Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Estado Livre de Jones

25.05.17

jones.jpg

Um (mesmo) muito bom filme, que tem andado a passar nos canais de cinema TVCine (que estão disponíveis na televisão por cabo), relativamente ao qual deixo apenas um cartaz, por serem os seus trechos de promoção de vídeo demasiado reveladores.
O filme é baseado num episódio verídico que ocorreu durante a Guerra Civil Americana. Sendo que, o seu grande interesse - e também o que faz deste um episódio de grande importância - é o facto de ser uma muito boa demonstração prática de uma das razões de ser da Segunda Emenda à Constituição dos Estados Unidos da América, ímpar entre as várias Constituições existentes no Mundo, que permite aos cidadãos deste país se defenderem do próprio governo, quando este se torne tirânico.

(Um filme também bem realizado, com uma bela fotografia, protagonizado por bons actores e com tudo mais que se pode esperar de uma grande produção de Hollywood...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 18:20

O perigo que se esconde nas pastas de dentes com flúor

17.05.17

sodium_fluoride.jpg

 

(E, já que estamos numa de publicar aqui cartas de aviso que tenho enviado, aqui vai mais uma, que enviei no mês passado.)

 

Assunto: Pastas de dentes com flúor

A propósito de uma ida minha hoje a [um grande centro comercial], para comprar uma pasta de dentes sem flúor, depois de me ter dado conta de que uma criança a meu cuidado estava a usar uma pasta com esta substância, venho avisar todos os que conheço, que têm crianças, do seguinte:

O flúor é um produto tóxico (razão pela qual as pastas de dentes vêm com avisos para procurar tratamento médico se se ingerir a mesma e com advertências para não combinar o uso da mesma com outras substâncias que contenham flúor). É um veneno que é usado como pesticida (para matar insectos e pequenos mamíferos) e cuja ingestão causa vários problemas sérios de saúde, como cancro. É também uma substância que tem efeitos a nível do cérebro e é conhecido o seu particular efeito na redução do QI das crianças, que tem sido exposto em vários estudos científicos. A sua introdução em diversas substâncias a que estamos expostos, não tem nada a ver com uma qualquer preocupação extrema por parte dos nossos governantes com os aspectos mais secundários da saúde das pessoas. (Lembrem-se de que estes são os mesmos governantes que dão milhares de milhões de euros a banqueiros privados, para cobrir os prejuízos dos últimos, ao mesmo tempo que conscientemente subfinanciam hospitais, onde já morrem pessoas por falta de assistência médica.) O que se passa, é que o flúor é um subproduto/lixo industrial (da indústria de fertilizantes e do alumínio) cuja eliminação (exactamente por ser muito tóxico) é muito cara (por ser preciso diluí-lo numa enorme quantidade de água, antes de poder ser lançado numa rede de esgotos). E, entre estar a gastar rios de dinheiro (e de água, que é um recurso que irá começar a escassear para todos - incluindo as elites que constituem os grandes interesses económicos) e simplesmente arranjar uma maneira de eliminar tal produto tóxico, (1) incluindo-o como ingrediente em diversos produtos de consumo ou (2) despejando-o nas redes de abastecimento de água públicas, é muitíssimo mais barato (/rentável) para os grandes interesses económicos das várias indústrias (que controlam os nossos políticos) praticar a segunda acção. Isto é uma coisa que anda a ser exposta há décadas. E, até já deu origem a petições (http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=P2011N6190) para que fosse este veneno retirado das redes de abastecimento de água. Já no início da década passada me lembro bem de ouvir uma entrevista a um Professor de Química (que entretanto já fez um vídeo de denúncia sobre disto: https://www.prisonplanet.com/professor-paul-connett-your-toxic-tap-water.html + https://www.youtube.com/watch?v=zo6SnvmMP9k) que no decorrer de tal entrevista só repetia a expressão "It's insane!" para descrever a prática de incluir flúor em produtos de consumo humano.

As duas hiperligações seguintes são apenas duas amostras

https://www.prisonplanet.com/articles/january2008/011508_fluoride_horror.htm
https://www.prisonplanet.com/bombshell-government-admits-fluoride-hurting-children.html

da muita informação a que poderão ter acesso, se usarem os seguintes termos de pesquisa na Internet:

https://www.google.pt/search?q=fluoride+site:www.prisonplanet.com

 

(Tendo eu a acrescentar a esta carta que, o sítio onde descobri uma pasta de dentes sem flúor especificamente para crianças, foi numa das lojas "Celeiro", que existem nos principais centros urbanos. Loja essa, onde existem várias pastas de dentes sem flúor, também para adultos. Sendo as que mostro na seguinte fotografia as poucas que ainda consigo, ou conseguia, encontrar fora de tal loja - e sendo elas, de cima para baixo, (1) uma que se pode encontrar numa loja/secção pertencente ao meu hipermercado local, dedicada a pessoas mais preocupadas com a sua saúde, (2) uma que podia eu também encontrar num supermercado de uma vila, no interior do país, onde estive recentemente a viver e (3) uma variante de uma conhecida marca, que não consigo eu mais encontrar e que se distinguia por não possuir a maléfica substância "Sodium Fluoride". Como vêem, são ainda algumas as pastas que se podem encontrar nos normais locais de venda a retalho. Sendo que, se em consequência do Colapso Económico que já estamos a viver, deixarem estas marcas de ser vendidas, podem sempre fazer as vossas próprias pastas de dentes em casa, recorrendo às várias simples fórmulas que se podem encontrar na Internet. Tendo vós <aqui> apenas um exemplo disto.)

 

pastas_de_dentes.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 20:17

O tipo de estudos (sobre vacinas) que o nosso poder estabelecido simplesmente se recusa a fazer (ou divulgar, de forma honesta)

12.05.17

(Pois, se o fizesse ou publicitasse, poria a descoberto várias verdades inconvenientes...)

 

Assunto: Estudo recente provou que as crianças não vacinadas são (muito) mais saudáveis



(Não surpreendentemente, quando o sítio na Internet onde estavam alojadas ambas as componentes deste estudo - e apesar de ser um sítio que supostamente prima pela sua "abertura" - se apercebeu que a imprensa alternativa o descobriu, o estudo desapareceu do sítio em causa... Sendo as seguintes hiperligações que apresento cópias arquivadas do mesmo. Aproveitem - pois, para fazer estudos é preciso dinheiro. E, nem a indústria médico-farmacêutica nem os governos que a ela obedecem têm interesse em fazer este tipo de estudos honestos e independentes - tendo este sido financiado por duas organizações de caridade para com crianças. E, como tal, esta deverá ser uma descoberta rara. Está muito bem resumido e apenas têm de consultar as tabelas com os dados estatísticos comparativos. Por ter sido feito sobre uma amostra pequena da população, os dados variam um bocado em termos de alguma consistência que seria expectável. Mas, nele dá para ver que a população não vacinada é claramente mais saudável - o que contraria a propaganda oficial.)

http://archive.is/fZfYb
http://archive.is/leoEn

 

*

 

[E aqui fica um pequeno adendo que enviei aos mesmos destinatários da anterior carta...]

 

Assunto: Pequena clarificação sobre o estudo sobre vacinas para o qual vos chamei a atenção

Quando eu, na minha mensagem anterior sobre este assunto, referia (ao descrever tal estudo que mencionava) que "os dados variam um bocado em termos de alguma consistência que seria expectável", esta era uma (talvez muito má) maneira através da qual tentava eu, muito resumidamente, dizer que há nesse estudo alguns dados sobre os quais tenho eu muitas dúvidas de que sejam representativos da maior população em que se insere a amostra que foi usada...

Sendo estes, os que referem que, entre as crianças que foram vacinadas, existe uma menor percentagem de incidência de doenças para as quais existem vacinas.
E, isto porque, da limitada pesquisa que fiz (e tal como poderão constatar, se consultarem a minha anterior correspondência sobre este assunto), nunca vi eu provas algumas de que as vacinas funcionassem - ainda que, em pequeno grau (tal como poderá ser interpretado, por quem leia os dados de tal estudo).

Aliás, o tipo de dados com que (repetidamente) me deparo, por parte de quem estuda este assunto em profundidade, são coisas como:

"Measles, for instance, which declined by more than 95 percent before the vaccine was introduced, is 14 times more likely to be contracted by vaccinated than by unvaccinated persons. (...)
"Dr. Viera Scheibner, author of 'Vaccinations: 100 Years of Orthodox Research' sums up the position of researchers not funded by pharmaceutical companies: 'There is no evidence whatsoever that vaccines of any kind (...) are effective in preventing the infectious diseases they are supposed to prevent.'"

--- tiradas daqui: http://www.naturalnewsblogs.com/vaccines-really-safe-effective/

E, assim sendo, o que concluo eu de tal estudo, é o seguinte:

1. Sendo as vacinas compostos cheios de componentes tóxicas que danificam o organismo de quem com elas é injectado, inquestionavelmente (ou, por outras palavras, de certeza) que, quem com estas componentes tóxicas é injectado/a, tem uma muito maior probabilidade de vir a ter sérios problemas de saúde - tal como demonstra tal estudo, em que a percentagem de crianças que têm sérios problemas de saúde é sempre (muito) maior entre as crianças que foram vacinadas.

2. Sendo o facto de se apanhar uma doença contagiosa algo que depende de vários factores que são (muito) aleatórios, com uma tão pequena quantidade de pessoas que constituem a amostra deste estudo, não poderão/deverão tais resultados poder ser correctamente (ou, por outras palavras, com certeza alguma) extrapolados para a maior população geral em que se insere tal amostra. Tendo de ser feitos estudos mais abrangentes, para que se cheguem a dados que correctamente sejam demonstrativos do que se passa em toda a população.

(Quem tiver um mínimo de formação científica - nomeadamente em Matemática, no que toca ao campo da Estatística - saberá do que estou a falar...)

E, penso que é tudo o que tenho a dizer... Da parte de alguém que, por não ser afectado por esta questão, não tem um interesse "por aí além" de se informar sobre este assunto. Sendo as minhas cartas, acima de tudo, apelos a que vocês, como pais, se informem seriamente sobre esta questão - e tirem as vossas próprias conclusões.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nem o Estado, nem ninguém têm o direito de introduzir quaisquer substâncias estranhas no nosso corpo, contra a nossa vontade!!!

22.04.17

De cada vez que apanho um autocarro, na minha localidade, que tem de passar pela principal estrada de accesso à mesma, passo sempre por um daqueles grandes cartazes que são colocados junto à estrada - este, por uma entidade pública - para serem vistos por quem por essa estrada de acesso circula. O cartaz, colocado pela minha Câmara Municipal, de orientação comunista, diz em letras bem grandes: "A vida humana é inviolável". Sendo que, tal como poderão ver na fotografia que abaixo coloco, o cartaz consiste claramente numa tentativa (ainda que subtil) de alertar e consciencializar as crianças de que nenhum adulto tem o direito de violar a sua integridade física.

 

a_vida_humana_é_inviolável.png


A frase que está neste cartaz, não é uma que foi criada apenas para tal campanha de consciencialização. Pois, para quem tiver um conhecimento mínimo daquela que é a nossa Constituição da República Portuguesa - à qual gostam (e muito bem) os comunistas de frequentemente recorrer - estas palavras deverão soar familiares.
A frase é tirada da seguinte componente deste documento, que se quer sagrado:

 

Artigo 24.º
Direito à vida

1. A vida humana é inviolável.

 

A qual é logo complementada pela componente seguinte:

 

Artigo 25.º
Direito à integridade pessoal

1. A integridade moral e física das pessoas é inviolável.

 

Ora, com este Mais Fundamental dos Direitos bem explicitado na nossa Constituição, com que justificação, ou como, é que se atrevem os nossos políticos a querer sequer debater o mesmo, a propósito da paranóia em volta das vacinas?
(Se uma pessoa quer adoptar o que, supostamente, é um comportamento de risco, é problema dela. E, se representar tal pessoa um perigo para os outros por ter depois, em consequência disto, contraído uma doença, então nesse caso - e, apenas nesse caso - que, em última instância, se quarentene essa pessoa e se restringa o seu direito à liberdade de circulação - se for preciso, contra a vontade da mesma... Agora, tudo o resto que se venha querer defender, não passa de uma enorme Barbaridade, que nem acredito que possam sequer querer que seja discutida!)
O estar a injectar uma pessoa (ou algum menor que esteja sob a sua responsabilidade) com qualquer substância que seja (ou forçá-la a ingerir algo) contra sua vontade, é simplesmente uma das maiores transgressões e violações de um dos mais fundamentais Direitos Humanos que existem!
(Sendo que, estar a mexer com o próprio corpo físico de alguém, contra sua vontade, é ainda mais violento e transgressor do que impedir alguém de exercer o mais fundamental dos direitos que existem no domínio mental - que é o Direito à Liberdade de Expressão!)
A quem venha dizer que a Constituição também prevê, num dito "estado de emergência", a violação de (ou seja, o acto de "infringir" - e não apenas o acto de "restringir", como diz o Artigo 18.º) os mais fundamentais direitos por ela enunciados, tenho a chamar a atenção para a seguinte parte deste documento:

 

Artigo 19.º
Suspensão do exercício de direitos

6. A declaração do estado de sítio ou do estado de emergência em nenhum caso pode afectar os direitos à vida, à integridade pessoal, à identidade pessoal, à capacidade civil e à cidadania, a não retroactividade da lei criminal, o direito de defesa dos arguidos e a liberdade de consciência e de religião.

 

E, para aqueles que venham dizer que a Constituição, ao defender a "protecção da saúde" dos cidadãos, está a dar carta branca aos governos para infringir quaisquer outros direitos (defendendo um princípio tão absurdo e imensamente abusivo, como, por exemplo, estar a defender a castração de, ou já agora a implantação de microchips de rastreio em, pessoas sexualmente promíscuas, para o impedimento da transmissão de doenças sexualmente transmissíveis) publico a seguir o Artigo em causa, na sua totalidade, onde todos poderão ver que, em nenhuma parte é dito que, para "proteger" a saúde de outros, se pode violar a vida humana:

 

Artigo 64.º
Saúde

1. Todos têm direito à protecção da saúde e o dever de a defender e promover.

2. O direito à protecção da saúde é realizado:

a) Através de um serviço nacional de saúde universal e geral e, tendo em conta as condições económicas e sociais dos cidadãos, tendencialmente gratuito;
b) Pela criação de condições económicas, sociais, culturais e ambientais que garantam, designadamente, a protecção da infância, da juventude e da velhice, e pela melhoria sistemática das condições de vida e de trabalho, bem como pela promoção da cultura física e desportiva, escolar e popular, e ainda pelo desenvolvimento da educação sanitária do povo e de práticas de vida saudável.

3. Para assegurar o direito à protecção da saúde, incumbe prioritariamente ao Estado:

a) Garantir o acesso de todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica, aos cuidados da medicina preventiva, curativa e de reabilitação;
b) Garantir uma racional e eficiente cobertura de todo o país em recursos humanos e unidades de saúde;
c) Orientar a sua acção para a socialização dos custos dos cuidados médicos e medicamentosos;
d) Disciplinar e fiscalizar as formas empresariais e privadas da medicina, articulando-as com o serviço nacional de saúde, por forma a assegurar, nas instituições de saúde públicas e privadas, adequados padrões de eficiência e de qualidade;
e) Disciplinar e controlar a produção, a distribuição, a comercialização e o uso dos produtos químicos, biológicos e farmacêuticos e outros meios de tratamento e diagnóstico;
f) Estabelecer políticas de prevenção e tratamento da toxicodependência.

4. O serviço nacional de saúde tem gestão descentralizada e participada.

 

Resumindo, a Constituição do Estado de Direito em que vivemos diz claramente que, em nenhum caso, pode o mais fundamental Direito à Inviolabilidade da Vida Humana, de cada cidadão, ser retirado, ou infringido.

 

*

 

[E aqui vai mais uma pequena nota, acrescentada apenas algumas horas depois de ter eu feito esta colocação, para possivelmente a tornar ainda mais clara...]

Sendo que, não falando sequer a Constituição em "infringir" quaisquer direitos (que seria no que se traduziria uma violação da vida humana), no que toca a "restringir" alguns (como limitar a liberdade de circulação e afins), esta é também bem clara, ao falar apenas em casos expressamente previstos na mesma - como é o dito "estado de emergência":

 

Artigo 18.º
Força jurídica

 

2. A lei só pode restringir os direitos, liberdades e garantias nos casos expressamente previstos na Constituição, devendo as restrições limitar-se ao necessário para salvaguardar outros direitos ou interesses constitucionalmente protegidos.

 

(E, não sei o que mais tenho de dizer, para demonstrar o quão absurda é toda esta situação, de quererem injectar pessoas à força... Isto é ainda muito mais grave do que estar a defender que, agora para "proteger a saúde" dos cidadãos, vai o Estado começar a limitar a liberdade de expressão e a liberdade de circulação de quem é crítico das vacinas!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Acabou-se a papa doce..."

14.04.17

when-economic-collapse.jpg

[Uma última(?) carta electrónica que enviei a quem me é próximo, a avisar do iminente, inevitável e horrível Colapso Económico (agora, propriamente dito) que se aproxima...]

 

Assunto: (Muito importante) Actual sistema económico não irá durar mais do que 1 ano

É a última informação que tenho daquela que é uma das melhores fontes que conheço e que mais tem acertado nas previsões que tem feito:

https://www.youtube.com/watch?v=ZjVT26Sm-EY#t=17m50s

O que tem acontecido desde o início de 2016 - com, por exemplo, milhares de pessoas a serem despedidas pelos famosos bancos suíços (incluindo também este ano: http://www.zerohedge.com/news/2017-02-14/credit-suisse-announces-another-6500-layoffs-after-reporting-2016-loss) - têm sido apenas as "fissuras" que muitas vezes surgem num edifício previamente à derrocada do mesmo.

Não há dinheiro que chegue para salvar (ou "recapitalizar") todos os bancos. E, numa economia onde os recursos energéticos e de vária ordem já começaram a escassear (https://www.amazon.com/Peak-Everything-Waking-Century-Declines/dp/0865716455), o facto de que a mesma irá entrar em Colapso é tão certo como é certo que um carro irá parar por falta de gasolina, depois de entrar no chamado "depósito de emergência" e não haver possibilidade de reabastecimento.

Não sendo a Economia uma ciência exacta, a previsão poderá falhar por alguns meses(?)... Mas, digamos que, o que diz o melhor painel de medição que tenho disponível é que já só há "gasolina" para mais um ano.

Preparem-se como puderem, pois irá ser muito mau.

E, se têm alguma coisa de importante a comprar numa empresa que não tenha uma posição dominante no mercado, talvez seja melhor fazerem-no até ao final do ano (ou estarem precavidos para o fazer de imediato, caso tal empresa entre em falência):

http://www.businessinsider.com/the-american-retail-apocalypse-in-photos-2017-3/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Denúncias de espionagem electrónica por parte da CIA a cidadãos estadunidenses são da autoria de funcionários da própria agência

11.03.17

[Uma edição imperdível (das tantas) do programa de rádio de Alex Jones - em que, de acordo com o alto funcionário governamental Steve Pieczenik, se denuncia que as recentes revelações de espionagem electrónica ilegal por parte da CIA a cidadãos do seu próprio país, que estão a ficar conhecidas como "Cofre 7", fazem parte da guerra interna governamental, entre nacionalistas e agentes da NOM, que se iniciou após a vitória de Donald Trump nas últimas eleições presidenciais.]

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 01:23

Porque razão está a imprensa portuguesa (também) a abafar estes grandes escândalos de pedofilia que estão a ocorrer no Ocidente?!

03.03.17

Falo do que - de (muito) importante e inequivoca e verdadeiramente escandaloso - se está a passar no Reino Unido, como <isto> (e que, ao contrário de outros acontecimentos de treta, não aparece nos jornais e noticiários televisivos).
Falo também, por exemplo, <desta> notícia nos EUA, que é referida no artigo que se segue.
Porque razão não aparece nada disto num telejornal, em Portugal?!...
E, ainda mais, quando estão estes cheios de notícias internacionais de "importância" duvidosa?!
(Eu penso saber porquê... Mas, deixo a quem pense por si próprio(a) a tarefa de tirar as suas próprias conclusões - nomeadamente, no que toca ao quão desprezível e revoltante pode ser a gentinha que trabalha para os órgãos de comunicação de massas, sob as ordens dos poderosos.)

 

Unreported: 1,500 pedophile arrests have been made nationally since Trump took office

by World Tribune staff, February 26, 2017

President Donald Trump is making good on his pledge to use the “full force and weight” of the U.S. government to break up child sex trafficking rings and lock up sexual predators.

Since Trump was sworn in, authorities have arrested more than 1,500 pedophiles in the United States.

trump-human-trafficking-order.jpg(President Donald Trump issued an executive order giving the FBI extra power to crack down on human trafficking offenses.)


“This should be one of the biggest stories in the national news. Instead, the mainstream media has barely, if at all, covered any of these mass pedophile arrests. This begs the question – why?” Liz Crokin wrote for Townhall.com on Feb. 25.

The numbers are “staggering” when compared to the less than 400 sex trafficking-related arrests made in 2014 according to the FBI.

In a press conference from the White House on Feb. 23, Trump addressed how human trafficking is a “dire problem” domestically and internationally. “Dedicated men and women across the federal government have focused on this for some time as you know – it’s been much more focused over the last four weeks,” he said.

The press conference “was barely a blip in the mainstream media and the massive arrests have been almost completely ignored by the MSM altogether,” Crokin wrote.

Crokin noted some of the major arrests that have been made since Trump took office:

 

  • On Jan. 27 authorities arrested 42 in a human trafficking operation in Tennessee.
  • On Jan. 29 authorities announced that 474 were arrested in a statewide California human trafficking operation and 28 sexually exploited children were rescued.
  • 178 people were arrested in Texas for sex trafficking in sting that operated in January until Super Bowl Sunday.
  • On Feb. 14 the Polk County sheriff announced that 42 were arrested in Florida in child pornography related cases.

 

Meanwhile, as the major media “ignored these historical arrests, they have zeroed in on casting conservative icon Milo Yiannopoulos as a monster,” Crokin wrote.

“They claim he supports pedophilia based on comments he made in a video years ago. The reality is Milo was a victim of child sex abuse, and although he did joke about his abuse in an interview, he in no way promotes pedophilia. The opposite is true, and he addressed this controversy head on in a press conference. Milo has personally taken down and exposed pedophiles in his columns over the years. However, the mainstream media and the left ignored this information and demonized Milo.

“The irony of all this is that the left and MSM have been the biggest proponents of pedophilia. Salon has published articles attempting to normalize pedophilia; however, to maintain their faux outrage over Milo, they deleted them.”

Crokin continued: “The face of the very fake news network CNN, Jake Tapper, fired off several tweets condemning Milo. For example, he tweeted: ‘My friend, a survivor of sex trafficking: Milo straight up defended abusing 13 yr old boys… Please don’t let that be normalized’

“If Tapper is so concerned with sex trafficking, why in the world hasn’t he covered the massive sex trafficking arrests that have taken place since Trump took office? It seems he, and many in the leftist media, are only concerned with sex trafficking if it can be used to destroy a conservative,” Crokin wrote.

The “good news,” Crokin noted, “is that we have a president who genuinely does care about children and he’s vowed to make solving the human trafficking epidemic a priority.

“The recent pedophile arrests are just the tip of the iceberg and, whether Tapper and his ilk in the MSM like it or not, this story will eventually get so big that they will be forced to cover this horrific epidemic that has plagued our country for too damn long.”

Autoria e outros dados (tags, etc)

Editor de muito conhecido jornal alemão falecido o mês passado admitiu que são os média de massas quem emite "notícias falsas"

21.02.17

Editor of Major German Newspaper Says He Planted Stories for the CIA

By Ralph Lopez
Global Research, February 04, 2015
Reader Supported News

Becoming the first credentialed, well-known media insider to step forward and state publicly that he was secretly a “propagandist,” an editor of a major German daily has said that he personally planted stories for the CIA.

Saying he believes a medical condition gives him only a few years to live, and that he is filled with remorse, Dr. Udo Ulfkotte, the editor of Frankfurter Allgemeine Zeitung, one of Germany’s largest newspapers, said in an interview that he accepted news stories written and given to him by the CIA and published them under his own name. Ulfkotte said the aim of much of the deception was to drive nations toward war.

Dr. Ulfkotte says the corruption of journalists and major news outlets by the CIA is routine, accepted, and widespread in the western media, and that journalists who do not comply either cannot get jobs at any news organization, or find their careers cut short.

Dr. Ulfkotte is the author of a book currently available only in German, “Bought Journalists” (Kopp 2014). Aged 55, he was also once an advisor to the government of German Chancellor Helmet Kohl.

The book has become a bestseller in Germany but, in a bizarre twist which Ulfkotte says characterizes the disconnect caused by CIA control of the western media, the book cannot be reported on.

Ulfkotte says:

    “No German mainstream journalist is allowed to report about [my] book. Otherwise he or she will be sacked. So we have a bestseller now that no German journalist is allowed to write or talk about.”

Among the stories Ulfkotte says he was ordered to plant in his newspaper over the years was a story that Libyan President Moammar Gaddafi was building poison gas factories in 2011. Ulfkotte also says he was an eyewitness to Saddam Hussein’s use of poison gas against Iranians in the war between Iran and Iraq, but that the editors he worked for at the time were not interested, because Iraq was a US ally at the time.

Ulfkotte says he is better positioned to come forward than many journalists because he does not have children who could be threatened. Ulfkotte told the Russian newspaper Russian Insider (RI):

    “When I told the Frankfurter Allgemeine Zeitung (Ulfkotte’s nwspaper) that I would publish the book, their lawyers sent me a letter threatening with all legal consequences if I would publish any names or secrets – but I don’t mind. You see, I don’t have children to take care of. And you must know I was severely injured during the gas attack I witnessed in Iran in 1988. I’m the sole German survivor from a German poison gas attack. I’m still suffering from this. I’ve had three heart attacks. I don’t expect to live for more than a few years.”

Ulfkotte says that remorse of having “lied” to mass audiences over the years drove him to come forward. He told RI that he was:

    “taught to lie, to betray and not to tell the truth to the public.”

Ulfkotte says:

    “I’m ashamed I was part of it. Unfortunately I cannot reverse this.”

Among the admissions that Ulfkotte makes in the interview are putting his own name to articles completely written by intelligence agencies. He said:

    “I ended up publishing articles under my own name written by agents of the CIA and other intelligence services, especially the German secret service.”

Ulfkotte detailed the pattern of cajolery and outright bribery used by the CIA and other US-allied intelligence agencies, for the purpose of advancing political agendas. Ulfkotte said:

    “once you’re connected, you make friends with selected Americans. You think they are your friends and you start cooperating. They work on your ego, make you feel like you’re important. And one day one of them will ask you ‘Will you do me this favor’…”

Ulfkotte noted that a journalists on international press trips paid for by organizations close to the government are unlikely to submit a storyline not favorable to the sponsor.

Of the gassing of Iranians he had witnessed in the Eighties, Ulfkoppe said:

    “they asked me to hand over the photo’s that I had made to the German association of chemical companies in Frankfurt, Verband der Chemischen Industrie. This poison gas that had killed so many Iranians was made in Germany.”

In an interview with Russia Today, Ulfkotte said that it was “not right” what he had done, and that his fear was that politicians were actively driving the world toward war:

    “it is not right what I have done in the past, to manipulate people, to make propaganda against Russia, and it is not right what my colleagues do, and have done in the past, because they are bribed to betray the people not only in Germany, all over Europe. … I am very fearful of a new war in Europe, and I don’t like to have this situation again, because war is never coming from itself, there is always people who push for war, and this is not only politicians, it is journalists too. … We have betrayed our readers, just to push for war. … I don’t want this anymore, I’m fed up with this propaganda. We live in a banana republic, and not in a democratic country where we have press freedom…”

In his book “The CIA and the Media,” Watergate reporter Carl Bernstein quotes William B. Bader, former CIA intelligence officer, in his testimony before the Senate Intelligence Committee. Baeder said:

    “There is quite an incredible spread of relationships. You don’t need to manipulate Time magazine, for example, because there are [Central Intelligence] Agency people at the management level.”

Bernstein writes:

    “The Agency’s relationship with the Times was by far its most valuable among newspapers, according to CIA officials. From 1950 to 1966, about ten CIA employees were provided Times cover under arrangements approved by the newspaper’s late publisher, Arthur Hays Sulzberger. The cover arrangements were part of a general Times policy—set by Sulzberger—to provide assistance to the CIA whenever possible.”

Ulfkotte was on the staff of the Konrad Adenauer Foundation from 1999 to 2003, according to his Wikipedia entry. He won the civic prize from the Annette Barthelt Foundation in 2003.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 12:46

Dimitri Khalezov precisa desesperadamente de ajuda

27.01.17


(Quem quiser estar a par dos agradecimentos por ele feitos pelas ajudas que tem recebido, pode ir espreitando o mesmo canal no YouTube que ele regularmente utiliza para ir dizendo às pessoas que está ainda vivo e em liberdade.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 15:30