Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Google irá rotular a imprensa alternativa como não credível

08.06.17

google-cia.jpg

 

Não é que a manipulação (verdadeiramente dita) de resultados não seja algo já praticado por este motor de busca. Pois, quem tiver por hábito procurar informar-se sobre factos que são reportados pela imprensa alternativa, já deverá ter observado que os primeiros resultados são por norma, cada vez mais, de sítios cuja credibilidade é verdadeiramente questionável.
Ou seja, cada vez mais, o que acontece é que, se vai uma pessoa usar este motor de busca para se informar sobre factos reportados pela imprensa alternativa, a não ser que use a opção "site:x" (para, deste modo, ter como alvo sítios que já saiba serem credíveis), os resultados que são mais exibidos (isto é, os que aparecem nas primeiras páginas de resultados) são os de sítios na Internet que, até pelo nome dos mesmos, dá para ver que não são credíveis - ou que são até mesmo ridículos - ficando, consequentemente, um ignorante nestes assuntos, que vá pela primeira vez tentar averiguar algum facto não reportado pelos média de massas, com a ideia de que quem anda a escrever (mais extensivamente) sobre aquele assunto estranho de que ouviu falar são mas é uma cambada de "teóricos da conspiração".
(Sendo que, embora não admitindo esta companhia que o tem vindo já a fazer, temos <aqui> a mesma a admitir recentemente que vai começar a fazê-lo.)
Assim como, quem use frequentemente este motor de busca em localidades/computadores diferentes, já poderá ter reparado que, não só as sugestões que aparecerem são dependentes do que andou a pessoa anteriormente a pesquisar sobre, como os próprios resultados são diferentes, consoante o endereço IP que está a ser usado (e têm também <aqui> uma admissão de que é isso mesmo que acontece). Sendo esta a razão pela qual, quando queremos alertar alguém sobre algo, convém sempre providenciar hiperligações específicas - e não apenas dizer a tal pessoa que use certos termos de pesquisa neste conhecido motor de busca.
Mas, se este tipo de manipulação (por parte de um motor de busca com ligações à CIA e à NSA) não parece ser suficiente para manter as pessoas desinformadas - escondendo delas as hiperligações mais relevantes - eis que - no decorrer do pânico que se está a instalar entre o poder estabelecido, causado pela crescente quantidade de pessoas que tem vindo a prestar mais atenção à imprensa alternativa (e da subsequente campanha de difamação desta última imprensa, apelidando-a de emissora de "notícias falsas") - tivemos uma nova evolução...
A rotulação, pura e dura, de sítios de notícias na Internet, que tenta dizer que alguns dos sítios que são alvo desta rotulação não são de confiança(!) (semelhante ao que já começa a ser feito pela Amazon com certos livros mais incómodos).
E, têm <aqui> um artigo que explica o que irá, no futuro próximo, começar a observar-se neste muito conhecido motor de busca.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 22:39

Quase 60 estudos científicos "revistos por pares", publicados este ano, demonstraram que não há aquecimento global antropogénico

06.06.17

‘Global Warming’ Is a Myth, Say 58 Scientific Papers in 2017

[Breitbart] by James Delingpole - 6 Jun 2017

“Global warming” is a myth — so say 80 graphs from 58 peer-reviewed scientific papers published in 2017.

In other words, the so-called “Consensus” on global warming is a massive lie. And Donald Trump was quite right to quit the Paris agreement which pretended that the massive lie was true.

By “global warming” these papers don’t, of course, mean the mild warming of around 0.8 degrees Celsius that the planet has experienced since the middle of the 19th century as the world crawled out of the Little Ice Age. Pretty much everyone, alarmists and skeptics alike, is agreed on that.

Rather, they mean “global warming” in the sense that is most commonly used today by grant-troughing scientists, and huxter politicians, and scaremongering green activists, and brainwashed mainstream media (MSM) environmental correspondents. “Global warming” as in the scary, historically unprecedented, primarily man-made phenomenon which we must address urgently before the icecaps melt and the Pacific islands disappear beneath the waves and all the baby polar bears drown.

What all these papers argue in their different ways is that the alarmist version of global warming — aka Catastrophic Anthropogenic Global Warming (CAGW) — is a fake artefact.

That is, all these different experts from around the world — China, Russia, Canada, the U.S., Italy, etc. — have been looking closely at different aspects of the global warming puzzle in various regions and on different timescales and come to the conclusion in irreproachable, peer-reviewed scientific ways that there is no evidence to support the global warming scare story.

Late 20th century and early 21st century global warming, they show, is neither dramatic, nor unusual, nor scary.

Here, as collated by Kenneth Richard at No Tricks Zone, are just some of the charts to prove it.

Büntgen et al, below, shows that temperatures in the northern hemisphere were warmer in the early 1400s than they are today.

Holocene-Cooling-Northern-Hemisphere-Temps-Büntge


Abrantes et al (below) confirms the traditional view — which Michael Mann tried to dismiss with his discredited Hockey Stick chart — that the Medieval Warming Period was warmer than anything we have experienced in our own era.

Holocene-Cooling-Northern-Hemisphere-Abrantes-17-1


Here’s one from Li et al showing that China was much warmer 8,000 years ago:

Holocene-Cooling-China-East-Yangtze-Region-Li-2017


Here’s an unusual one from Guillet et al suggesting that there’s nothing new about wildly early or late grape harvests through the centuries:

Holocene-Cooling-France-Grape-Harvest-Date-Guillet


And on and on it goes — there are 80 graphs in all, each showing in its different way why the scare about global warming has been horribly overdone because the evidence just doesn’t support its being unusual or a problem. Several of the papers note that the primary influence on warming appears to be solar activity. Few, if any, entertain the notion that carbon dioxide levels have much to do with it.

The intellectually corrupt and mendacious alarmist science establishment — I’m thinking, for example, of my personal bete noir, the left-wing political activist and Nobel-prizewinning geneticist Sir Paul Nurse, former president of the Royal Society — would have us believe that climate skepticism is a minority activity, the preserve of a few cranks, championed only by people who don’t do the science. But this is just ugly propaganda.

Here are dozens of reputable scientists from around the world with no axe to grind collaborating on studies which all corroborate, independently and rigorously, the increasingly respectable view that “man-made global warming” just isn’t a thing.

Not that it ever was a thing, really. This debate — as I argue at some length in Watermelons — was always about left-wing ideology, quasi-religious hysteria, and “follow the money” corruption, never about “science.”

Still, it’s always a comfort to know that “the science” is on our side too.

They do so hate that fact, the Greenies.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 23:27

Estou (mais ou menos) no Twitter

31.05.17

twitter-censorship.jpg

Por norma, não uso eu (o que chamo de) serviços e redes "controlados", devido aos repetidos actos de censura de que fui alvo, no passado.
Contudo (e visto que - apesar de tal também acontecer aos muito poucos autores que neste serviço Twitter vou seguindo - [1] [2] [3] [4] - não deixam tais autores de usar tal rede controlada) vejo-me forçado a usar uma conta nesta mesma rede para estar a par do que dizem, de interessante, algumas poucas pessoas...
E, visto que o que dizem estas é, não só interessante, como por vezes importante - dado o que também eu sei sobre alguns dos assuntos que são mencionados e que penso que é, por vezes, importante acrescentar - não consigo resistir a, por vezes, fazer algumas colocações próprias nesta rede, em resposta às que foram feitas por estas pessoas que sigo.
E, assim sendo, venho só dizer-vos que, se quiserem estar a par do que, nestas circunstâncias, vou eu por vezes dizendo nesta rede controlada, podem espreitar, de vez em quando, a minha conta na mesma - mais propriamente, a secção de "Tweets e respostas".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alegado bombista de Manchester é filho de um membro de grupo apoiado (apenas no passado?) pelos serviços secretos britânicos

29.05.17

abedi.jpg

 

(O grupo em causa, pertencente à al-Qaeda, é o cuja história é descrita <nesta> página da Wikipedia. E, no final desta colocação que estou a fazer, têm uma palestra do abaixo referido ex-espião do MI5, David Shayler, a contar o que sabia sobre este apoio.)

 

Blowback? Manchester bomber linked to terrorist group which UK allegedly backed

[RT] Published time: 25 May, 2017 12:24

Manchester suicide bomber Salman Abedi and his father, Ramadan, had long-standing links to a violent jihadist group which may have had British backing for the 2011 Libyan war and a 1996 attempt to kill then-Libyan leader Muammar Gaddafi.

The controversy centers on the role of the Libyan Islamic Fighting Group (LIFG), which was both an anti-Gaddafi and Al-Qaeda subsidiary in the North African state.

Many of the fighters which formed the group in the mid-90s were veterans of the Afghan-Soviet war from the 1980s. They went on to fight the Gaddafi regime in Libya itself.

The war saw the overthrow of the Gaddafi regime and the eventual murder of the leader himself after he was captured by opposition fighters. Since NATO’s intervention, Libya has been in chaos.

It has descended into a protracted civil war, is a major contributor to the international refugee crisis, has its own branch of Islamic State (IS, formerly ISIS/ISIL), and two opposing governments.

The elder Abedi was reportedly one of the LIFG fighters who fled Gaddafi’s response to the rebels, settling in London and, later, in Manchester.

The area of Manchester in which Salman Abedi grew up was home to a number of other LIFG members, including former senior commanders including Abd al-Baset Azzouz, who left Manchester to go to Libya and run a 200-300-strong militant network for Osama Bin Laden’s successor, Ayman al-Zawahiri. Azzouz is reported to be an expert bomb-maker.

In 2002, former MI[5] agent and whistleblower David Shayler accused the British spy agency of colluding with the jihadist group in a failed 1996 effort to kill Gaddafi, an allegation the British government strenuously denies.

Allegations have also emerged that in 2011, the UK may have relaxed restrictions on LIFG fighters based in the UK and helped them return to Libya to fight Gaddafi.

The UK was at that time engaged in fighting Gaddafi as part of a US-led NATO coalition. Former fighters interviewed by the Middle East Eye said that the UK actively supported the return of anti-Gaddafi dissidents, including those with Al-Qaeda links, to the North African state.

One fighter who spoke to the Middle East Eye said he had been interviewed by an MI5 agent who asked if he was “willing to go into battle?”

“While I took time to find an answer he turned and told me the British government have no problem with people fighting against Gaddafi,” the fighter said.

Others reported that when the war in Libya began, they looked into how to get fake documents, because their passports had been removed as part of restrictive control orders placed on them by the UK government.

One said that within days, the authorities had returned their passports, after which they headed straight to Libya to take on Gaddafi.

At the time of the war, current UK Prime Minister Theresa May was Home Secretary, with oversight of MI5 operations. It is not clear if she was aware of the decision to relax restrictions of jihadists and return their travel documents.

 

*

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Daniel Estulin poderá (/deverá) ter mesmo razão, quando fala de uma "guerra interna" que estalou entre as elites da NOM

27.05.17

(Para quem o que é dito <nesta> entrevista recente possa causar muitas dúvidas, deixo aqui o seguinte artigo, publicado uma semana antes do referendo do Brexit - onde é exposta a quantidade de notícias que, na imprensa britânica, foram emitidas contra e a favor desta saída da UE...)

 

remain-leave.png

"Hard Evidence: analysis shows extent of press bias towards Brexit"

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 14:27

Estado Livre de Jones

25.05.17

jones.jpg

Um (mesmo) muito bom filme, que tem andado a passar nos canais de cinema TVCine (que estão disponíveis na televisão por cabo), relativamente ao qual deixo apenas um cartaz, por serem os seus trechos de promoção de vídeo demasiado reveladores.
O filme é baseado num episódio verídico que ocorreu durante a Guerra Civil Americana. Sendo que, o seu grande interesse - e também o que faz deste um episódio de grande importância - é o facto de ser uma muito boa demonstração prática de uma das razões de ser da Segunda Emenda à Constituição dos Estados Unidos da América, ímpar entre as várias Constituições existentes no Mundo, que permite aos cidadãos deste país se defenderem do próprio governo, quando este se torne tirânico.

(Um filme também bem realizado, com uma bela fotografia, protagonizado por bons actores e com tudo mais que se pode esperar de uma grande produção de Hollywood...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 18:20

Descubra o número oculto...

24.05.17

hidden_number.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 14:50

Mais uma prova da (crescente) sexualização das crianças, à qual todos os pais que se preocupem com os filhos devem estar atentos

23.05.17

shinchan.png

 

(Têm mais informação sobre este fenómeno e também outros exemplos do mesmo, <nesta> minha anterior colocação e nos seus respectivos comentários. E, para saberem mais sobre a natureza destas e outras componentes nocivas, que estão agora repetidamente presentes na moderna "cultura popular" infantil, juvenil e não só - assim como, a razão de ser das mesmas - podem ler o livro do Daniel Estulin, para o qual aqui já chamei a atenção.)

 

Série do canal Panda Biggs considerada imprópria para crianças

Por ZAP - 16 Maio, 2017

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) considerou a série Shin Chan, que é exibida no canal Panda Biggs, pouco adequada para crianças mais novas e determinou que só poderá ser transmitida depois das 22h30.

deliberação surgiu depois de o regulador ter recebido, entre 6 de dezembro de 2016 a 24 de janeiro deste ano, 105 queixas de vários organismos e espectadores, contra um episódio destes desenhos animados japoneses.

O Instituto de Apoio à Criança, a Ordem dos Enfermeiros, o Projeto Criar e a Secretaria-Geral do Ministério da Saúde foram algumas das entidades que manifestaram preocupação com o capítulo em questão, afirmando que o mesmo poderia evocar atos de pornografia ou até pedofilia.

“Duas personagens vestidas como enfermeiras, no âmbito de uma unidade de saúde, realizam um exame ao ânus da criança de cinco anos, que passa por penetração com os dedos e sugestão de penetração com objetos, acompanhado de comentários sobre a alegada perfeição do ânus e imagens e sons de sofrimento da mesma criança”, destacou a Ordem dos Enfermeiros.

O Panda Biggs acabou por se defender e afirmou que, naquele episódio, “o pai de Shin Chan é submetido a uma operação às hemorroidas e está muito queixoso, enquanto que o filho está sempre a fazer traquinices e a gozar com ele. O Shin Chan andava pela clínica a mostrar o rabinho a toda a gente, por isso a médica aproveitou o momento para analisar o rabo do rapaz”.

“O propósito da cena é submeter o Shin Chan ao mesmo tipo de análise que é realizada na clínica, a qual, não sendo agradável, serve de lição por causa das suas traquinices“, acrescentou fonte do canal temático infantil.

[Não vou colocar aqui o vídeo que estava embebido neste artigo. E, quem quiser vê-lo, que clique na hiperligação para a notícia original, que está no título desta citação que estou a fazer.]

Em resposta às queixas, a ERC emitiu um despacho no qual clarificava que a série Shin-chan não contem qualquer ato de pornografia ou pedofilia, mas determinou que a série só pode ser transmitida em Portugal a partir das 22:30.

“Não se poderá considerar que a cena em causa consista em abuso sexual ou pedofilia. No entanto, após a visualização da cena num contexto descontraído e humorístico de desenho animado, as crianças podem ser levadas a não encontrar diferenças relativamente a outros atos que, sendo aparentemente semelhantes, revestem-se das maiores diferenças, consistindo no abuso sexual de um menor”, destacou o regulador.

Os desenhos animados que estão a gerar polémica falam sobre o quotidiano de um rapaz japonês, Shinnosuke Nohara, que tem “um comportamento totalmente anormal” e é considerado um “mau exemplo” para crianças.

A série é considerada uma das mais longas do mundo, com mais de 2000 episódios traduzidos em mais de 30 línguas, e é constantemente uma das séries de anime com maior audiência no Japão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Flúor: Veneno na Torneira

21.05.17

(Não sendo a presença desta substância tóxica na rede pública de abastecimento de água uma realidade no nosso país, em particular, este documentário não deixa de ser interessante, no que toca a denunciar a verdadeira natureza desta substância - que é colocada em pastas de dentes, à venda no nosso país - e a origem, que muitos desconhecem, deste veneno.)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 11:46