Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Sobre a extinção de feriados

05.02.12
"To achieve World Government, it is necessary to remove from the minds of men their individualism, loyalty to family traditions, national patriotism, and religious dogmas."
--- G. Brock Chisholm, co-fundador da Federação Mundial para a Saúde Mental e primeiro Director-Geral da Organização Mundial de Saúde

 

Eu nem vou falar mais da grande importância dos feriados históricos que foram extintos... (E que, exactamente por isso, é que terão sido extintos...) Nem vou repetir as observações que fiz sobre o suposto motivo com que tentam justificar tudo isto...
Mas, suponho que a uma certa família que governa, de modo sinarquista, nos bastidores (e que, quem sabe, um dia sairá da sombra, para governar de modo visível?) estas extinções deverão ter agradado - e lhe ter dito - muito.
Só vos digo é que, pelo andar das coisas, um dia será certamente também o feriado do 25 de Abril que irá ser extinto. Dia este, ainda mais importante e muito mais significativo que os outros. Mas que o (que restar do) sistema educativo tratará, entretanto, de desvalorizar.
Mas, não agora... Que o tempo antigo está ainda na memória de muita gente viva. Dêem-lhe mais umas gerações, consecutivamente, cada vez mais estupidificadas e ignorantes e, depois sim, veremos a estocada final.
Para os ignorantes (que, com a degradação cultural e educativa que tem ocorrido, já nem sei quantos serão...) fica um pequeno vídeo, meramente introdutório, que partilho, também por curiosidade, pertencente à extinta "telescola", sobre a revolução que, só no início do século passado, acabou com o sistema político quase medieval na altura existente.
Um vídeo sobre o Portugal de há 100 anos, em que ainda havia gente honesta e com princípios neste país, que queria mudar as coisas para melhor. Gente que tinha ideais progressistas e que lutava por eles. Numa altura em que o nosso país era um país muito diferente e, ao mesmo tempo, com problemas semelhantes. Mas, acima de tudo, um país em que ainda havia quem tentasse puxar as pessoas para Cima, e não para baixo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 10:53



3 comentários

Sem imagem de perfil

De Fernando Negro a 05.02.2012 às 19:39

Se virem a "nova versão alargada" (http://www.sabado.pt/Multimedia/Videos/Vox-Pop/VoxPop--A-ignorancia-dos-nossos-universitarios.aspx) do vídeo ao qual vai parar a hiperligação que deixei quando falo nas gerações "cada vez mais estupidificadas e ignorantes", poderão constatar que há já quem não saiba em que ano é que foi o 25 de Abril... (Quanto mais saber o que foi o PREC, o 25 de Novembro etc...)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2012 às 11:52

Pois... é necessário ser-se objectivo para constatar que o 25 de Abril tem o valor do 28 de Maio... só que de sinal oposto! Quanto a este último houve a inteligencia de nunca o fazer feriado, pois havia (presumo...) a noção do "efémero". O 25 de Abril, quando chegar o 37 de "outembro", logo será substituído...
O mais importante feriado que o País deveria ter era, de facto, o 5 de Outubro, que até agora comemorava a implantação da Republica e que é uma espécie de dia da maçonaria... De facto o dia 5 de Outubro é o dia da INDEPENDENCIA de Portugal, consequente da assinatura do Tratado de Zamora entre D. Afonso Henriques e D. Fernando VII de Castela, em 1143.
Sem imagem de perfil

De Octopus a 20.02.2012 às 11:30

Uma das técnicas de qualquer regime autoritário e fascistas é apagar a história de um povo. A amnésia resultante e a falta de referências torna-o frágil e dócil.

Um abraço

comentar colocação