Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Alegado bombista de Manchester é filho de um membro de grupo apoiado (apenas no passado?) pelos serviços secretos britânicos

29.05.17

abedi.jpg

 

(O grupo em causa, pertencente à al-Qaeda, é o cuja história é descrita <nesta> página da Wikipedia. E, no final desta colocação que estou a fazer, têm uma palestra do abaixo referido ex-espião do MI5, David Shayler, a contar o que sabia sobre este apoio.)

 

Blowback? Manchester bomber linked to terrorist group which UK allegedly backed

[RT] Published time: 25 May, 2017 12:24

Manchester suicide bomber Salman Abedi and his father, Ramadan, had long-standing links to a violent jihadist group which may have had British backing for the 2011 Libyan war and a 1996 attempt to kill then-Libyan leader Muammar Gaddafi.

The controversy centers on the role of the Libyan Islamic Fighting Group (LIFG), which was both an anti-Gaddafi and Al-Qaeda subsidiary in the North African state.

Many of the fighters which formed the group in the mid-90s were veterans of the Afghan-Soviet war from the 1980s. They went on to fight the Gaddafi regime in Libya itself.

The war saw the overthrow of the Gaddafi regime and the eventual murder of the leader himself after he was captured by opposition fighters. Since NATO’s intervention, Libya has been in chaos.

It has descended into a protracted civil war, is a major contributor to the international refugee crisis, has its own branch of Islamic State (IS, formerly ISIS/ISIL), and two opposing governments.

The elder Abedi was reportedly one of the LIFG fighters who fled Gaddafi’s response to the rebels, settling in London and, later, in Manchester.

The area of Manchester in which Salman Abedi grew up was home to a number of other LIFG members, including former senior commanders including Abd al-Baset Azzouz, who left Manchester to go to Libya and run a 200-300-strong militant network for Osama Bin Laden’s successor, Ayman al-Zawahiri. Azzouz is reported to be an expert bomb-maker.

In 2002, former MI[5] agent and whistleblower David Shayler accused the British spy agency of colluding with the jihadist group in a failed 1996 effort to kill Gaddafi, an allegation the British government strenuously denies.

Allegations have also emerged that in 2011, the UK may have relaxed restrictions on LIFG fighters based in the UK and helped them return to Libya to fight Gaddafi.

The UK was at that time engaged in fighting Gaddafi as part of a US-led NATO coalition. Former fighters interviewed by the Middle East Eye said that the UK actively supported the return of anti-Gaddafi dissidents, including those with Al-Qaeda links, to the North African state.

One fighter who spoke to the Middle East Eye said he had been interviewed by an MI5 agent who asked if he was “willing to go into battle?”

“While I took time to find an answer he turned and told me the British government have no problem with people fighting against Gaddafi,” the fighter said.

Others reported that when the war in Libya began, they looked into how to get fake documents, because their passports had been removed as part of restrictive control orders placed on them by the UK government.

One said that within days, the authorities had returned their passports, after which they headed straight to Libya to take on Gaddafi.

At the time of the war, current UK Prime Minister Theresa May was Home Secretary, with oversight of MI5 operations. It is not clear if she was aware of the decision to relax restrictions of jihadists and return their travel documents.

 

*

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Muito estúpido ataque à Síria por parte de Donald Trump

08.04.17

war_lies.jpg

[Quem pense que o perigo de uma Terceira Guerra Mundial foi eliminado com a não eleição de Hillary Clinton, desengane-se... Pois, com alguém que não prima pela sanidade mental e com notórios complexos de grandeza na presidência dos EUA, que não pensa duas vezes antes de "premir o gatilho", é este um perigo que irá estar sempre presente.]

 

 

Peligro y estúpido ataque a Siria: los británicos y neoconservadores engañaron a Trump

[LaRouche PAC] 7 de abril de 2017 — El ataque con misiles crucero ordenado por el Presidente Trump contra la base aérea siria fue un acto “estúpido”, con base en mentiras descaradas que le vendieron a Trump los británicos y los neoconservadores que han penetrado su gobierno, y que no quieren ver que surja una alianza entre Estados Unidos, Rusia y China. Esta fue la evaluación de Lyndon LaRouche y de Helga Zepp LaRouche, quienes destacaron que la escandalosa y peligrosa violación del derecho internacional que le endosar a Trump, es parte también de la “revolución de color” que está ya a todo vapor, el golpe de Estado de Wall Street diseñado para tumbar su gobierno.

“Los británicos pusieron en movimiento esto contra toda la especie humana”, señaló Lyndon LaRouche específicamente.

Los ataques comenzaron a las 00:45 GMT del 7 de abril, en el momento en que se iniciaba el banquete oficial del Presidente Trump al mandatario visitante de China, Presidente Xi Jinping, luego de la primera fase de su reunión en la residencia de Mar-a-Lago, Florida. Después de la cena, Trump se retiró para hacer la declaración oficial del ataque contra Siria.

La acción que se calificó oficialmente como un ataque de “solo una vez”, se realizó desde los buques de la armada de Estados Unidos estacionados en el Mediterráneo, que lanzaron 59 cohetes crucero Tomahawk contra la Base Aérea de al-Shairat en Homs, Siria. El Departamento de Estado emitió una declaración en la que dice que se le dio aviso previo a Rusia en el contexto del acuerdo existente para evitar conflictos. Siria no fue informada directamente, pero se podría esperar que Rusia informó a Siria. El gobierno sirio informó que 6 soldados sirios fueron asesinados en el ataque.

En el anuncio de los ataques, el Presidente Trump estableció como un hecho supuestamente probado que “el dictador sirio Bashar al-Assad lanzó un horrible ataque con armas químicas contra civiles inocentes... No puede haber ninguna discusión sobre que Siria utilizó armas químicas prohibidas”. Estas son aseveraciones sin prueba que le pasaron a Trump como hechos, antes de que se realizara ninguna investigación competente por parte de la ONU o de ningún otro organismo. Diversas fuentes de inteligencia bien informadas le han dicho a EIR que la Fuerza Aérea Siria realizó realmente un ataque aéreo contra lo que ellos consideran un depósito de armas del Estado Islámico (EIIS), que resultó que tenía armas químicas pertenecientes a los terroristas, y que estos hechos son conocidos por las agencias de inteligencia de Estados Unidos, pero que no fueron reportadas verazmente al Presidente Trump.

En su breve anuncio Trump dijo también que “es del interés vital de la seguridad nacional de Estados Unidos prevenir y disuadir el empleo de armas químicas letales... Esta noche, llamo a todas las naciones civilizadas a unirse a nosotros en el objetivo de acabar la masacre y el baño de sangre en Siria”.

El Secretario de Estado, Rex Tillerson, alegó que Rusia no había cumplido en implementar el acuerdo de 2013 para destruir las armas químicas de Siria. “Es claro que Rusia ha fallado en cumplir con ese compromiso de 2013”, le dijo Tillerson a los periodistas en Florida. “Así que, o Rusia ha sido cómplice o Rusia ha sido incompetente en su capacidad de cumplir... Nosotros sentimos que el ataque fue proporcional”, agregó.

“Esto indica de manera clara que el Presidente está dispuesto a tomar acciones decisivas cuando sea necesario”, alegó Tillerson. “En ningún modo intentaría extrapolar que eso es un cambio en nuestra política o en nuestra postura con relación a nuestras actividades militares en Siria hoy. No ha habido ningún cambio en ese estatus”, agregó.

De acuerdo a un funcionario de la defensa de Estados Unidos, a quien cita la agencia Reuters, Trump preguntó primero el 5 de abril cuáles serían las posibles acciones militares, después de que las agencias de inteligencia le habían dado la línea de que las naves sirias estacionadas en la Base Aérea de el-Shairat habían lanzado gas sarín contra civiles.

No se ha presentado ninguna “prueba” pública. La única información pública se origina de los llamados “Cascos Blancos”, un grupo financiado por los británicos y con conocidos nexos con el Estado Islámico.

 

*

 

LPAC Statement on Syria bombing: Fraud Against the President; Fraud Against the Nation

April 7, 2017 — In reviewing the Syria bombing ordered by President Donald J. Trump yesterday, Lyndon and Helga LaRouche condemned it in the strongest terms possible. President Trump received a fraudulent briefing on the event itself – asserting that Bashar al-Assad was responsible for a chemical weapons attack on his own population – despite the fact that U.S. military forces on the ground in Syria knew that the chemicals came from an Al-Qaeda base, as stated by Russia and Syria. President Trump was lied to by individuals in his national security/intelligence chain of command. The sources utilized to claim Syrian culpability for the attack are exclusively British, the same people who are coordinating the international attack on Trump’s Presidency, in an effort to destroy any positive potential for relationships with Russia and China to rebuild the U.S. and world economy. This was a violation of international law. Trump was setup. “The British set this in motion against the entire human race,” Lyndon LaRouche emphasized.

LaRouche said the Trump must immediately seek out those responsible for the fraud and fire them. A United Nations investigation of the incident must occur immediately. Following both, a war crimes prosecution would be appropriate. The President should never listen to the British. It is not accidental that this setup occurred right when the President was meeting with China’s President Xi Jinping – a meeting which has the British and their Wall Street allies completely apoplectic – a meeting which could portend a new and peaceful paradigm for economic and scientific progress.

LaRouche PAC is coordinating a national mobilization against this fraud, telling the President to fire those responsible, and return to the sound American system premises of his Presidency, not the World War III policies of Barack Obama and Hillary Clinton. Nothing less than the continued viability of his presidency is at stake. We are also demanding that the United Nations immediately investigate.

According to numerous intelligence community sources who have commented or who have been interviewed by LaRouche PAC, active duty U.S. forces on the ground in Syria knew that this was not a Syrian government chemical attack. The Syrians hit an Al-Qaeda base which was storing chemical weapons used by the terrorists. U.S. forces on the ground reported that it was not a Syrian chemical weapons attack up the chain of command. The United States had been notified of the Syrian mission before it took place and knew about the Syrian targeting. Someone either deliberately lied to the President about this information or kept it from him.

The on the ground intelligence purporting to document a chemical weapons attack by the Syrian Air Force came from the White Helmets group, created by the British, financed by the British Defense Ministry, and totally penetrated by and supporting ISIS and Al Nusra terrorists. The other cited “proof” comes from the Syrian Human Rights Observatory which consists of a single individual, residing in London, who is notorious for widely disseminating inaccurate information.

The President needs to hear from those who voted for him and other patriots who are not interested in World War III or perpetual war in the Middle East. The swamp which needs draining is the Wall Street/London/Washington D.C. neo-conservative, liberal interventionist swamp which has squandered the nation’s wealth, and involved our youth in fraudulent wars destroying the morale of an entire generation. Mr. President, find, fire, and prosecute those responsible for this.

Call the White House comment line at 202-456-1111 Monday-Friday or call switchboard at 202-456-1414.
You can write a message to the White House at whitehouse.gov/contact
You can tweet the President at @realDonaldTrump.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 18:29

Conheçam Tommy Robinson

29.03.17

Activista originário da subcultura holígane inglesa, constantemente caluniado e demonizado por alguma da suposta esquerda, censurado pela imprensa controlada e alvo de peças de ataque por parte da mesma, constantemente assediado pelas autoridades do seu país, repetida e também seriamente atacado fisicamente pelas suas críticas ao Islamismo radical e alguém que, ainda assim, simplesmente não se deixa calar, constitui este muito inteligente cidadão britânico (passando ao lado das críticas que se podem fazer ao mesmo) um interessante caso (proeminente) das ainda muito poucas pessoas no Reino Unido que têm a coragem de denunciar os problemas associados à religião islâmica, sem receio de ser erradamente colado a posições racistas ou xenófobas.
Quase todos os vídeos que podem ser encontrados no YouTube que o têm como protagonista são interessantes de se ver, para ter uma pessoa consciência de um muito sério problema que poderá um dia afectar outros países europeus mais a Sul. Sendo os que a seguir coloco, apenas dois que escolhi como amostra.



Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 00:56

Porque devemos ficar sempre "de perna atrás" com os muçulmanos

25.03.17

no-democracy-we-want-just-islam.jpg

 

[Fazendo uma breve introdução a este tema (e não me esquecendo eu do facto de que as crenças pessoais e religiosas de todos devem sempre ser respeitadas)... O que se passa, é que a religião islâmica não é apenas mais uma religião qualquer (da mesma maneira que também o Fascismo ou o Comunismo não podem ser descritos meramente como mais umas quaisquer ideologias políticas). Sendo antes o Islamismo uma religião na qual é justificável matar e massacrar aqueles que não sejam adeptos da mesma. E sendo os grupos terroristas que se baseiam no Corão (assim como quem celebrou mais um recente atentado terrorista) pessoas que estão meramente a seguir e concordam com alguns dos princípios que são neste livro defendidos (enquanto a maioria dos adeptos desta religião simplesmente escolhe ignorar tais princípios). E, isto, falando apenas de alguns dos mais bárbaros actos defendidos e cometidos pelos adeptos desta religião - que, como muitos saberão, não são os únicos...]

 

 

Study: One Third of Young Muslims in France Think Terrorism is “Acceptable”

Full report delayed until after the election because it’s not “politically correct”

Paul Joseph Watson
PrisonPlanet.com
March 21, 2017

A third of young Muslims in France think that terrorism is “acceptable” a new study has found, with the full report being delayed until after the election because it is not “politically correct”.

Findings of the study, which canvassed the opinions of 6828 high school students after the 2015 Paris attacks, were presented at a press conference in the French capital by researchers Olivier Galland and Anne Muxel.

The results are disturbing but not surprising given attitudes amongst Muslims living in European countries.

– A young Muslim is four times more likely to adhere to radical beliefs than a Christian.

– 33% of Muslim students consider it “acceptable” to “participate in violent actions for his ideas”. In other words, a third are sympathetic towards terrorism.

– 20% of Muslim students agreed with the statement that it was “acceptable to stand up for your religion with weapons”.

– 24% of those surveyed refused to fully condemn the Charlie Hebdo killings.

– 21% of those surveyed refused to fully condemn the Bataclan theater massacre during which 89 people were killed as part of the wider November 13 Paris attack that claimed 130 lives.

It is worth emphasizing that the percentage of young Muslims who refused to condemn Charlie Hebdo and the November 13 massacre are likely to be much higher than the numbers listed above given that those results are representative of the entire sample, and Muslims make up just 25% of the sample.

“When asked if these attitudes could be due to economic and social factors or a sense of victimisation, the researchers responded that “membership in the Muslim religion is the most predictive factor,” notes Westmonster.

The results were “not very politically correct,” remarked French journalist Gurvan Le Guellec, while others at the press conference expressed concern about the timing, noting that the full report would not be released until after the election.

Left-wing newspaper Le Monde slammed the researchers for “opening Pandora’s box” by simply relating the facts of the study.

However, the results are in line with previous polls such as a 2006 Pew Global Attitudes study which found that 42% of Muslims aged 18-29 thought that suicide bombings were sometimes justified.

The study vindicates the concerns of the majority of Europeans who, when asked in a recent Royal Institute of International Affairs survey, said they would like to see a total ban on Muslim immigration.

 

 


(Passagens violentas no Corão: http://www.thereligionofpeace.com/pages/quran/violence.aspx)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dias maçónicos de ocorrência de atentados

23.03.17

(E, bem a propósito do que ontem aconteceu...)
Aqui vai uma carta electrónica que enviei, na passada semana, a algumas pessoas.
(Supondo eu que, se poderá acrescentar aos locais "perigosos" que menciono também as imediações de parlamentos - e apenas estas, pois, estando os verdadeiros mandantes destes atentados lá dentro, deverão tais parlamentos ser espaços seguros...)

 

Assunto: Dias do mês em que não convém utilizar aeroportos

Mais um (possivelmente importante) aviso que faço, este de natureza mais "esotérica".

(Independentemente de acreditarem, ou não, no que vos digo eu acerca de quem realmente está por trás destes acontecimentos...)

Se repararem nas datas em causa, irão constatar que existe claramente uma forte incidência de certos dias em que é *muito* mais provável haver (1) golpes de estado e (2) atentados terroristas, do que nos restantes dias do mês. E, são os de que falo, os dias 7, 11 e 22.

Relativamente a (1) golpes de estado, podemos observar: o "11 de Março", que ocorreu em Portugal durante o PREC; o "11 de Setembro" de 1973, que ocorreu no Chile (e pôs Pinochet no poder); ou, por exemplo, a mais conhecida Revolução Bolchevique, que (no calendário ocidental) ocorreu no dia "7 de Novembro" (7/11).

Mas, muito mais importante do que isto, é reparar nos dias em que têm ocorrido (2) os principais atentados terroristas no Ocidente:

- "11 de Setembro" nos EUA
- "7 de Julho" (7/7) foi o dia em que ocorreram os atentados nas estações de Metro e num autocarro em Londres
- "11 de Março" foi o dia em que rebentaram as bombas na estação de comboios de Madrid
- "22 de Julho" (22/7) foi o dia em que Anders Breivik matou 77 pessoas na Noruega
- "22 de Março" foi o dia em que ocorreram os ataques em Bruxelas

Enfim... Só quem não estiver a prestar atenção às datas é que pode dizer que não há aqui algo de, no mínimo, mesmo muito coincidente... E, apesar de ter havido atentados noutras datas (com preferência para os meses 7 e 11), os principais ataques parecem seguir este padrão (oculto).

E, por isso, é só para vos avisar de que,

Se acham que eu poderei ter alguma razão no que digo, evitem ao máximo passar por aeroportos (i.e. viajar) e estar junto de grandes multidões nos (maçónicos) dias 7, 11 e 22 de cada mês.

 

 

Carta esta, à qual aproveito para acrescentar um comentário que fiz, há exactamente um ano, no blogue do meu amigo Dr. Octopus, a propósito dos atentados que tinham ocorrido em Bruxelas - para que saibam as pessoas no que me estou a basear, quanto faço este tipo de ilações.

 

E, reparem na assinatura maçónica... Dia 22.

7, 11, 22 e 33 são números maçónicos*.

7 de Julho, 11 de Março, 11 de Setembro, agora 22 de Março... Só não acontece nada a um dia ou mês 33 porque estes não existem.

13 de Novembro, em Paris = "sexta-feira 13" do mês 11. Sendo que, provavelmente, a "sexta-feira 13" (de significado cristão) terá a ver com qualquer elemento e significado satânico dos "iluminados" da maçonaria. (O que parece ser corroborado pelo facto de que o ataque ao concerto da banda de [suposto] death metal ocorreu no preciso momento em que tal banda tocava uma música de culto (explícito) a Satanás.)

Coincidência ou não, a explosão que ocorreu na zona dos edifícios da União Europeia, foi às 9:11. (Uma vez mais, a combinação "9-11" do 11 de Setembro estadunidense, da linha de emergência nos EUA etc. - https://www.youtube.com/watch?v=1Kk22CeJ2WY#t=5m56s)

O número do voo do avião que iniciou os ataques de 11 de Setembro foi o "11". John F. Kennedy foi morto no dia 22/11. Etc...

---
* (O uso do 11 e múltiplos deste, toda a gente tem a obrigação de saber. Mas, para quem desconheça o uso do 7, deixo a seguinte fonte: https://web.archive.org/web/20150601090304/http://www.danielestulin.com/2011/11/16/tavistock-el-poder-de-una-imagen-i-parte/)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Confirmada "previsão" do 11/9/2001 no filme "The Matrix" de 1999

29.11.16

matrix.png(Podem clicar na imagem para a ampliar.)

 

Por ser este um filme com mais de 15 anos, já por n vezes que tinha eu visto que iria ser exibido nos vários canais da TV por cabo. Mas, talvez por não estar normalmente associada a tais canais a sigla "HD", nunca me lembrei de fazer eu tal confirmação.
Pois bem, por ter eu visto ontem à noite, pela primeira vez, que iria ser exibido este filme num dos canais de cinema TVCine que sei eu bem que emitem todos os seus filmes em alta definição - e, certamente por ter eu sido também lembrado desta temática, a propósito da minha última colocação neste blogue - lá me lembrei eu de fazer uma confirmação pessoal (com a câmara fotográfica e de filmar de um muito bom smartphone que agora tenho) do que há já uns bons anos vi eu ser denunciado num fórum de discussão sobre estas temáticas.
(Lembrem-se... Tudo indica que estas pessoas fazem, de facto, este tipo de escolhas e colocações propositadas, em aparente jeito de "piada interna". E, para quem queira entender qual é a "piada" neste caso - deste pormenor de uma cena em que é interrogado um personagem "rebelde" - deixo aqui <esta> hiperligação.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Exercícios de "simulação" de múltiplos ataques terroristas em Paris foram agendados para o mesmo dia 13 de Novembro de 2015 em que ocorreram múltiplos ataques terroristas nesta cidade

13.11.16



É isso mesmo. Para não variar (e, supostamente, por "enorme coincidência") foram agendados para o dia destes atentados exercícios de "simulação" da mesma exacta situação que ocorreu.
(A mesma coisa que aconteceu: no 11 de Setembro; no 7 de Julho; no primeiro "22 de Julho"; e nos supostos atentados da Maratona de Boston.)
Também, aquando do ataque ao Bataclan, estavam 6 militares à porta desta sala de espectáculos. E, o que fizeram tais militares, quando o ataque ocorreu? Absolutamente NADA.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Noam Chomsky apoia Hillary Clinton

31.10.16

(A quem tiver isto passado ao lado - e, não é que tal seja importante para mim, vindo de alguém com quem sempre aprendi muito pouco - deixo aqui esta curiosa nota, sobre as próximas eleições presidenciais estadunidenses.)



Em declarações no início deste ano à estação de televisão pseudo-alternativa Al Jazeera, o não declarado líder intelectual de muitos activistas e supostos anarquistas, Noam Chomsky, disse que votaria em Hillary Clinton, se estivesse em situação de poder ajudá-la a ser eleita. E, podem ler os excertos que interessam dessa entrevista, <aqui> (num artigo onde também é denunciado que Chomsky apoiou monetariamente o pré-candidato democrata Bernie Sanders).
Hillary Clinton! A Secretária de Estado co-responsável por várias guerras de agressão, que gozou com a tortura e morte de Qaddafi e que irá prosseguir com o cerco militar da Rússia, fazendo o mundo continuar no caminho para uma Terceira Guerra Mundial.
Chomsky não só disse isto, como nessa mesma entrevista chamou a todos os pré-candidatos republicanos "negacionistas das alterações climáticas" - assumindo-se (com tal declaração e com alguns artigos seus recentes - [1] [2]) como um defensor da já mais que provada mentira do "aquecimento global provocado pelas actividades humanas".
Juntem a isto (1) o facto deste filósofo dizer que não é importante saber quem assassinou John F. Kennedy ou quem realmente cometeu os atentados de 11 de Setembro - [1] [2] - (e até mesmo que existem "imensas provas" de que a Administração Bush "não esteve envolvida" nos últimos) e (2) o facto de ser este conhecido autor um professor no sistema de estupidificação (leia-se escolarização) oficial - e de dar o mesmo até palestras sobre "política educativa" a outros professores, sobre como deverão os últimos prosseguir com o seu trabalho de estupidificação e domesticação - e, só mesmo quem tiver sido quase completamente estupidificado por este sistema é que não conseguirá ver que este conhecido intelectual não pode ser nenhum "anti-sistema" ou anarquista.

(Apenas uma nota de interesse, que pensei que deveria fazer, antes daquelas que poderão ser as mais importantes eleições de sempre, se - tal como muitos prevêem - vierem a ser as últimas eleições presidenciais estadunidenses de sempre.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sobre os indivíduos que recebem tratamento psiquiátrico e que depois vão cometer atentados

19.07.16

Dada a repetida ocorrência de ataques, que beneficiam o poder estabelecido ocidental, que são cometidos por indivíduos que receberam tratamento psiquiátrico no seu passado - tal como foi o caso do terrorista de Nice - venho aqui chamar a atenção para algo que disse num comentário recente que deixei no blogue do meu amigo Dr. Octopus, a propósito do assassinato da deputada britânica Jo Cox, que fazia campanha contra o Brexit.

possível_lavagem_cerebral.png

Ao qual aproveito para acrescentar que: ao contrário da psicologia, a psiquiatria é algo de muito perigoso e que deve ser evitado a todo o custo. Sendo as razões pelas quais eu digo isto, entre outras, o que pode ser visto neste documentário.

Autoria e outros dados (tags, etc)