Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Como se podem também vocês livrar (em boa parte) da Google

13.05.13

No final das alterações e operações de manutenção que tinha a fazer nos computadores cá de casa, decidi - por ter sido repetidamente censurado, quer no YouTube (onde agora, aparentemente, todos os comentários que eu lá deixe são escondidos, pouco tempo depois de serem publicados) quer na Blogger (onde comentários que eu deixe noutros blogues, que não o meu, desaparecem quase instantaneamente) e também por não querer eu que o Grande Irmão norte-americano ande a espreitar a minha caixa de correio, de cada vez que lhe apeteça, nem gostar eu do facto de estar a utilizar um motor de busca que é usado para traçar o meu perfil psicológico e para apresentar publicidade que varia consoante as minhas buscas recentes - deixar de utilizar, dentro do possível, tudo o que sejam serviços da Google e suas empresas subsidiárias.

(Aproveitando eu para acrescentar que, relativamente a este blogue e à minha conta no YouTube - que é utilizada, essencialmente, para publicar vídeos que eu, por vezes, aqui quero partilhar - como já disse, estes já não deverão ser utilizados por muito mais tempo. Devendo estes, no final do seu período de utilização, ser simplesmente abandonados e tencionando eu aqui e lá deixar todos os seus conteúdos, até à altura publicados, para quem ainda esteja interessado nos mesmos.)

Mas, porque não é minha vontade (pelo menos, por enquanto) abandonar toda a Internet, enquanto for ainda possível utilizá-la de modo decente, mas sim, continuar a utilizá-la para coisas que eu considere úteis, tentando (dentro do possível) proteger (o que resta de) a minha (já muito pouca) privacidade, vim convosco partilhar duas simples coisas que todos podem também fazer, caso tenham por hábito utilizar os mesmos serviços que eu.

A primeira, caso pertençam também alguns de vós ao grupo de (muitas) pessoas, neste Planeta, que têm uma caixa de correio no Gmail, uma muito boa alternativa ao mesmo (que, espero eu, não venha a ser controlada pelos mesmos interesses) é o serviço Mail.ru. O qual, apesar de ser mais direccionado para a comunidade russa, pode ser utilizado em inglês ou castelhano.
Para criar uma conta de correio neste serviço, numa língua que não a russa, só têm de ir à sua página inicial, https://mail.ru, clicar na frase "Регистрация в почте" ("Registar-se no correio electrónico") na respectiva janela de registo/entrada, que se encontra no canto superior esquerdo da página, e, na página do registo para a qual são direccionados, no canto inferior direito da mesma, alterar a língua em que é apresentado o interface, de russo ("русский") para a que quiserem (inglês ou castelhano, deverão ser as duas únicas opções viáveis) e passar então a utilizar tal serviço numa língua que entendam.
(O interface, para além de ser, na minha opinião, mais simples e agradável de utilizar do que o do Gmail, tem quase tudo traduzido. E, relativamente às muito poucas mensagens que ainda não aparecem traduzidas, podem sempre facilmente traduzi-las, recorrendo a um "copiar-colar" para um qualquer tradutor electrónico, disponível na Internet.)
E, a partir daqui, podem então: ou utilizar este interface simples, no vosso navegador de Internet; ou configurar um qualquer cliente de correio electrónico, à vossa escolha - e não ter, subsequentemente, de recorrer mais a tal página na Internet, escrita em russo.
(Poderão também ainda aparecer, no cliente de correio electrónico que utilizem, uma ou outra pasta com a sua designação em russo, mas, caso não descubram uma maneira de alterar tais palavras no vosso cliente, estar a decorar apenas uma ou outra, neste língua, não deverá constituir um esforço significativo...)
Caso queiram transferir todo o correio que tenham na vossa conta antiga, no Gmail, para a nova que tenham no Mail.ru, podem utilizar a opção das configurações no Mail.ru que permite aceder a outras caixas de correio ("Mail from other mailboxes") e, depois de autorizar tal operação na vossa caixa no Gmail (a maneira mais simples deverá ser: tentar, sem sucesso, fazer a primeira "colheita" a partir da conta no Mail.ru e, depois de tal não ser autorizada, ir à vossa caixa no Gmail e autorizá-la, através do aviso que lá aparece) passar a ter toda a vossa correspondência arquivada também na vossa nova caixa no Mail.ru.
Após isto, podem, se quiserem, apagar a correspondência que tenham no Gmail (façam sempre cópias de segurança, com um qualquer cliente de correio electrónico, antes de tentar qualquer uma destas operações, caso alguma coisa corra mal) que, pela minha experiência, tal não faz com que esta seja, consequentemente, apagada também na vossa conta no Mail.ru.
E se, por uma qualquer razão, quiserem manter ainda activa a vossa antiga conta no Gmail, para que seja reenviada, para a vossa nova conta no Mail.ru, qualquer carta que ainda possam receber na caixa no Gmail, o melhor será, depois de terem desactivado o acesso do Mail.ru à vossa conta no Gmail (através do qual fizeram a "colheita" das mensagens - apesar de que, podem mantê-lo, se quiserem, e usar a conta no Mail.ru como um cliente de correio electrónico da vossa conta no Gmail, mas penso que seja melhor, e mais simples de operar com, a opção que a seguir sugiro) configurar a vossa antiga conta no Gmail (na parte das "Definições") seleccionando na secção "Encaminhamento e POP/IMAP" a opção "Encaminhar uma cópia do e-mail recebido para" a vossa nova conta no Mail.ru e, assim, receberem na vossa nova conta no Mail.ru qualquer carta que ainda possa alguém (que não tenham avisado da mudança) querer enviar para a vossa antiga conta no Gmail (como, por exemplo, algum serviço no qual se tenham esquecido de alterar o vosso endereço electrónico, para a recepção de avisos e mensagens importantes).
E, a finalizar, sobre as diferenças pelas quais se caracteriza este serviço alternativo de correio electrónico, uma nota importante, em termos de privacidade (e disponibilidade)...
O Mail.ru não vos obriga a dar um número de telemóvel.

A segunda coisa, de que me lembrei, foi de que, caso não queiram, tal como eu, continuar a utilizar (dentro do possível) o mais conhecido motor de busca da Internet - que, para além de, notoriamente, manipular resultados, escondendo aqueles dos quais não querem que tenhamos conhecimento e promover também tudo o que são sítios notoriamente controlados, incluindo os de suposta denúncia (acreditem em mim, quando faço esta última afirmação, pois tenho utilizado muito tal motor de busca para pesquisas sobre assuntos "incómodos"), é também (como digo acima) usado pelo Grande Irmão norte-americano para tentar "entrar dentro da nossa mente" - e também, caso não se deixem enganar pela óbvia publicidade enganosa de um outro conhecido motor de busca que, note-se, é recomendado pela imensamente honesta União Europeia e que diz ter apenas uma ténue ligação à Google, existe também uma boa alternativa, oriunda do único grande país que não está, definitivamente, controlado pela NOM. Sendo essa, o sítio Yandex.com, que constitui uma implementação, em língua inglesa, do conhecido motor de busca Yandex (.ru). Tendo este motor também buscas especializadas em imagens e vídeos, e também um tradutor electrónico próprio, entre outras coisas.
Se utilizam também o navegador de Internet "Mozilla Firefox" e quiserem adicionar este motor de busca à vossa lista dos restantes, apenas têm de visitar o sítio em causa e, na vossa pequena janela de buscas, no canto superior direito do vosso navegador, clicar na lista de motores de busca, para adicionar este, que aparece lá listado, para poder ser acrescentado, quando se visita a sua página.

E, sobre estas pequenas mudanças, que se podem fazer...
Não é que estas vos garantam muito mais privacidade. Pois, haverão certamente programas de inteligência artificial que, pelo simples registo do vosso tráfego na Internet consigam, à mesma, fazer as suas muitas interpretações. E é também sabido que todo o tráfego na Internet pode ser interceptado e analisado, incluindo quaisquer trocas de correio electrónico que sejam consideradas de interesse. (E as hiperligações que disponibilizo, para argumentar o que digo, são apenas sobre o que era do conhecimento público, há uns anos...)
E é também preciso notar que, de cada vez que façam uma qualquer pesquisa no YouTube e afins, estão, à mesma, a ter estas vossas pesquisas gravadas e interpretadas.
Mas, para quem, por uma questão de princípio, não queira facilitar o trabalho a quem a todos nos quer escravizar, aqui ficam estas dicas sobre o que podem fazer.

E, ainda... Se, por uma qualquer razão, se virem forçados a (ou quiserem, ainda assim) criar uma conta no YouTube (por exemplo, para subscreverem um qualquer canal), podem sempre criar uma conta na Google só para isso e escolher, na parte do endereço de correio electrónico a essa conta associado, o endereço da vossa conta no Mail.ru. E ficam, desta maneira, pelo menos livres da experiência desagradável de ter de estar sempre a entrar e a sair de uma conta na Google.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 17:34



2 comentários

Sem imagem de perfil

De Fernando Negro a 14.05.2013 às 18:47

E, uma outra coisa que me lembrei de acrescentar...
Quem quiser "transplantar" um blogue que tenha na Blogger, para um qualquer outro sítio, sei que é possível fazê-lo para a WordPress (http://www.labnol.org/internet/switch-from-blogger-to-wordpress/9707/) e também já o vi ser feito para um blogue na Sapo. (Não querendo eu, no entanto, com isto dizer que confio mais nestas duas empresas do que na Google...)
E sei também de quem o tenha feito para um sítio próprio na Internet.
Por isso, não deverá ser nada de complicado, para quem o queira fazer, mudar-se da Blogger para um qualquer outro sítio.
Sem imagem de perfil

De Octopus a 16.05.2013 às 12:05

Obrigado Fernando por todas estas informações

Um grande abraço

comentar colocação