Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Conheçam Tommy Robinson

29.03.17

Activista originário da subcultura holígane inglesa, constantemente caluniado e demonizado por alguma da suposta esquerda, censurado pela imprensa controlada e alvo de peças de ataque por parte da mesma, constantemente assediado pelas autoridades do seu país, repetida e também seriamente atacado fisicamente pelas suas críticas ao Islamismo radical e alguém que, ainda assim, simplesmente não se deixa calar, constitui este muito inteligente cidadão britânico (passando ao lado das críticas que se podem fazer ao mesmo) um interessante caso (proeminente) das ainda muito poucas pessoas no Reino Unido que têm a coragem de denunciar os problemas associados à religião islâmica, sem receio de ser erradamente colado a posições racistas ou xenófobas.
Quase todos os vídeos que podem ser encontrados no YouTube que o têm como protagonista são interessantes de se ver, para ter uma pessoa consciência de um muito sério problema que poderá um dia afectar outros países europeus mais a Sul. Sendo os que a seguir coloco, apenas dois que escolhi como amostra.



Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 00:56

E ainda continuo eu (ingenuamente) a acreditar(?) no Anarquismo

15.03.17

Um comentário que deixei (através de uma conta temporária, que criei apenas para o efeito) na página no Facebook de um "Colectivo Estudantil Libertário", a propósito da recente polémica do cancelamento de uma conferência-debate na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa, organizada por um núcleo de estudantes (aparentemente, de inspiração fascista), depois de ter lido <este> comunicado da autoria do primeiro colectivo.

colestlib.png

Comentário este, ao qual não obtive resposta - sendo que, a um comentário anterior (que entretanto desapareceu) que falava de "moções contra a liberdade de expressão", estava lá uma resposta de tal colectivo a dizer qualquer coisa como que "não se tratou de um acto de censura, mas apenas da não cedência de uma sala" (como que o segundo acto, neste caso, não constituísse uma forma do primeiro).

Quem tiver dúvidas sobre o sucedido, pode ver a seguir a moção em causa - na qual se pode constatar que este episódio se tratou claramente de uma tentativa (ou acto) de censura de tal evento.

aefcsh.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

"What's up?!... Money! Money! Money!"

12.09.15

(Alguma alma caridosa, que tenha pena de quem não quer lutar no seu país-natal por melhores condições de vida, talvez queira ir dizer a estes imigrantes que, para além da União Europeia, se estiverem eles dispostos a "ir lavar pratos para a Suíça", podem lá ganhar mesmo muito dinheiro...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Estímulos à imigração síria para dentro da União Europeia servem também para desincentivar luta dos sírios contra o Estado Islâmico

09.09.15

syria-ypj-fighters-in-kobane.jpeg

 

É óbvio que, também para que celebrações de vitórias contra o Estado Islâmico (como a acima retratada) não se tornem um fenómeno comum na Síria, é do interesse do Ocidente estimular esta onda de refugiados (na sua grande maioria sírios) em tão grande número. E, deixei nos comentários a <esta> colocação, feita no blogue do meu amigo Dr. Octopus, uma explicação mais elaborada sobre isto - de onde tiro a seguinte citação de um artigo sobre a luta das mulheres curdas da minoria iazidi:

 

"the women are conscious of a 'white' or bloodless genocide, as EU governments — especially Germany — try to lure Yazidi women abroad, uprooting them from their sacred homes and instrumentalizing them for their own agendas."

Autoria e outros dados (tags, etc)

Imigração é muito útil para alterar as diferentes culturas europeias

04.09.15

pro-immigration.jpg

Tragédias à parte, é importante reflectirmos sobre as causas de todo este fenómeno de imigração massiva para a Europa (para além do facto de ter o mesmo origem em guerras criadas ou instigadas pelo próprio Ocidente). Nomeadamente, questionando-nos sobre porque razão não decidem antes estas pessoas lutar pela libertação das suas pátrias e como conseguem elas, numa situação de desemprego, arranjar tanto dinheiro para pagar a traficantes de seres humanos - ainda mais, quando são oriundas de países (muito) pobres.

E, quanto à reacção do poder estabelecido europeu a este fenómeno, é também importante fazer algumas perguntas.

  • Porque razão se disponibilizam, prontamente, os diferentes líderes europeus para acolher estas pessoas estrangeiras?
  • Porque razão tem existido uma clara e contínua propaganda, por parte do poder estabelecido e dos seus média de massas, que visa misturar culturas - e, consequentemente, "diversificar" ou miscigenar as populações europeias?
  • Porque razão atribuem alguns estados-membros da União Europeia subsídios a quem não é cidadão do seu país, para ajudar tais pessoas a se fixarem dentro dos seus países de acolhimento, financiam algumas autarquias destes estados a construção de templos de religiões diferentes das predominantes locais e se atribuem até cargos ministeriais a quem nem sequer é natural do país onde exerce tal cargo?

A resposta a todas estas interrogações deverá, uma vez mais, ser óbvia para quem já conhece este blogue... [1] [2]

Alterando significativamente as populações humanas e as culturas dos diferentes estados europeus, para uma situação em que comecem estes, outrora diferentes, a assemelhar-se uns aos outros (por terem acolhido o mesmo tipo de populações estrangeiras), é mais uma facilidade que se cria para a pretendida extinção dos diferentes estados-nação europeus e sua substituição por um, cada vez mais homogéneo, superestado europeu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

De Menezes trabalhava no Metro de Londres?

09.07.15

(Transcrevo e traduzo para aqui uma colocação que fiz, num fórum de discussão sobre este tipo de assuntos, há 6 anos - relativa a uma pergunta para a qual ainda não obtive uma resposta...)

 

Na seguinte palestra improvisada(?) feita pelo antigo agente do MI5, David Shayler, em 2005, ele parece afirmar, na sessão de perguntas e respostas que se segue à mesma, que De Menezes trabalhava como electricista no Metro de Londres.



(50m e 18s): "Eu tenho uma teoria... Este tipo era um electricista e ele trabalhava no Metro de Londres e que ele podia então ter informações internas sobre o que aconteceu no 7/7. Mais uma vez, eu não sei se isto é verdade ou não."

Não sei se a parte de ele [De Menezes] trabalhar no Metro de Londres pertence a tal teoria ou não. Mas, não ouvi ele [David Shayler] afirmar isto em mais lado nenhum. Também, (...) nunca li ou ouvi isto em mais lado nenhum.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 13:45

Bilderberg 2015

12.06.15

(Têm aqui uma página que faz a colecção das mais importantes notícias sobre, e também referências a, esta reunião e têm aqui uma interessante notícia, relativa à participação de uma figura portuguesa neste clube.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Municipalismo Libertário"/"Comunalismo" em Kobane (Síria)

04.06.15

Mais um comentário meu censurado num sítio que se diz anarquista (e que me faz interrogar sobre quantos sítios falsos e - como pude, mais tarde, constatar - com um conteúdo de lixo haverão, na Internet, a fazer-se passar por "libertários").

bandeirapreta.png

As hiperligações contidas no comentário são <esta> e <esta>. E, se quiserem saber mais sobre que filosofia é esta do "Comunalismo" - que, para além de antiprogressista, quer destruir o conceito de individualidade - não têm de ir mais longe do que a correspondente página na Wikipedia, tal como existe presentemente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O célebre Maio de 68 explicado em muito poucas linhas

16.05.15

mai68_violence.jpg

 

Um comentário que deixei ontem na rede Facebook, na página de um colectivo de estudantes anarquistas que assinalava como algo de positivo este conhecido episódio (comentário esse, que foi inesperadamente apagado, quando eliminei eu hoje a minha conta nesta rede - a qual foi criada apenas temporariamente, para enviar uma mensagem a um outro colectivo que apenas se deixava contactar através deste rede social controlada).
Os dois artigos para os quais eu deixo hiperligações, no final do comentário, são <este> e <este>.

 

maio68.png

Autoria e outros dados (tags, etc)