Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Os resultados nada surpreendentes dos atentados em França

15.01.15

eiffeltower.jpg

Um investigador da polícia judiciária, que tinha como responsabilidade investigar os terroristas supostamente nisto envolvidos, que aparece morto no seu local de trabalho; militares que são destacados para patrulhar as ruas; e um pretexto para mais uma guerra em grande escala - e por petróleo - no Médio Oriente (com um grande navio militar já em preparativos para se dirigir para o teatro de guerra antes de todos estes acontecimentos).
O 11 de Setembro na sua versão francesa...
(Ver paralelos aquiaqui e aqui.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 17:14

Mais uma série de atentados obra do poder estabelecido ocidental

11.01.15

borregos.jpg

 

Para começar, tal como poderão ler no que eu escrevi aqui, não vi ainda provas convincentes de que foram as pessoas que o governo francês diz que foram, os autores destes atentados.
E, tenham em atenção o muito importante facto de que tudo isto tem origem numa clara repetição do que foi, também claramente, uma anterior operação mediática e psicológica ocidental.
Mas, mesmo partindo do princípio de que os culpados destes atentados possam ter sido as pessoas indicadas pelo governo francês...
O "Estado Islâmico", que não é mais do que um renomeamento da conhecida "al-Qaeda" (talvez feito para impedir as confusões que naturalmente surgiam, quanto ao notório combate e ao mesmo tempo apoio do Ocidente a tal conhecida "organização") é uma criação ocidental.
Segundo a história oficial destes recentes atentados em França, aliás, pelo menos um destes supostos terroristas pertencia à al-Qaeda - a qual toda a gente sabe ser uma criação da CIA (e que sabem as pessoas melhor informadas ser ainda hoje uma extensão de tal agência secreta ocidental).
Este tipo de atentados, ocorridos em solo europeu e supostamente feitos por cidadãos autóctones, têm obviamente o objectivo de criar a paranóia de que "qualquer pessoa pode ser um terrorista". Paranóia essa, que irá servir de pretexto para a criação de um (ainda maior) estado policial.
(Reparem em como a propaganda que visava mentalizar as pessoas para este novo fenómeno de ataques terroristas começou bem antes de terem ocorrido estes atentados, com muita gente na imprensa controlada - com estranhas capacidades de prever o futuro - a dizer que os elementos ocidentais do Estado Islâmico iriam efectuar ataques nos seus países de origem...)
Por isso, saiam à rua para aumentar o impacto mediático de tudo isto - nomeadamente, para mostrar aos muçulmanos, radicais e não só, que apoiam o desrespeito à sua religião e que são também alvos a abater nesta nova guerra terrorista em solo ocidental - e também para homenagear quem ofende pessoas de religiões diferentes - e façam de um grupo de "jornalistas" parvalhões, ao serviço do poder estabelecido, heróis da "liberdade" de desrespeitar e insultar o próximo, se quiserem. (Pois, eu é que não me solidarizo com tais agentes do sistema - que pagam o preço que muitos outros pagam, quando passam a ser mais úteis mortos do que vivos.)
Mas, se quiserem antes não fazer parte da propaganda e evitar a lavagem ao cérebro mediáticas, que estão em curso, e saber e espalhar a Verdade sobre estes atentados, podem começar a ler e a ouvir o que têm a dizer o jornalista Wayne Madsen e também as outras fontes que eu aqui tenho recomendado.

 

Viva o Respeito pelas diferentes crenças pessoais e religiosas.

Abaixo a construção do Estado Policial Europeu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu quero lá saber do governo

09.01.15

Um vídeo dedicado à funcionária dos correios que ontem implicou comigo, quando fui buscar uma encomenda, por ter o meu cartão de identidade expirado há uns bons meses.
"E, então?" - queria eu ter dito - "Acha que eu mudei de identidade, desde o ano passado?"
Anda o governo a lixar toda a gente e vem esta funcionária implicar comigo por desobedecer eu a esse mesmo governo? O mesmo governo que a lixou, privatizando a sua empresa?
Sim, não tenho o meu cartão de identidade actualizado. E andei também, na passada década, a resistir o máximo que pude a este novo "microchip do cidadão" (e à centralização dos meus dados, que isso implica) até que, para fazer um trabalho de voluntariado que queria mesmo fazer, lá tive de ser cadastrado nos registos do Estado. E, só quando tiver mesmo de ser, é que me irei cadastrar outra vez - tal como fiz também para o segundo "microchip do cidadão".
Também, ainda estou à espera de ser multado ou preso por não ter respondido à - imposta e violadora da minha privacidade - porcaria dos "Censos"!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 16:48

A RT no seu pior

26.12.14

Um miniconcerto de péssima música rock, com profanidades à mistura, intercalado por uma entrevista aos membros da banda em causa, na qual se tenta defender tais estilo de música criado pelo Instituto Tavistock e linguagem de baixo nível como algo de "progressista"...



Foi a segunda parte de uma recente edição do programa "Breaking the Set", com que me deparei, por acaso. Sendo que, o que vi, na altura, foi ainda "melhor" do que isto. Pois, ao mesmo tempo que o programa era emitido, era exibido no canto inferior direito um rectângulo que transmitia uma cobertura em directo das manifestações "Black Lives Matter", nos EUA.
(Manifestações estas, para mim, claramente organizadas pelo próprio poder estabelecido, para desviar a atenção da violência e estado policiais em si e tentar ridiculamente criar divisões raciais no país - sem que tenha havido indícios, nos casos reportados, de que o racismo é sequer um problema - ao mesmo tempo que, mais uma vez, se apontam as pessoas para formas de "luta" que não levam a lado nenhum e, através da violência instigada em tais protestos, se criam pretextos para um ainda maior estado policial.)
É este o tipo de coisas de que falo, quando digo nas entrelinhas que Abby Martin é, para mim, claramente o que se chama uma "gatekeeper" - que está constantemente a desviar a atenção dos contestatários à actual situação para as menos danosas críticas que se podem fazer e para os menos danosos críticos que existem.
(Um exemplo: ó para ela, recentemente a entrevistar e a promover o autor Nafeez Ahmed - que, embora seja uma pessoa muito bem informada sobre os atentados de 11 de Setembro e de 7 de Julho, nunca diz que se trataram estes de auto-atentados. E que, no início do documentário Zero até nem consegue esconder um sorriso furtivo, quando fala sobre o 11/9.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 15:32

Mudei-me, definitivamente, para o/a SAPO

07.11.14

sapo.png

Depois de uma precipitada mudança para um servidor russo, à procura de refúgio da censura e vigilância por parte da Google/NSA/CIA...
Venho informar os meus seguidores que, decidi antes assentar no serviço de alojamento de blogues da SAPO - e por aqui ficar, na esperança de que esteja aqui mais seguro, de intrusões de agentes norte-americanos na minha publicação.
Como tal, já corrigi a colocação onde anunciava eu a mudança de endereço do blogue. E, aproveito para acrescentar que, após tudo isto, irei também abandonar a última conta que ainda uso da Google - que é a conta que tenho no YouTube (no qual, para além dos vários episódios de censura, já pude observar também "estranhas ocorrências", num vídeo meunoutro de um activista britânico) - e irei, antes, passar a usar o serviço de partilha de vídeos também da SAPO.
Assim sendo, a minha actividade escrita, a começar por este blogue (e vamos aguardar para ver o que irá mais a SAPO oferecer, em termos de alojamento de páginas), a minha actividade de partilha de imagens, de vídeos e de ficheiros (alojados na "nuvem"), irá passar a ser toda feita em serviços pertencentes, ou ligados, à SAPO - e, como tal, alojados em servidores portugueses.
O serviço de blogues aqui, pode não ser tão completo quanto o da Blogger - em termos de personalização do aspecto das publicações - mas, tem também algumas vantagens - como permitir usar mais etiquetas nas colocações. E, irei tentar, dentro do possível, alterar aos poucos a apresentação da minha publicação, para a tornar o mais agradável possível de se ler. Mas, não prometo grande coisa, dadas as (muito) limitadas opções que tenho à minha disposição.
Também, outra coisa da qual vos quero, desde já, notificar é que: para um serviço que supostamente quer fazer a diferença de ser especificamente português... A linguagem, por norma, aqui utilizada, é de "ir aos arames"... "Tags" em vez de "etiquetas", "posts" em vez de "colocações", "links" em vez de "ligações", enfim...
Suponho que seja mais uma manifestação da falta de valores das novas gerações de gente acéfala e amoral, que não se preocupa em defender o que quer que seja - incluindo a sua própria cultura, que tão rica é (e que tanta pena mete que esteja a ser simplesmente ignorada e abandonada).

Vamos então às colocações finais, que ainda quero fazer...

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 12:55

Censura na Blogger (/Google/NSA) e mudança de sítio na Internet

22.10.14

(Ignorando alguns acontecimentos anteriores, que acho que não vale a pena aqui mencionar...)

Depois de (1) recentemente, ter uma colocação minha, neste blogue, sido escondida por algum tempo, após ter sido publicada, (2) ter eu, hoje - enquanto recebia uma série de mensagens de notificação de que a minha sessão tinha sido terminada a partir de um outro local - não conseguido, repetidamente, usar a minha conta na Blogger e (3) ter eu - após esta contínua série de mensagens de erro - visto o conteúdo da minha próxima colocação ser apagado, "em directo"...
Venho comunicar aos meus seguidores que, fartei-me destas "estranhas ocorrências", na minha conta na Blogger - e que, por isso, irei abandonar a mesma.
E, assim sendo, venho também comunicar-vos que criei uma nova conta, num outro serviço de alojamento de blogues na Internet, não estadunidense - e que será nessa nova conta que irei continuar a fazer as minhas colocações.
O novo endereço do meu blogue (para o qual já pude copiar a maior parte do conteúdo por mim publicado) é então:

blackfernando.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os "anarco-capitalistas" também não são vossos amigos

11.06.14

Mais um comentário meu que foi censurado num sítio "anarco-capitalista", onde escreve alguém que foi entrevistado/a pelo jornalista James Corbett (que, ultimamente, muito tem andado a falar sobre "anarco-coisas") mas que, até agora, não foi apagado na correspondente página do vídeo em causa, no YouTube.

[Editado a 03/12/2016: Mais de dois anos depois de ter eu feito esta colocação - e, apesar de ter eu confirmado que o meu comentário não tinha aparecido, quando fiz a colocação, e ter eu também algumas semanas depois voltado a confirmar isto mesmo - constatei que o meu comentário agora já aparece. Podendo isto ter sido o resultado, (1) ou de o mesmo ter ido parar à caixa de "Spam" e ter depois sido descoberto, (2) ou de ter o mesmo sido convenientemente escondido, até uma altura em que já quase ninguém fosse consultar tal página e comentários lá deixados... De qualquer modo, a essência desta minha colocação, no meu blogue, mantém-se.]

(As declarações em causa, de Webster Tarpley, sobre este movimento, podem ser ouvidas <aqui>.)

Como podem constatar, Tarpley pode não acertar em todas... (Coisa que nunca vi, até hoje, algum autor fazer - incluindo eu próprio.) Mas, ainda assim, é uma excelente fonte de informação, para quem quiser compreender toda esta história da Nova Ordem Mundial.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Oblivion

08.04.14

Uma coisa é certa... Que é que, tal como descreve um aparente membro de um dos altos patamares (ocultos) desta sociedade, o Futuro para nós planeado não precisa de tantos seres humanos no Planeta - pois, a robótica, a inteligência artificial e outros avanços poderão substituir os seres humanos em muitas das actividades previstas. (Sendo, aliás, já conhecidos os planos de redução populacional dos bilderbergers e afins.)
Mas, desengane-se quem (tal como é o caso de Alex Jones, relativamente a esta e outras obras cinematográficas e afins) pense que este tipo de obras audiovisuais são, de algum modo, "anti-sistema" e que visam alertar as pessoas, dizendo também a estas que é sempre possível mudar o estado em que se encontra o Mundo em que vivem...
Pois, caso a ditadura resultante da mistura de todas estas antevisões se instale, será já demasiado tarde para mudar as coisas.
E os que são, na prática, impossíveis "golpes de sorte", com que se resolvem, no fim, todos os problemas existentes neste tipo de sociedades distópicas descritas, neste tipo de argumentos (como é o caso de outros filmes, como The Island e Equilibrium) são, quase certamente, tentativas de convencer inconscientemente as pessoas da não urgência de impedir as coisas de piorarem a tal ponto semelhante ao que é descrito.
(Pois, certamente, "tal como naquele filme que elas viram, ainda que fiquem as coisas muito más, haverá sempre uma maneira de dar a volta a tudo, assim que uma sociedade distópica, semelhante àquela descrita naquele filme que viram, se instale".)

http://perguntasinofensivas.blogspot.pt/2014/02/substituicao-da-calcada-portuguesa-em.html?showComment=1394658025339#c799262400537978795

Autoria e outros dados (tags, etc)

Algumas considerações sobre o actual sistema de ensino

20.07.13

(Chegadas as férias escolares para muitos, aqui fica, talvez, um estímulo, para uma muito importante reflexão a ser feita - quer por educandos, quer por educadores - do que se faz a crianças e a jovens em todo o Mundo...)

Deixo aqui <esta> introdução e também <esta> (nas quais se incluem várias hiperligações que poderão explorar) seguidas de um discurso - muito agradável de se ouvir - da parte de quem é capaz de entender - ou de (tal como o autor deste blogue, há uns bons anos, demonstrava no que escrevia) se aperceber - enquanto vítima do mesmo, do processo de estupidificação e domesticação de que é alvo - para ver se, com isto, algumas luzes se acendem nas cabeças dos mais críticos e atentos à realidade à sua volta...

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 03:20

Caso Snowden

15.06.13

Tal como no caso da organização WikiLeaks, parece que não sou o único a quem tudo isto desperta algumas suspeitas... (As quais, no caso da WikiLeaks, se vieram depois a confirmar.)
E, encontrei hoje um texto, escrito por uma muito boa autora que conheço - e de que, maioritariamente, gosto - em que esta lista ainda mais motivos, para além dos que eu próprio já tinha, para suspeitar de toda esta (tão publicitada) história...
Da minha parte, faço já os acrescentos que tenho a fazer à lista que, a seguir, republico.

i) Quem está a chamar a atenção para o caso Snowden? (A imprensa controlada. E, desde quando é que a imprensa controlada funciona de modo prejudicial aos interesses que serve?)
 

j) Quem revelou todo este caso? (A imprensa controlada. E, caso fosse este um assunto verdadeiramente incómodo para o poder estabelecido, não teria esta avisado os seus amos, de modo a que não pudesse este suposto agente falar e a que nunca ninguém soubesse deste caso?)
 

k) Sendo o objectivo final um Estado Policial, terá de haver uma altura em que este se tenha de assumir como tal e em que não possa mais esconder a sua verdadeira natureza. E, para que chegue essa altura, terá de haver uma inicial em que este mesmo se comece a revelar publicamente. Assim sendo, o a que poderemos estar a assistir é, então, ao início dessa mesma revelação pública. (Que, aliás, nem é nenhuma verdadeira revelação, para quem é inteligente e está bem informado, através da imprensa alternativa, que tem vindo a denunciar casos tão graves, ou ainda piores, que não têm sido sequer divulgados pela imprensa controlada...)

Naomi Wolf: My Creeping Concern That The NSA Leaker Is Not Who He Purports To Be

June 15th, 2013

I’m still waiting for Snowden to release something, anything, that hasn’t been intuitively obvious to me for at least the past 15 years, and confirmed as fact since 2006/7 (Klein/Room641A).

If Snowden is the real deal, why are we having to contend with the corporate media censors to decide which sections of the documents we get to see and which ones we don’t?

Snowden, if you’re out there, what happens to the encrypted emails that come across the wire? Or, how does NSA run man in the middle attacks on SSL sessions? (Don’t hold your breath waiting for answers to these questions.)

Anyway, this spectacle is far from over. I’d suggest keeping your dial set somewhere between outright cynicism and ambivalence going forward.

Via: Facebook / Naomi Wolf:

I hate to do this but I feel obligated to share, as the story unfolds, my creeping concern that the NSA leaker is not who he purports to be, and that the motivations involved in the story may be more complex than they appear to be. This is in no way to detract from the great courage of Glenn Greenwald in reporting the story, and the gutsiness of the Guardian in showcasing this kind of reporting, which is a service to America that US media is not performing at all. It is just to raise some cautions as the story unfolds, and to raise some questions about how it is unfolding, based on my experience with high-level political messaging.

Some of Snowden’s emphases seem to serve an intelligence/police state objective, rather than to challenge them.

a) He is super-organized, for a whistleblower, in terms of what candidates, the White House, the State Dept. et al call ‘message discipline.’ He insisted on publishing a power point in the newspapers that ran his initial revelations. I gather that he arranged for a talented filmmaker to shoot the Greenwald interview. These two steps — which are evidence of great media training, really ‘PR 101? — are virtually never done (to my great distress) by other whistleblowers, or by progressive activists involved in breaking news, or by real courageous people who are under stress and getting the word out. They are always done, though, by high-level political surrogates.

b) In the Greenwald video interview, I was concerned about the way Snowden conveys his message. He is not struggling for words, or thinking hard, as even bright, articulate whistleblowers under stress will do. Rather he appears to be transmitting whole paragraphs smoothly, without stumbling. To me this reads as someone who has learned his talking points — again the way that political campaigns train surrogates to transmit talking points.

c) He keeps saying things like, “If you are a journalist and they think you are the transmission point of this info, they will certainly kill you.” Or: “I fully expect to be prosecuted under the Espionage Act.” He also keeps stressing what he will lose: his $200,000 salary, his girlfriend, his house in Hawaii. These are the kinds of messages that the police state would LIKE journalists to take away; a real whistleblower also does not put out potential legal penalties as options, and almost always by this point has a lawyer by his/her side who would PROHIBIT him/her from saying, ‘come get me under the Espionage Act.” Finally in my experience, real whistleblowers are completely focused on their act of public service and trying to manage the jeopardy to themselves and their loved ones; they don’t tend ever to call attention to their own self-sacrifice. That is why they are heroes, among other reasons. But a police state would like us all to think about everything we would lose by standing up against it.

d) It is actually in the Police State’s interest to let everyone know that everything you write or say everywhere is being surveilled, and that awful things happen to people who challenge this. Which is why I am not surprised that now he is on UK no-fly lists – I assume the end of this story is that we will all have a lesson in terrible things that happen to whistleblowers. That could be because he is a real guy who gets in trouble; but it would be as useful to the police state if he is a fake guy who gets in ‘trouble.’

e) In stories that intelligence services are advancing (I would call the prostitutes-with-the-secret-service such a story), there are great sexy or sex-related mediagenic visuals that keep being dropped in, to keep media focus on the issue. That very pretty pole-dancing Facebooking girlfriend who appeared for, well, no reason in the media coverage…and who keeps leaking commentary, so her picture can be recycled in the press…really, she happens to pole-dance? Dan Ellsberg’s wife was and is very beautiful and doubtless a good dancer but somehow she took a statelier role as his news story unfolded…

f) Snowden is in Hong Kong, which has close ties to the UK, which has done the US’s bidding with other famous leakers such as Assange. So really there are MANY other countries that he would be less likely to be handed over from…

g) Media reports said he had vanished at one point to ‘an undisclosed location’ or ‘a safe house.’ Come on. There is no such thing. Unless you are with the one organization that can still get off the surveillance grid, because that org created it.

h) I was at dinner last night to celebrate the brave and heroic Michael Ratner of the Center for Constitutional Rights. Several of Assange’s also brave and talented legal team were there, and I remembered them from when I had met with Assange. These attorneys are present at every moment when Assange meets the press — when I met with him off the record last Fall in the Ecuadoran embassy, his counsel was present the whole time, listening and stepping in when necessary.

Seeing these diligent attentive free-speech attorneys for another whisleblower reinforced my growing anxiety: WHERE IS SNOWDEN’S LAWYER as the world’s media meet with him? A whistleblower talking to media has his/her counsel advising him/her at all times, if not actually being present at the interview, because anything he/she says can affect the legal danger the whistleblower may be in . It is very, very odd to me that a lawyer has not appeared, to my knowledge, to stand at Snowden’s side and keep him from further jeopardy in interviews.

Again I hate to cast any skepticism on what seems to be a great story of a brave spy coming in from the cold in the service of American freedom. And I would never raise such questions in public if I had not been told by a very senior official in the intelligence world that indeed, there are some news stories that they create and drive — even in America (where propagandizing Americans is now legal). But do consider that in Eastern Germany, for instance, it was the fear of a machine of surveillance that people believed watched them at all times — rather than the machine itself — that drove compliance and passivity. From the standpoint of the police state and its interests — why have a giant Big Brother apparatus spying on us at all times — unless we know about it?

Naomi

Autoria e outros dados (tags, etc)

Democídio e morte lenta

22.05.13

(Quem quiser ver apenas a parte séria, e de muito interesse, pode saltar logo para a marca dos 5m e 48s.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 00:01