Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


E, mais uma vez, censurado pela Blogger

10.07.17

(É por estas e por outras é que abandonei eu tal serviço e me mudei para o SAPO...)
O seguinte, é um comentário que (foi feito de modo apressado e sem grande paciência, mas que, ainda assim) foi repetidamente censurado - [1] [2] [3] - que tentei deixar num recém-criado blogue do mesmo autor da (relativamente conhecida) conta no Twitter "Crimes of Britain", em que se propõe tal autor a denunciar o que chama o "conluio" que existe entre o governo britânico e alguns grupos terroristas a operar em países muçulmanos.
Para melhores esclarecimentos (mais cuidados e elaborados) sobre os assuntos de que a seguir falo, deixo também aqui as seguintes hiperligações - [1] [2] [3] - para colocações minhas anteriores.

 

Fernando Negro 30 June 2017 at 05:29

It's not "collusion" that we're talking about... It's "creation" and "command & control".

The name "al-Qaeda" means "the Base" - and, it comes from the computer/IT term "database" (http://www.globalresearch.ca/al-qaeda-the-database-2/24738). This supposed organization is actually just a list/"database" of Muslim fanatics who are, unknowingly, being used by Western (i.e. UK + USA) intelligence agencies - including on Western soil. And, as even the official History admits, "al-Qaeda" is a creation of the CIA.

Former MP Robin Cook called people's attention to the origin of such supposed organization (https://www.theguardian.com/uk/2005/jul/08/july7.development) a day after the 7/7 terrorist attacks, and appeared dead less than a month afterwards.

The recent change, in name, from "al-Qaeda" to "ISIS", most probably came as a result of the (at the time, increasingly) apparent contradiction, that was becoming too noticeable or obvious, that such supposed organization was actually being supported by the West (for example, in Lybia: http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/africaandindianocean/libya/8391632/Libya-the-West-and-al-Qaeda-on-the-same-side.html) while, at the same time, it was, supposedly, its enemy nº 1.

(And, even if you consider ISIS to be a separate organization from al-Qaeda - which is not, since that, its members are the same: http://tarpley.net/isis-same-fanatics-nato-armed-in-libya-and-syria/ - again, there are also proofs of a Western hand behind the appearance of such supposed organization: http://www.wnd.com/2014/06/officials-u-s-trained-isis-at-secret-base-in-jordan/)

Al-Qaeda/ISIS is just a tool of British and American intelligence agencies, that serves a variety of purposes. And, when it comes to terrorist attacks on Western soil, its purpose is (1) to create a pretext to invade countries in the Middle East, that are rich in natural resources, and (2) to create a pretext for a Police State in the West (in which the ruling elites, who ultimately give orders to our governments, can better control the ignorant masses).

Notice, for example, how the most important terrorist attacks on Western soil (the ones that cause more victims, and require serious planning) always happen on days or months 7, 11 and 22 (i.e. dates with Masonic numbers).

Please, take a look at the following great lecture, given in 2002, by Prof. Michel Chossudovsky, editor of the well-known "Centre for Research on Globalization" (GlobalResearch.ca), for an introduction to what I'm talking about.



And, please also take a look at the following sources, for more information about this: https://www.infowars.com/https://twitter.com/EstulinDanielhttp://www.globalresearch.ca/https://www.corbettreport.com/http://tarpley.net/http://www.voltairenet.org/enhttp://www.larouchepub.com/ + http://www.tenc.net/

With all due respect, to know what you're (really) talking about, you should first do some serious reading of the above-mentioned sources... Otherwise, you'll just write tons and tons of wrong/incorrect analysis of what's (really) going on - and you'll possibly only realize some years from now how wrong/incorrect you were about this particular subject.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 17:32

O mais estúpido (e também explícito) exemplo da, já por si, muito estúpida propaganda "anarco-capitalista", com que já me deparei

08.07.17

De um algo conhecido defensor desta ideologia (a qual, como eu já aqui denunciei, é quase certamente uma criação do próprio sistema - e cuja aplicação prática da mesma consiste, quase invariavelmente, em não fazer nada quanto ao status quo e deixar que as multinacionais que dominam a nossa Economia finalizem a sua obtenção do controlo total da sociedade em que vivemos) deixo aqui (1) um excerto de um livrete escrito por este apologista (ex-militar, que participou na infame Batalha de Faluja e que agora nos quer convencer de que é "anti-sistema") e (2) um excerto de uma entrevista ao mesmo. (A ênfase no seguinte texto foi por mim adicionada.)

 

«The compassion of a truly happy person will say, “How could I possibly not share my joy and let some poor victimizer continue in the misery of oppressing others?” Only a mental slave will hate their oppressors. A free mind will pity them, and seek to share joy with those who are deficient in love. We should not “fight” oppression, or “struggle” for liberation, but rather empower those who have succumbed to mental slavery.»
--- http://thefreedomline.com/freedom-full-text/

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 14:16

A razão pela qual as próximas décadas vão ser mesmo muito más

06.07.17

georgia_guidestones.png

Um comentário que deixei num sítio na Internet sobre as novidades no campo da informática e também sobre novas tecnologias, que veio no seguimento de uma colocação que foi feita sobre a energia de fusão - no final da qual o autor perguntava às pessoas se achavam que iríamos ter este tipo de energia já disponível daqui a pouco mais de uma década.
Quem quiser, pode também consultar os restantes comentários à colocação em causa, para mais explicações, que eu lá deixei, sobre o que se passa em torno de tudo isto.

 

Fernando Negro 4 de Julho de 2017 às 16:07

«Um pouco de pressão e uma competição saudável seria o necessário para ter a motivação suficiente para que este prazo se cumpra.»

Mentira. A fusão nuclear já podia até ser uma realidade, não fosse o constante subfinanciamento consciente de projectos governamentais no Ocidente – e o encerramento dos mesmos, quando estes têm sucesso (https://www.youtube.com/watch?v=Wbtj29ERG-Y).

A fusão nuclear está a ser propositadamente adiada pelas mesmas pessoas que andam a propagandear a mentira do “aquecimento global” antropogénico (https://www.youtube.com/watch?v=bSAgCFLgaVI). E, o objectivo de ambas as acções é reduzir a população mundial para números que sejam mais fáceis de controlar (https://larouchepac.com/green-fascism).

Se os países BRICS (que não fazem parte deste conluio) tiverem possibilidades de investir dinheiro suficiente no projecto ITER (https://www.rt.com/shows/technology-update/new-energy-unlimited-power-710/), poderemos ter a fusão nuclear mais cedo. Caso contrário, só quando se acabar de destruir a sociedade que temos, para dar lugar à pretendida pelas elites ocidentais, é que irá aparecer a energia de fusão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 12:11

Portugal é o 2º país da Europa com maior percentagem de borregos

04.07.17

sheep.jpg

 

Portugal é o segundo país da Europa onde mais se confia nas notícias

[BOM DIA] Quinta-feira, 22 de junho de 2017, às 09:49

Portugal é o segundo país europeu onde mais se confia nas notícias, a seguir à Finlândia, apresentando uma percentagem de confiança a rondar os 58%, revela um estudo divulgado esta quinta-feira.

De acordo com o Digital News Report 2017, realizado pelo Reuters Institute for the Study of Journalism, a confiança nos media varia de forma significativa nos 36 países analisados, sendo a Finlândia o país onde a confiança atinge a percentagem mais elevada (62%), enquanto a Grécia e a Coreia do Sul são os países com o nível de confiança mais baixo (23%).

A confiança desce sete pontos percentuais, para 43%, desde o referendo do ‘Brexit’.

Quase um terço da amostra (29%) afirma que evita as notícias frequentemente ou por vezes e destes, quase metade (44%) diz fazê-lo porque as notícias têm um efeito negativo no seu humor e um terço (33%) diz que não confia na veracidade das notícias.

O estudo revela ainda que em Portugal, as três marcas offline mais usadas como fonte de notícias são a SIC, a TVI e a RTP, enquanto no online as mais citadas são o Notícias ao Minuto, o Sapo e a SIC Notícias.

O relatório traça também o perfil de tendência política dos respondentes relacionando-o com os órgãos de comunicação social, concluindo, por exemplo, que o Diário de Notícias é mais lido por pessoas com tendência ideológica mais de esquerda, enquanto o Observador é mais lido por pessoas com tendência mais de direita.

O relatório, baseado num inquérito online a 70 mil pessoas, em 36 países, sublinha que mais de metade dos respondentes (54%) utilizam as redes sociais como fonte de notícias, mas salienta um declínio no uso do Facebook nalguns países onde aumentou a popularidade das “apps de messaging”.

Relativamente ao papel das redes sociais, apenas um quarto (24%) acreditam que as redes sociais fazem um bom trabalho na separação dos factos da ficção, comparando com os 40% que acham que os media fazem um bom trabalho.

Em países como os Estados Unidos, a probabilidade de alguém acreditar mais nos media é duas vezes superior (20%/38%) e a Grécia surge como o único país onde as pessoa acreditam num melhor trabalho das redes sociais, porque a confiança nos órgãos de comunicação social é muito baixa (28%/19%).

O estudo conclui também que as plataformas estão a evoluir, graças ao aumento das aplicações e dos smartphones, tornando-se uma forma predominante de aceder às notícias.

De uma maneira geral, os alertas de notícias nos telemóveis estão a transformar-se numa das formas mais importantes de descobrir notícias, com a Suécia, os Estados Unidos (EUA) e a Coreia do Sul a mostrar um grande aumento na percentagem de pessoas que acedem às notícias desta forma.

O relatório refere que vários órgãos de comunicação social procuram atingir receitas online sustentáveis, assistindo-se a um aumento considerável de pessoas disponíveis para pagar por notícias online nos EUA, com um crescimento dos 9% para os 16%.

No entanto, entre todos os países, apenas um em cada dez paga por notícias online, sendo que esta é uma tendência mais predominante nos países nórdicos, como a Noruega (26%) e a Suécia (20%).

Mais de metade dos utilizadores de internet dos 36 países (54%) afirmam que usam as redes sociais como uma fonte de notícias, a cada semana, mas isso varia entre os 76% no Chile e os 29% no Japão e Alemanha. Um em cada dez afirma que as redes sociais são a sua principal fonte de notícias.

O relatório refere que a preocupação com a baixa qualidade das notícias e com as ‘fake news’ oferece às organizações de media a oportunidade de demonstrar o valor do jornalismo de qualidade, já que o inquérito demonstrou que “elevados níveis de falta de satisfação em relação à qualidade das notícias e comentário, em geral, e nas redes sociais em particular”.

O estudo será apresentado em Portugal em setembro, altura em que serão revelados dados mais específicos sobre o país.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 09:01

O "Banco Alimentar Contra a Fome" como tampão da Revolta Social

02.07.17

(Uma óbvia admissão do real propósito desta instituição, feita pela Presidente de longa data da mesma. Ter quem é menos explorado e roubado a dar bens a quem o é mais ou que nem em posição de o ser está - e, obviamente que, nem pensar em ir sequer pedir a quem enriquece com tudo isto. O seguinte trecho foi tirado <daqui>. E, quem quiser ver a entrevista na totalidade, repare no quase indisfarçável sorriso com que a criatura em causa fala na desgraça alheia...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 06:12

E assim se cala esta amostra de povo

30.06.17

Um sistema de emergência (montado por mais uma "parceria público-privada") que, repetidamente, não funciona e que tem agora como resultado (visível) uma grande tragédia.
Um grande falhanço (e consciente negligência) da parte do poder estabelecido, que resulta num grande número de mortos.
Uma onda de revolta, por parte de quem é vítima (de facto e potencial) de tudo disto?
Não, nada disso... Pois, o povo é manso, fácil de enganar e distrai-se com outras coisas.
Produz-se um relatório, da parte da própria entidade que falhou, a dizer que nada de grave se passou e publicam-se também os resultados de um suposto estudo, feito pelo próprio governo por isto responsável, a dizer que a população continua a apoiar o governo.
(Tudo análises de inquestionáveis imparcialidade e veracidade, reportadas por uma imprensa que sempre estará longe de chamar a atenção para o ridículo destas publicações...)
Do lado "racional" estão as coisas "resolvidas". Passemos então ao lado emocional.
Toca a emitir reportagem atrás de reportagem televisiva, de estilo semelhante a um "docudrama", a focar-se no lado emocional da tragédia - includindo a grande onda de compaixão e solidariedade que esta catástrofe gerou - para, deste modo, calar o (muito indesejável) lado racional (que estaria realmente interessado em saber quem, e o que é, que falhou, para apurar responsabilidades) e toca a organizar também um grande concerto musical, que inclua uma grande operação de angariação de fundos, para ser transmitido por todos os principais canais televisivos nacionais, a apelar repetidamente ao cultivo deste lado emocional, para que se sobreponha a tudo o resto.
Pronto, já está. Os portugueses são um povo muito solidário e devem sentir-se muito bem por isso.
Continuem a roubar e a enganar o povo, nem que daí venham mais mortes.
Venham as próximas tragédias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Expedição polar que visava documentar o suposto grande (e antropogénico) "aquecimento global" fica presa no gelo árctico

18.06.17

(Têm aqui a notícia em causa - e também aqui a distorção do sucedido feita pela imprensa controlada.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 09:26

O estado a que isto chegou (x2)

16.06.17

corrupção.jpg

[Quando as coisas estão de tal modo dominadas, que até o próprio conluio de grandes interesses económicos e classe política (sua fantoche) se pode gabar - perante a dita "massa suja" - do que faz - e continuar a roubar e a enganar o povo, de modo impune... Como digo, continuo sem perceber onde é que vão as pessoas inteligentes, honestas e decentes deste país buscar o seu optimismo...]

 

Não há razão nenhuma para não ser corrupto em Portugal

Por ZAP - 11 Junho, 2017

O ex-Ministro da Economia Daniel Bessa considera que há um “sistema de incentivos e de administração” que leva a que não haja “razão nenhuma para não ser corrupto em Portugal”.

Em declarações divulgadas pelo Jornal de Negócios e proferidas durante a participação num debate sobre competitividade, organizado pela Porto Business School, Daniel Bessa,  economista e professor universitário que foi Ministro da Economia do Governo de Guterres, considerou que “não há razão nenhuma para não ser corrupto em Portugal”.

“Mesmo que venha a ser condenado judicialmente, para a cadeia não vai”, notou Daniel Bessa, realçando que “a coisa há-de prolongar-se o tempo suficiente até que morra. E isso é um tema de sistema de incentivos e de administração”, concluiu.

O ex-Ministro da Economia também responsabiliza os incentivos públicos por alguns erros do sector privado e fala em concreto do caso da electricidade, em Portugal, que é a quarta mais cara dos 28 países da União Europeia.

Grande peso na factura da luz têm os muito falados, nos últimos dias, Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual ou “rendas excessivas” que estão no centro das suspeitas em torno da EDP e que levaram à constituição de António Mexia como arguido.

O Expresso anunciou que a EDP foi deliberadamente beneficiada, pelos Governos no poder, em mais de mil milhões de euros, em prejuízo dos consumidores.

“Não há problema nenhum, é tudo legal”, ironiza Daniel Bessa a propósito da formação dos preços da energia.

“Há aqui uma questão que tem a ver com o sistema de incentivos, com uma série de interesses que condicionam a legislação e a administração no sentido de determinado tipo de investimento”, acrescenta ainda o economista.

Estas declarações surgem depois de António Costa ter dito que a EDP tem “manhas” e de o ex-Ministro Álvaro Santos Pereira ter referido que “o lóbi da energia é dos mais fortes em Portugal”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

colocado por Fernando Negro às 07:34

CNN apanhada (outra vez) a encenar uma notícia falsa

14.06.17

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bitcoin

12.06.17

Bitcoin.jpg

[Para além de aproveitar eu para chamar a atenção para dois "tweets" - [1] [2] - recentemente feitos pelo ex-agente dos serviços secretos russos, Daniel Estulin, no qual denunciou (/confirmou) ele o controlo oculto que existe destas novas moedas electrónicas, deixo aqui o que, também eu, tive recentemente a dizer, especificamente sobre o fenómeno da conhecida moeda "Bitcoin", num fórum de discussão sobre assuntos relacionados com o Software Livre.]
 
Re: Why try to push bitcoin so hard
Post by Fernando Negro » 2017-02-28 05:30

Bitcoin is almost certainly a product of the "powers-that-be" - who, among other things, want to ultimately surveil and control everything and everyone.

Being that the (obvious) reason why it has been so quickly adopted by the main corporations, and is so much promoted in the mainstream media, and through armies of (what are certainly) establishment "trolls" (who, yes, do exist: http://www.washingtonsblog.com/2014/02/ ... gency.html).

The key term here, is "Cashless Society Control Grid".

And, notice how Western governments have already started restricting the use of physical cash (https://www.corbettreport.com/the-war-o ... try-guide/), and how the mainstream media have already started calling for its abolishment (http://www.prisonplanet.com/financial-t ... -cash.html).

Since that quoting is practised in these forums, and also to make my life much easier, I'll just quote, in here, what I've said in the recent past about this "Bitcoin" phenomenon:

(taken from here: https://www.corbettreport.com/whos-afra ... ment-28176)

Bitcoin” is almost certainly a creation of the powers-that-be…

(And, also a too much sophisticated piece of networking software to have been done by a single person… Where did this “Sakamoto” character made his beta tests, then? His home network?)

The way that the Internet is immensely surveilled, nowadays (don’t look too much for information concerning the P*OMIS software – http://www.fromthewilderness.com/free/p ... romis.html – or something bad – http://www.elmundo.es/encuentros/invita ... index.html – might happen to you), there’s no way that such a complex piece of software, that operates over the Internet, could have been developed without the powers-that-be already knowing, by now, who has created it.

So, this new piece of news [http://www.cbc.ca/news/technology/australia-raids-bitcoin-1.3356725] will surely turn out to be just more “smoke”, to hide the true origins of this phenomenon.

Look at how quickly some of the big corporations (who constitute the real powers-that-be) adopted this currency (http://www.bitcoinvalues.net/who-accept ... coins.html). If this was really something contrary to the interests of the establishment, they would never adopt it – let alone so quickly, and in a way that promotes its growth.

And, all this paranoia about Bitcoin being used for crimes, is just (like you’ve said) that – paranoia. That is going to be used as a pretext to increase the surveillance and control of the Internet.

This “Bitcoin” phenomenon is the concretization of what Alex Jones and others have been warning, for almost two decades now… The so-called “Cashless Society Control Grid”.

And, explaining what I mean by this…

1) First of all, this so-called “cryptocurrency” is not cryptographic, at all. Since that, the NSA and the likes (who created its hash algorithm) can already decrypt it (https://www.youtube.com/watch?v=PZQXxUmROIU#t=1h8m25s).

2) Second, it’s the end of privacy in monetary transactions. Since that, every transaction is publicly recorded. And, all that it takes to identify which transaction corresponds to which deal, is to read the corresponding e-mail exchanges between the persons involved in such a deal. (Do you think that your, however possibly encrypted, e-mails are not being read also? Check again the same link I’ve posted above: https://www.youtube.com/watch?v=PZQXxUmROIU#t=1h8m25s)

3) Third, you are almost totally dependent on an Internet connection to be able to make such transactions. And, who controls the Internet? Big Brother. That is: the main/big corporations, that constitute the real powers-that-be, and their puppet-governments.

The future that the powers-that-be have planned, will be a Police State where *everything* – including the Internet – will be controlled. And, the future will also obviously be one where artificial intelligence will be advanced enough to be able to inspect every Internet traffic, and intercept/block whichever type it (specifically) wants. Here’s an example of how this is already being done, in certain places, since the last decade: http://forum.prisonplanet.com/index.php ... #msg525995 [And, here's the description of the method used: https://en.wikipedia.org/wiki/Deep_packet_inspection]

Do you know what “WWW” stands for, in intelligence circles? R: “World Wide Wiretap”.

So, if you’re an individual who’s fighting the powers-that-be, either (1) because of an oppressive government, that passes laws where it forbids certain people to use the Internet (what’s already being done in certain countries, is to require an ID to use this network), or (2) because the big Internet companies that dominate the market (and that you are forced to use) simply decide that they don’t want to let you use their services anymore, you are always dependent on the “good will” of other entities to be able to make monetary transactions.

And all this, not counting with all the “dirty tricks” that can be used against you – like simply interfering with your monetary transactions, when they’re passing through the Big Brother network, and then have your Internet company respond to you that it must have been some “glitch”, or that they simply don’t know where your money went. (Here’s an example, if you want, of one of the big Internet companies making comments of mine disappear, simply because they want to: http://blackfernando.blogspot.pt/2013/0 ... -meus.html)

Also, in the era of spyware and software insecurity, in a lot of proprietary computer operating systems and programs, that most people use (and, where we even have to be careful with the hardware that we use – https://trisquel.info/en/forum/secret-3 ... -pc-access), to have a “digital wallet”, on a computer hard drive, is the most ridiculously and laughably insecure manner of storing your money that I have ever heard of! (And, all that it takes to make you loose all your savings, is to simply demagnetize your hard drive – which can be done from a distance.)

Please, (seriously) inform yourselves about Internet and computer security, in order to realize what (/the trap that) you’re really getting yourselves into.

And, I'll leave here two more quotes, from following comments that I made in the same thread:

Concerning Internet “security”:

http://en.wikipedia.org/wiki/ECHELON
http://www.fromthewilderness.com/free/w ... _pt1.shtml
http://www.prisonplanet.com/barack-obam ... puter.html
http://forum.prisonplanet.com/index.php?topic=82985.0
http://www.zdnet.com/article/tracking-p ... n-the-net/

[+]

In order to create and conceive something like “Bitcoin”, there has to be a deep knowledge of computer networking software, and also of Economics – and, I immensely doubt that there’s a single person on this planet that could have both.


(When was the last time that you’ve met a computer “geek” that also had a degree in Economics?)

Therefore, I would much more easily believe this to be the work of a large group of highly intelligent and knowledgeable people, from different areas.

Autoria e outros dados (tags, etc)