccine was introduced, is 14 times more likely to be contracted by vaccinated than by unvaccinated persons. (...)
"Dr. Viera Scheibner, author of 'Vaccinations: 100 Years of Orthodox Research' sums up the position of researchers not funded by pharmaceutical companies: 'There is no evidence whatsoever that vaccines of any kind (...) are effective in preventing the infectious diseases they are supposed to prevent.'"

--- tiradas daqui: http://www.naturalnewsblogs.com/vaccines-really-safe-effective/

E, assim sendo, o que concluo eu de tal estudo, é o seguinte:

1. Sendo as vacinas compostos cheios de componentes tóxicas que danificam o organismo de quem com elas é injectado, inquestionavelmente (ou, por outras palavras, de certeza) que, quem com estas componentes tóxicas é injectado/a, tem uma muito maior probabilidade de vir a ter sérios problemas de saúde - tal como demonstra tal estudo, em que a percentagem de crianças que têm sérios problemas de saúde é sempre (muito) maior entre as crianças que foram vacinadas.

2. Sendo o facto de se apanhar uma doença contagiosa algo que depende de vários factores que são (muito) aleatórios, com uma tão pequena quantidade de pessoas que constituem a amostra deste estudo, não poderão/deverão tais resultados poder ser correctamente (ou, por outras palavras, com certeza alguma) extrapolados para a maior população geral em que se insere tal amostra. Tendo de ser feitos estudos mais abrangentes, para que se cheguem a dados que correctamente sejam demonstrativos do que se passa em toda a população.

(Quem tiver um mínimo de formação científica - nomeadamente em Matemática, no que toca ao campo da Estatística - saberá do que estou a falar...)

E, penso que é tudo o que tenho a dizer... Da parte de alguém que, por não ser afectado por esta questão, não tem um interesse "por aí além" de se informar sobre este assunto. Sendo as minhas cartas, acima de tudo, apelos a que vocês, como pais, se informem seriamente sobre esta questão - e tirem as vossas próprias conclusões.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Governo britânico sabotou, em 2011, investigação jornalística de alegações de pedofilia da parte dum antigo seu Primeiro-Ministro

27.02.17

savile-heath.jpg

[A propósito das recentes revelações e acusações de pedofilia, vindas de um polícia de topo britânico que investiga este caso - e que estão a ser abafadas pela imprensa portuguesa...]

 

UK Kicks Out US Journalist Investigating Former PM's Alleged Pedophilia

[Sputnik] Europe | 10:19 05.08.2015 (updated 12:26 05.08.2015)

A reporter from the US who was investigating allegations that former British Prime Minister Sir Edward Heath abused minors at a children's home on the island of Jersey says she was prevented from carrying out her work by the British authorities.

A journalist from the US told a London radio station that she was forced to leave the UK in 2011 by the authorities after attempting to investigate allegations that former Prime Minister Sir Edward Heath had sexually abused orphans at a children's home on the island of Jersey.

Leah McGrath Goodman, a finance journalist, told LBC radio that while she was carrying out investigations into the tax haven, a British Crown dependency in the English Channel, she came across allegations of child abuse committed by powerful and influential people in British society.

"Ted Heath was one of the more prominent allegations."

Despite her British visa, McGrath Goodman says that she was thrown out of the country after being detained at London's Heathrow airport when she returned to the UK to investigate the allegations further.

"There was a notation on my file that told them to put me in custody. They detained me for 12 hours; they went through all my things."

"They took away everything, my phone, my passport, I didn’t have anything. I didn't know what was going on. Eventually I found out that that was why [because of her investigation into the pedophile allegations], but it was only right before they deported me."

       "And then they banned me for two years from entering the UK."


In the interview, McGrath Goodman was also asked about the allegations she'd heard about the former British Prime Minister, which she was prevented from investigating further.

       "On the island it was very widespread that he had enjoyed using his
       yacht, it was called the 'Morning Cloud,'" and he would come to the
       island quite frequently and from what I understand from people on the
       island and off the islands, he would take the children from care homes
       for rides on the yacht."

       "And it was reported that some of those children never came back."


McGrath Goodman said that according to the reports, Heath was one of "quite a few VIPs and high- ranking people in the government and in public life" who frequented the 'Haut de la Garenne' care home. The facility was also frequently visited by the late Jimmy Savile, a DJ and television personality who was later revealed to have raped and abused hundreds of children.

"What they are saying is, the children were loaned out quite regularly to high level people. They were often brought back, sometimes not. The records will say things like, 'the child ran away.'"

"But there was no effort to find them."

When asked whether she thought the British government was complicit in covering up the allegations, she responded that "I have seen a pattern of trying very hard to look the other way."

Though it is difficult to prove that the authorities were purposefully obstructing the investigation, said McGrath Goodman, "It is quite a coincidence that every time people try to take the matter and bring it to somebody in authority, it never seems to go anywhere."

The States of Jersey police confirmed on Tuesday that Heath was being investigated as part of its Operation Whistle enquiry into child abuse carried out at homes on the island; it is one of five UK police forces now investigating allegations of child abuse against the former prime minister.

Sir Edward Heath, who died in 2005 aged 89, was the Conservative Prime Minister of the United Kingdom from 1970 to 1974.

Autoria e outros dados (tags, etc)

iTunes começou a censurar (/interferir com) a imprensa alternativa

07.02.17

Depois de, em Novembro último, ter sido temporariamente retirada da loja de aplicações da Apple a aplicação do sítio na Internet "Breitbart News" (cujo fundador caiu morto no meio da rua, quando se preparava para revelar um vídeo que iria arrasar com a Administração Obama), eis que, na semana passada, muita gente se queixou de que a mais recente edição do conhecido programa de rádio "The Joe Rogan Experience" (que se distinguiu das outras por ter sido nela entrevistado Alex Jones e ter o último falado sobre o escândalo de pedofilia "Pizzagate") não apareceu, durante muito tempo, na lista de programas carregados para a respectiva conta no iTunes.
Podem ver <aqui> uma confirmação deste sucedido, feita pelo anfitrião de tal programa de rádio. E, podem também ver, no seguinte vídeo, uma constatação de que, no mínimo, algo de mesmo "muito estranho" se passa com a respectiva conta no iTunes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 00:59

Amazon começou a rotular certos livros "Teorias da Conspiração"

17.01.17

Depois da recente (e ainda decorrente) ofensiva contra a imprensa alternativa, sob a forma de uma campanha que visa difamar a última rotulando-a como emissora de "notícias falsas", eis que - no decorrer de umas colocações que fiz no Twitter - quando fui ao sítio da Amazon saber como se soletrava o nome de um autor, me deparei com o seguinte - um acrescento agora feito pela Amazon ao título de um livro.

 

(Cliquem na imagem para a ampliar.)

Screenshot - 17-01-2017 - 05:29:46.png

 

Relativamente ao qual aproveito para fazer uma pergunta retórica, aos média de massas e seus (verdadeiros) amos: Se estes sítios e autores emitem notícias falsas e escrevem livros com meras "teorias da conspiração" - e estão vocês, claramente, incomodados com os mesmos, ao ponto de fazerem uma campanha contra estes - se são nomes de organizações e indivíduos muito específicos os que são mencionados por estes, se há mesmo muita gente a prestar atenção aos últimos e se são graves as acusações que estes fazem, porque razão não tomam vocês a muito mais democrática atitude de processar judicialmente tais responsáveis? (Será que é porque têm medo do resultado de acções desse tipo?)

Autoria e outros dados (tags, etc)